Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A Xiaomi pode estar trabalhando em um celular dobrável, segundo um vídeo divulgado pelo blogueiro Evan Blass, famoso por vazar informações sobre grandes lançamentos da indústria. O vídeo é curto e mostra um aparelho rodando Google Maps com a tela estendida em dimensões parecidas com as de um tablet e depois dobrada para assumir as formas de um celular.

Embora tenha divulgado o vídeo, Blass afirma que não pode garantir a autenticidade do material. Em todo caso, rumores de que a Xiaomi vem desenvolvendo a tecnologia circulam desde 2016.

Vídeo mostra celular com tela que dobra em dois pontos — Foto: Reprodução/Evan Blass Vídeo mostra celular com tela que dobra em dois pontos — Foto: Reprodução/Evan Blass

Vídeo mostra celular com tela que dobra em dois pontos — Foto: Reprodução/Evan Blass

O mais interessante do breve vídeo é o fato de que a tela do dispositivo usado tem três pontos de flexão, diferentemente, por exemplo, do aparelho que a Samsung demonstrou em novembro, cujo display se curva somente num ponto.

A suposta característica contribuiria para que, no modo de tela totalmente estendida, o dispositivo tenha dimensões mais próximas de um tablet.

O vídeo mostra a tela aberta com a bandeja de apps aberta. Em dado momento, o usuário abre o Google Maps. Em seguida, a tela é dobrada duas vezes para fazer do tablet um smartphone. A ideia de que o aparelho tenha origem chinesa é fortalecida pelo fato de que a interface exibe texto em mandarim.

A diferença de abordagem no design da Xiaomi pode ser mais um indicativo de que celulares com telas flexíveis vão variar muito em design e experiência de uso nas primeiras gerações, ao menos até que designers descubram o melhor formato e o consumidor escolha o que funciona e o que não funciona entre os diversos designs propostos.

Há expectativa na indústria de que 2019 seja o ano do celular dobrável devido à promessa de lançamento do Galaxy Flex pela Samsung, além do FlexPai da chinesa Royole. Lenovo e Huawei também confirmaram recentemente que desenvolvem produtos com a tecnologia.

A Xiaomi não tem representação comercial no Brasil. Celulares importados via Correios estão sujeitos à taxação da Anatel – os valores vão de R$ 200 a R$ 500.

Relembre os celulares que marcaram 2018

Relembre os celulares que marcaram 2018

MAIS DO TechTudo