Por Bruna Telles e Tainah Tavares, para o TechTudo


O jogador da TNC Predator Carlo “Kuku” Palad está oficialmente banido do Chongqing Major de DotA 2, que acontece na China em janeiro de 2019. O anúncio foi feito pela Valve na última segunda-feira (3). O atleta foi proibido de jogar no torneio depois de fazer comentários racistas contra chineses há cerca de um mês. A TNC também foi punida pela desenvolvedora, que alegou que org tentou mascarar o caso. Entenda, a seguir, o escândalo que ganhou grande dimensão na comunidade de DotA e o comunicado da Valve.

Entenda o caso

Kuku: comentários racistas levantaram polêmica dentro da comunidade de Dota 2 — Foto: Reprodução/Twitter TNC Predator Kuku: comentários racistas levantaram polêmica dentro da comunidade de Dota 2 — Foto: Reprodução/Twitter TNC Predator

Kuku: comentários racistas levantaram polêmica dentro da comunidade de Dota 2 — Foto: Reprodução/Twitter TNC Predator

O incidente aconteceu no início de novembro, quando Kuku escreveu um comentário racista no chat de DotA 2. "Ching chong", dizia a mensagem para ofender e provocar os players da China. Como reação, a comunidade chinesa fez ameaças ao jogador e cobrou punições da Valve.

Mas o caso, que já era grave, tomou dimensões ainda maiores. Dias depois do incidente, um perfil com o nome de Kuku fez um post no Weibo, rede social chinesa, que dizia que o atleta teria sido ofendido antes de fazer o comentário racista. A declaração repercutiu na comunidade e logo prints que comprovavam que Kuku não havia sido ofendido surgiram.

Foi quando Jim Paulo Sy, manager da TNC Predator, declarou que o post no Weibo havia sido feito por ele. Jim assumiu a mentira e pediu desculpas publicamente.

O comunicado da Valve e a punição

A Valve só se posicionou sobre o caso em dezembro. Durante esse intervalo, diversos rumores invadiram a comunidade de DotA 2 e o caso só ganhou mais destaque.

No comunicado, a desenvolvedora anunciou punições à organização e ao jogador. Segundo a Valve, a TNC "tornou o caso muito pior do que deveria ser" ao mentir e tentar encobrir o caso. No mesmo texto, a desenvolvedora afima que quando entrou em contato com a TNC solicitando a retirada do atleta do elenco que irá competir no Major, a mesma negou-se a fazer a mudança. Como punição, Kuku está fora do Chongqing Major. A TNC Predator, por sua vez, perdeu 20% dos Dota 2 Pro Circuit Points que possuía.

Depois de todo o escândalo, a TNC também tomou medidas e puniu o jogador em 50% dos ganhos obtidos no Kuala Lumpur Major. Segundo a org, o valor será doado para uma ONG anti-racismo. Paulo Sy também foi punido pela TNC na perda de 50% do salário e o dinheiro será doado para mesma ONG. Por fim, a organização anunciou que um novo team manager será contratado.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

MAIS DO TechTudo