Por Gabrielle Fonseca, TechTudo


A Valve possui um sistema denominado VAC (Valve Anti-Cheat) para evitar que truques ou trapaças, dêem vantagens injustas a jogadores no Counter-Strike: Global Offensive. O game prevê uma punição severa quando detecta uma infração por parte do usuário: o jogador é banido e impossibilitado de jogar em servidores protegidos pelo sistema VAC. Já quando a trapaça é usada por atletas, os jogadores podem chegar a ser suspensos permanentemente de torneios. Confira, a seguir, algumas das modificações que podem banir os jogadores no CS:GO .

Counter Strike: Global Offensive condena uso de hacks e cheats — Foto: Divulgação/Steam Counter Strike: Global Offensive condena uso de hacks e cheats — Foto: Divulgação/Steam

Counter Strike: Global Offensive condena uso de hacks e cheats — Foto: Divulgação/Steam

A Valve recomenda que os jogadores tenham muito cuidado ao instalar modificações para jogos e modelos personalizados. Além disso, a desenvolvedora também aconselha que os gamers utilizem apenas computadores em que eles confiem.

Macro

Botões extras em mouses podem fazer jogadores serem punidos no CS:GO  — Foto: Divulgação/Multilaser Botões extras em mouses podem fazer jogadores serem punidos no CS:GO  — Foto: Divulgação/Multilaser

Botões extras em mouses podem fazer jogadores serem punidos no CS:GO — Foto: Divulgação/Multilaser

Macro é a programação de uma sequência a ser realizada por periféricos, isto é, mouses ou teclados. Com a ajuda de botões extras, por exemplo, o jogador pode dar ordens longas e complexas com o simples apertar de um botão. A tática, no entanto, é punida em muitos casos. Há configurações simples, inofensivas, que facilitam jogadas sem que o competidor esteja, de maneira injusta, à frente de seus adversários. No entanto, diversos usos do macro são considerados como cheats pela VAC.

Aimbot

O Aimbot é outro cheat proibido e condenado pelo sistema VAC. Seu uso é muito simples e proporciona uma vantagem desleal: quando ativado, o hack automaticamente direciona a mira do jogador para a cabeça do oponente que está em seu campo de visão, fazendo com que o jogador consiga um headshot (tiro na cabeça do adversário) sem nenhum esforço.

Spinbot

O Spinbot faz com que o jogador gire constantemente, permitindo que o gamer tenha visão de absolutamente todos os pontos ao seu redor. Assim, o cheat permite que o usuário veja e atire em qualquer pessoa que possa tentar surpreendê-lo pelas costas ou pelos lados. O hack é uma espécie de combinação com o Aimbot, uma vez que também faz com que a mira do jogador se direcione automaticamente para a cabeça do adversário.

Alguns hacks de Counter-Strike Global Offensive fazem a arma disparar automaticamente — Foto: Divulgação/Valve Alguns hacks de Counter-Strike Global Offensive fazem a arma disparar automaticamente — Foto: Divulgação/Valve

Alguns hacks de Counter-Strike Global Offensive fazem a arma disparar automaticamente — Foto: Divulgação/Valve

Triggerbot

Assim como o Aimbot, o Triggerbot também se utiliza da mira para conseguir vantagens indevidas. O cheat atira automaticamente para o jogador sem que ele precise apertar nada, bastando, apenas, que algum jogador entre na mira de sua arma.

Wall hack

O Wall hack é um tipo de trapaça que permite ao gamer ver tudo além das paredes do mapa. Desse modo, o jogador terá uma imensa vantagem na partida, sabendo exatamente onde seus oponentes estão.

Skin changer

Apesar de parecer inofensivo e não alterar a funcionalidade das armas e o desempenho de jogadores no game, o skin changer também é punido pelo VAC. O hack permite ao usuário utilizar diversas skins para armamentos dentro do jogo, sem que ele precise comprar nenhuma delas.

Hack de Bunny Hop

O hack de Bunny Hop é um tipo de cheat que permite ao jogador manter uma velocidade crescente ao utilizar a tática de dar pulos constantes e consecutivos para se mover mais rápido. Essa trapaça é utilizada para evitar que o jogador, ao tocar no chão, perca velocidade. Por isso, o cheat faz com que o gamer dê o próximo pulo no momento exato, sem tocar no chão. Essa tática é difícil de ser realizada e por isso se utilizam hacks, uma forma injusta (e passível de punição) de tirar o mérito daqueles que dominam a habilidade.

Auto pistol

A pistola é um dos ícones de CS:GO  — Foto: Reprodução/Murilo Molina A pistola é um dos ícones de CS:GO  — Foto: Reprodução/Murilo Molina

A pistola é um dos ícones de CS:GO — Foto: Reprodução/Murilo Molina

O auto pistol é um tipo de hack que permite ao jogador dar tiros contínuos apenas mantendo o botão de comando pressionado. Em suma, para utilizar as pistolas no CS:GO é necessário dar cliques contínuos, fazendo com o que jogador perca certo tempo entre um tiro e outo. Por isso, o auto pistol traz vantagens abusivas sobre outros jogadores, que levam muito mais tempo na alternância entre cada disparo.

Casos de banimento por VAC nos esports

O VAC não é restrito aos jogadores casuais: existem muitos casos de modificações irregulares do game em torneios de CS:GO, também. A lista de atletas que receberam punições por uso de cheats é longa. Em 2014, após uma onda de banimentos por parte da Valve, um jogador profissional de Counter-Strike foi afetado. Anil "cLy" Gülec, membro do Planetkey Dynamics, teve banimento por VAC e alegou inocência contra a denúncia da Valve, mas perdeu sua conta.

No mesmo ano, outro jogador profissional recebeu punição. O jogador francês Gordon "Sf" Giry recebeu banimento por VAC logo após outro nome do cenário também ser punido pelo sistema, o pro player Hovik "KQLY" Tovmassian. Sf, que fazia parte da Epsilon, havia ficado entre os oito melhores no ESL One: Cologne juntamente com sua equipe.

Um caso mais recente foi o do chinês Kun "LEo" Hou que utilizou um software proibido durante o CS:GO Asia Championships. O torneio aconteceu em maio deste ano e terminou com LEo banido permanentemente de eventos patrocinados pela Valve. A consequência, no entanto, também afetou a Fierce Tiger, equipe do jogador, que foi desclassificada do campeonato.

MAIS DO TechTudo