Por Gabrielle Fonseca, TechTudo


Contas smurfs são comuns em jogos como DotA 2, League of Legends (LoL) e Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). A prática de smurfing consiste na criação de um perfil secundário de nível inferior em games online. Alguns jogadores alegam que fazem essas contas extras para testar novas estratégias sem prejudicar os resultados da conta principal. Entretanto, outros usuários usam os perfis com intuito de vendê-los. Por isso, jogares smurfs podem ser punidos e até banidospara sempre dos games.

A Valve, desenvolvedora de DotA 2, divulgou no último dia 11 que baniu cerca de 17 mil contas por uso irregular de matchmaking. A empresa alegou que a finalidade era diminuir a quantidade de smurfs no MOBA, além de reduzir a venda desse tipo de conta. Confira, a seguir, como funciona a prática de smurfing e como algumas desenvolvedoras lidam com este comportamento.

Dota 2 pune 17 mil contas para diminuir número de smurfs no game — Foto: Reprodução Twitter/Dota2 Dota 2 pune 17 mil contas para diminuir número de smurfs no game — Foto: Reprodução Twitter/Dota2

Dota 2 pune 17 mil contas para diminuir número de smurfs no game — Foto: Reprodução Twitter/Dota2

O que são contas Smurfs?

Nos jogos multiplayer a nomeação "smurf" se refere aos jogadores experientes que criam uma nova conta. O objetivo do usuário ao criar esses perfis pode variar, como recomeçar no game e testar novas estratégias. Mas as contas smurfs também podem ser usadas de má fé para vencer partidas facilmente contra adversários inexperientes ou podem até mesmo ser vendidas. A prática de vender contas é proibida pelas desenvolvedoras.

O termo "smurf" surgiu em 1996 entre os jogadores de Warcraft II. Usuários já experientes criaram novas contas que nomearam como PapaiSmurf e Smurfette, nas quais fingiam um mau desempenho no jogo e depois surpreendiam seus adversários vencendo as partidas. Atualmente, a prática não é permitida em diversos jogos e os usuários que desrespeitam as regras podem receber punições e banimento de acordo com a gravidade de cada caso.

Quais punições posso receber?

Jogadores de League of Legends podem ser banidos por usarem uma conta smurf — Foto: Reprodução Esports Unlocked Jogadores de League of Legends podem ser banidos por usarem uma conta smurf — Foto: Reprodução Esports Unlocked

Jogadores de League of Legends podem ser banidos por usarem uma conta smurf — Foto: Reprodução Esports Unlocked

  • League of Legends

No fórum brasileiro do suporte de League of Legends, a desenvolvedora do jogo, Riot Games, afirma que a prática de criar uma nova conta não é apoiada pela empresa. No entanto, o uso de uma conta secundária não é, por si só, passível de punição para os invocadores. A desenvolvedora afirma que pelo número extenso de usuários no game, controlar esse tipo de prática é difícil.

A Riot Games ainda afirma que quando percebe que jogadores estão usando uma conta smurf para prejudicar o jogo e outros jogadores, os invocadores passam a receber punições. As medidas tomadas pela empresa variam de acordo com o tipo de prática não permitida pelo regulamento do game e podem recair não apenas sobre a conta smurf do jogador, como também sobre sua conta principal.

  • DotA 2

A Valve, desenvolvedora de DotA 2, não divulga informações muito precisas acerca de como funcionam as suas punições. Em 2017, DotA recebeu uma atualização que fez com que o jogo passasse a detectar de forma automática smurfs, feeders, bots e contas vendidas. De lá pra cá, a Valve tem banido algumas destas contas, como fez em 11 de janeiro deste ano.

O VAC é o sistema antitrapaça da Valve, desenvolvedora de CS:GO e DotA 2 — Foto: Reprodução Steam/Valve O VAC é o sistema antitrapaça da Valve, desenvolvedora de CS:GO e DotA 2 — Foto: Reprodução Steam/Valve

O VAC é o sistema antitrapaça da Valve, desenvolvedora de CS:GO e DotA 2 — Foto: Reprodução Steam/Valve

  • Counter-Strike: Global Offensive

O CS:GO, FPS que também é desenvolvido pela Valve, não divulga muitas informações sobre a criação, uso e venda de smurfs. O game, no entanto, também é submetido ao VAC, o Valve Anti-Cheat System, e os jogadores que desrespeitam suas costumam receber banimentos. No fim do ano passado, através do VAC, a Valve chegou a banir cerca de 500 mil contas da Steam. Vale lembrar que a venda de contas também é expressamente proibida pela desenvolvedora.

Mais do TechTudo