Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Sunny Cove é o nome dos novos núcleos de processamento da Intel, manufaturados em processo de 10 nanômetros. Esse pode ser o componente central das versões para ultrabooks da futura arquitetura Ice-Lake. Segundo o diretor de desenvolvimento de núcleos da empresa, Ronak Singhaldisse, o novo design garante processadores mais rápidos e inteligentes.

Além da evolução prevista para as CPUs, a Intel também promete as primeiras UHD Graphics com mais de 1 teraflop de performance bruta. Outra novidade é a maior capacidade de reconhecimento de memória RAM, que pode chegar aos 4 PB (petabytes).

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Processadores com núcleos Sunny Cove podem equipar os Ice-Lake U dos futuros ultrabooks — Foto: Filipe Garret/TechTudo Processadores com núcleos Sunny Cove podem equipar os Ice-Lake U dos futuros ultrabooks — Foto: Filipe Garret/TechTudo

Processadores com núcleos Sunny Cove podem equipar os Ice-Lake U dos futuros ultrabooks — Foto: Filipe Garret/TechTudo

Ainda é cedo para estimar a capacidade dos novos processadores em relação aos produtos atuais. Em todo caso, em uma demonstração da Intel, uma CPU com núcleos Sunny Cove foi 75% mais rápida do que um processador atual da marca, em tarefa para criptografar um arquivo no 7-Zip usando AES-256. A marca é impressionante, mas deve ser encarada com algum ceticismo: para chegar nessa margem de performance tão superior, a Intel usou uma versão específica do compactador, desenvolvida para tirar proveito das novidades introduzidas pela nova arquietura.

Segundo a fabricante, a vantagem vai além da chegada aos 10 nm e traz revisões de design para maior performance. Uma das melhorias é a maior capacidade de paralelismo – a habilidade do processador em executar mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Além disso, há ganhos na quantidade de memória cache, o que favorece a obtenção de dados pelo CPU para trabalhar de forma mais rápida.

Outra alteração da Intel tem a ver com o conjunto de instruções que permitem ao software interagir com a CPU. Os novos processadores terão regras específicas para inteligência artificial e para operações intensas de criptografia, como é o caso do exemplo citado no segundo parágrafo.

Intel UHD Graphics rompe a casa do teraflops

Intel prevê chegada de processadores com núcleos Sunny Cove já no ano que vem — Foto: Divulgação/Intel Intel prevê chegada de processadores com núcleos Sunny Cove já no ano que vem — Foto: Divulgação/Intel

Intel prevê chegada de processadores com núcleos Sunny Cove já no ano que vem — Foto: Divulgação/Intel

As placas gráficas integradas da Intel são GPUs básicas que ficam bem atrás da alta performance das chamadas placas dedicadas de AMD e Nvidia. Em todo caso, a nova geração de GPUs UHD Graphics da Intel deve ter maior performance, chegando perto do que as APUs da AMD, equipadas com GPUs Vega, oferecem. Isso porque a Intel rompeu a casa dos teraflops, medida que calcula a capacidade computacional bruta de processamento de uma GPU ou CPU.

Para fins de comparação, a Vega 8 encontrada no Ryzen 5 2500U da AMD roda a 1,1 teraflops, oferecendo performance suficiente para rodar jogos recentes com boa qualidade de imagem a resoluções mais baixas.

Memória RAM na casa dos petabytes

A Intel também promoveu modificações na forma como o processador endereça a memória RAM. Atualmente, uma CPU de 64 bits reconhece um limite de 256 TB de memória, algo que pode saltar para 4 PB (petabytes) de memória com a nova tecnologia.

Apesar disso, os benefícios desse aumento não devem aparecer tão cedo, já que mesmo hoje em dia são raros os computadores que trabalham com 64 GB ou mais de memória.

Como montar um PC gamer em 2018? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

MAIS DO TechTudo