Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Os novos MacBooks, iMacs e Macs Mini com chip T2 podem ficar inutilizáveis, caso sejam reparados fora da rede de autorizadas da Apple. Isso acontece porque os computadores com esse coprocessador de segurança exigem um software exclusivo para a realização de consertos e as assistências técnicas que não são oficiais não têm acesso a ele.

A Apple admitiu a política, mas alguns testes realizados por sites como o iFixIt mostram que essas restrições podem não ser universais. A seguir, entenda a polêmica envolvendo os computadores.

Quer comprar um notebook barato? Encontre os melhores preços no Compare TechTudo

Medida restritiva atinge MacBooks e outros computadores da Apple com T2 — Foto: Divulgação/Apple Medida restritiva atinge MacBooks e outros computadores da Apple com T2 — Foto: Divulgação/Apple

Medida restritiva atinge MacBooks e outros computadores da Apple com T2 — Foto: Divulgação/Apple

O caso foi divulgado após a chegada dos novos MacBook Air e Mac Mini em outubro, quando sites como Motherboard e MacRumours tiveram acesso a documentos internos da Apple destinados às autorizadas. De acordo com eles, os dispositivos com o chip T2 podem ficar inutilizáveis se passarem por reparos que envolvam a troca de peças sem a chancela de um software de diagnóstico interno, exclusivo da Apple e das unidades de assistência. Assim, o programa para validar os reparos torna os procedimentos inviáveis por indivíduos e oficinas que estejam fora da rede autorizada da fabricante.

Os consertos em questão podem envolver a troca da placa-mãe dos computadores, do leitor de impressões digitais e de alguns outros componentes, como unidades SSDs nos iMac Pro. Como os MacBooks Pro de 2018 e iMac Pro de 2017 também utilizam esse componente, podem estar sujeitos aos mesmos problemas.

A Apple, em comunicado ao site The Verge, reconheceu a medida, mas não entrou em detalhes sobre como a política funciona e quais dispositivos são afetados. Por outro lado, o iFixIt, empresa especializada em guias de reparos, desmontou os computadores da Maçã e colocou essas restrições à prova. O site detectou que a política pode ou não estar em vigor no momento ou, simplesmente, não incidir sobre todos os modelos.

Coprocessador de segurança T2 também chegou ao Mac Mini — Foto: Divulgação/Apple Coprocessador de segurança T2 também chegou ao Mac Mini — Foto: Divulgação/Apple

Coprocessador de segurança T2 também chegou ao Mac Mini — Foto: Divulgação/Apple

Embora tenha se posicionado contra medidas regulatórias que garantam o direito de reparo no mercado norte-americano, a Apple, recentemente, lançou computadores que resgatam certa modularidade. O novo Mac Mini, por exemplo, permite a troca da memória RAM, que era impossível no modelo anterior, de 2014, cuja memória vinha soldada na placa lógica. O MacBook Air 2018 vai pela mesma linha, com design interno que facilita a remoção e troca da bateria, algo que era muito mais difícil na geração anterior do portátil.

O chip T2

O coprocessador de segurança T2disponível nos computadores da Apple é uma peça fundamental para a proteção do usuário. Ele controla o TouchID e as assinaturas criptográficas usadas pelo computador de forma completamente separada do sistema para evitar que esses dados sejam interceptados. Além disso, o chip tem a função de impedir que hackers acessem os microfones dos laptops da Apple sem que o usuário perceba e permite acionar a assistente Siri com comandos de voz.

MacBook Air 2018 vem com chip de segurança T2  — Foto: Divulgação/Apple MacBook Air 2018 vem com chip de segurança T2  — Foto: Divulgação/Apple

MacBook Air 2018 vem com chip de segurança T2 — Foto: Divulgação/Apple

O direito do consumidor ao reparo e a opinião da Apple

A discussão em torno do direito do consumidor executar reparos em seus dispositivos é um tópico em debate nos Estados Unidos e na União Europeia. Entende-se que medidas como as impostas pela Apple e outras marcas, além do design de dispositivos que inviabilizam troca de componentes, como baterias e outras pelas sujeitas a desgaste e problemas, vão contra o direito do consumidor de consertar seus produtos.

O iFixIt, ao desmontar os lançamentos da Apple, classificou o MacBook Pro com nota 1 numa escala de 0 a 10 de pontuação referente à facilidade de conserto. Já MacBook Air ficou com 3, enquanto o Mac Mini atingiu nota 6.

Qual comprar: Macbook Air ou MacBook Pro? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo