Por Rodrigo Fernandes, para o TechTudo


A Black Friday é uma evento anual que reúne descontos expressivos em produtos eletrônicos, móveis, livros e diversos produtos do varejo. Neste ano, o evento acontece no dia 23 de novembro, com a expectativa de movimentar R$ 2,87 bilhões no comércio do Brasil e tendo o e-commerce como principal forma de transação durante o evento. Diante do grande fluxo de ofertas da Black Friday, é comum surgirem promoções fraudulentas para enganar os usuários.

De acordo com a DNpontoCom, empresa especialista em segurança digital, entre os golpes mais comuns estão os descontos fora da realidade, além de e-mails e páginas de empresas falsas, criados para roubar dados dos compradores. Para não cair em fraudes na hora de aproveitar as ofertas da Black Friday, saiba mais sobre os principais golpes aplicados durante o evento, e veja como fazer compras com segurança.

Conheça os principais golpes utilizados por criminosos na Black Friday — Foto: Divulgação/DNPontoCom Conheça os principais golpes utilizados por criminosos na Black Friday — Foto: Divulgação/DNPontoCom

Conheça os principais golpes utilizados por criminosos na Black Friday — Foto: Divulgação/DNPontoCom

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

A “metade do dobro”

Um dos maiores motivos de desconfiança é o chamado preço pela “metade do dobro”, quando uma empresa anuncia desconto de 50% em um produto que teve seu valor aumentado em 100% anteriormente. Ou seja, não existe desconto real na mercadoria e o consumidor acaba pagando o preço padrão pelo item. Em outros casos, a loja anuncia um desconto maior do que o produto de fato recebe. Por exemplo, o comprador acha que ganhou 30% de desconto, mas na verdade leva apenas 5%.

Para evitar cair nesses golpes e comprar um produto com preço “disfarçado”, o cliente pode checar o histórico dos valores cobrados no mercado antes da semana da Black Friday. O Compare TechTudo tem uma ferramenta que mostra os preços de produtos eletrônicos utilizados pelo comércio nos últimos seis meses. Também é possível receber alertas antecipados de descontos pela extensão “Black Friday de Verdade” para Google Chrome.

Histórico de preço do iPhone 7 no Compare TechTudo — Foto: Reprodução/TechTudo Histórico de preço do iPhone 7 no Compare TechTudo — Foto: Reprodução/TechTudo

Histórico de preço do iPhone 7 no Compare TechTudo — Foto: Reprodução/TechTudo

Preços diferentes no carrinho

Outro golpe aplicado na Black Friday aumenta o preço do produto no momento em que ele é adicionado ao carrinho virtual de compras. Nesses casos, um item que custava R$ 45,00, por exemplo, pode ter o valor elevado para R$ 90,00 quando inserido na lista de compras. Portanto, o cliente deve sempre conferir cada item antes de inserir os dados bancários para não concluir a compra com o preço errado.

Sites falsos

O consumidor deve ficar atento a sites falsos durante a Black Friday. Criminosos podem falsificar páginas de empresas famosas copiando todo o layout, catálogo de promoções e canais de atendimento, a fim de roubar dados de cartões de crédito dos clientes. Em muitos casos, é possível identificar um site falso pela URL, que pode apresentar letras diferentes do endereço oficial. O site “americanas.com.br”, por exemplo, pode apresentar o link falso “ameriicanas.com.br”.

Consumidor deve ficar atento à URL e outros detalhes do site para não fazer compras em lojas falsas na Black Friday — Foto: Reprodução Consumidor deve ficar atento à URL e outros detalhes do site para não fazer compras em lojas falsas na Black Friday — Foto: Reprodução

Consumidor deve ficar atento à URL e outros detalhes do site para não fazer compras em lojas falsas na Black Friday — Foto: Reprodução

Para não cair nesse tipo de fraude, o usuário pode, além de checar a URL, verificar se o site está incluído na lista oficial de participantes da Black Friday 2018 por meio do endereço https://blackfridaydeverdade.com.br/#lojas. Por outro lado, também é possível ver se aquele site está na lista negra de páginas suspeitas, disponibilizada pelo Procon-SP. Outra dica é verificar no Reclame Aqui se a empresa é confiável ou possui reclamações relacionadas a fraudes.

Caso seja uma loja desconhecida, o recomendado é não fazer a compra. O ideal é só efetuar transações em sites com certificado digital e que apresentem todas as opções de pagamento, inclusive cartão de crédito, que deixa registros das operações, pois uma das técnicas utilizadas por lojas falsas é utilizar boletos bancários falsos.

E-mails falsos e redes sociais

Ao receber um newsletter com promoções e ofertas da Black Friday, verifique a veracidade daquelas informações diretamente no site da loja. Especialistas afirmam que os usuários não devem comprar produtos através dos links enviados por e-mail, que podem ser redirecionados para páginas falsas. Além disso, links para descontos recebidos por SMS ou pelas redes sociais, como WhatsApp, também não devem ser abertos pois podem ser phishing.

Falsas mensagens de e-mail sobre a Black Friday podem ser golpe de phishing  — Foto: Divulgação/Kaspersky Falsas mensagens de e-mail sobre a Black Friday podem ser golpe de phishing  — Foto: Divulgação/Kaspersky

Falsas mensagens de e-mail sobre a Black Friday podem ser golpe de phishing — Foto: Divulgação/Kaspersky

Como se proteger

É preciso ter bom senso antes de informar dados pessoais ou bancários na Internet, além de se certificar de que está acessando páginas e promoções confiáveis. Confira, a seguir, algumas dicas de segurança reunidas pela ESET, empresa de segurança cibernética, e pelas startups Konduto e Promobit, especializadas em e-commerce, para se proteger contra golpes durante as compras na Black Friday.

  • Ao fazer compras pela Internet, utilize apenas uma conexão confiável, como a rede Wi-Fi da sua casa ou seu plano de dados móveis;
  • Utilize dispositivos com sistemas operacionais e antivírus atualizados, seja no computador ou no celular;
  • Observe os certificados de segurança digital das páginas, como o termo “https” na URL ou o símbolo de cadeado na barra de endereços;
  • Verifique se existem avaliações negativas dos usuários nas redes sociais das lojas. Ao contrário dos comentários, esse tipo de post não pode ser removido pelo proprietário;
  • Seja cuidadoso ao clicar em banners e pop-ups com promoções, pois muitos deles são direcionados para sites maliciosos;
  • Cheque informações básicas da empresa, como Razão Social, CNPJ e endereço, para saber se ela é confiável ou não.

Caso identifique uma fraude online durante a Black Friday, o recomendado pelos especialistas é alertar o Procon do seu estado e divulgar as informações nas redes sociais e em sites de reclamações, como o Reclame Aqui, para que outras pessoas não caiam no golpe.

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

MAIS DO TechTudo