Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Os celulares de tela dobrável devem ser a principal aposta da indústria para 2019. São esperados grandes lançamentos assim durante a feira de celulares de Barcelona (MWC 2019), marcada para o fim de fevereiro. Marcas como Samsung e Xiaomi preparam terreno para se juntar ao Royole FlexPai, aparelho chinês que inaugurou a febre no mercado, aproveitando o espaço do congresso para mostrar versões finais do que já foi visto em formato de protótipo. A Motorola – que pode ressuscitar o Razr V3 –, a Oppo e a Huawei igualmente manifestaram interesse na tecnologia e o compromisso de lançar celulares flexíveis em breve, conforme você vê nas linhas a seguir.

Royole FlexPai

Até que os novos lançamentos apareçam, FlexPai reina soberano como o único celular dobrável do mundo — Foto: Luciana Maline/ TechTudo Até que os novos lançamentos apareçam, FlexPai reina soberano como o único celular dobrável do mundo — Foto: Luciana Maline/ TechTudo

Até que os novos lançamentos apareçam, FlexPai reina soberano como o único celular dobrável do mundo — Foto: Luciana Maline/ TechTudo

Até então desconhecida, a marca chinesa roubou a cena em outubro de 2018 ao demonstrar o FlexPai, antecipando-se assim à Samsung, que flerta com a ideia de celular dobrável há anos. Já disponível no mercado chinês, o smartphone roda Android e tem um formato que se dobra sobre um dos lados da tela.

Nós usamos o dispositivo durante a feira de eletrônicos de Las Vegas (CES 2019). As primeiras impressões foram um misto de surpresa e algumas críticas, como a tela revestida em plástico e o fato de que o display, embora com tecnologia OLED, esteja perceptivelmente abaixo da concorrência em termos de nitidez e contraste.

Celular com tela dobrável: conheça o primeiro smartphone com display flexível

Celular com tela dobrável: conheça o primeiro smartphone com display flexível

O aparelho tem preços que saem da faixa dos US$ 1.300 no mercado asiático, o que dá aproximadamente R$ 4.880 pela edição com 128 GB. As especificações trazem ainda o Snapdragon 855 – processador mais rápido da Qualcomm na atualidade –, 8 GB de RAM e sistema de câmera dupla de 20 e 16 megapixels.

Samsung Galaxy F

Nova versão do Galaxy dobrável parece ter emagrecido e ficado com bordas fininhas — Foto: Reprodução/Youtube Nova versão do Galaxy dobrável parece ter emagrecido e ficado com bordas fininhas — Foto: Reprodução/Youtube

Nova versão do Galaxy dobrável parece ter emagrecido e ficado com bordas fininhas — Foto: Reprodução/Youtube

Ainda sem nome confirmado, o smartphone com tela flexível da Samsung está entre os lançamentos mais aguardados dessa nova febre. A razão é simples: entre rumores, boatos e passos em falso, a Samsung trabalha com a ideia há anos.

Em novembro, uma demonstração de um protótipo funcional expôs um celular que oferece uma tela grande que dobra sobre si mesma, como se fosse um livro. Há ainda um segundo display menor. O design é mais complexo que o do Flexpai e aposta num tipo de uso diferente, em que a tela dobrada deixa de ser visível ao usuário.

Embora o experimento exibido no palco fosse completamente funcional, alguns traços de design parecem ter sido revistos: um recente vazamento da Samsung do Vietnã mostra uma versão mais bem resolvida do Galaxy F em ação, com destaque para o design mais fino e para a tela rodeada de bordas mais discretas.

Samsung dobrável apareceu em novembro num protótipo que não tinha as linhas mais leves do modelo vazado — Foto: Reprodução/YouTube Samsung dobrável apareceu em novembro num protótipo que não tinha as linhas mais leves do modelo vazado — Foto: Reprodução/YouTube

Samsung dobrável apareceu em novembro num protótipo que não tinha as linhas mais leves do modelo vazado — Foto: Reprodução/YouTube

Pouco se sabe das especificações. Os únicos dados confirmados pela Samsung na apresentação de novembro foram referentes à tecnologia de tela, que será AMOLED, e as resoluções do display: no modo pequenino, a tela teria uma resolução de 1960 x 840 pixels, totalizando uma densidade de 420 pixels por polegada (ppi). Estendido, o display assumiria 7,3 polegadas e cobriria 2152 x 1536 pixels, no formato 4,2:3, lembrando um tablet.

Aposta-se que o Galaxy F vai ser um aparelho caro, custando algo na casa dos R$ 1.770 (R$ 6.580).

Xiaomi

Xiaomi aposta em design diferente com dois pontos de dobra — Foto: Reprodução / Xiaomi Xiaomi aposta em design diferente com dois pontos de dobra — Foto: Reprodução / Xiaomi

Xiaomi aposta em design diferente com dois pontos de dobra — Foto: Reprodução / Xiaomi

A aposta da Xiaomi é interessante porque vai por um outro caminho e aposta num design que tem dois pontos de dobra. A marca postou um vídeo na rede social Weibo – muito popular na China – em que mostra um protótipo funcional com tela nos modos dobrado e estendido. Na postagem é possível ver a abertura de apps e navegação pela interface.

O design com dois pontos de dobra dá uma vantagem frente ao que já se viu de Royole e Samsung: a divisão da tela em três partes faz do Xiaomi um celular mais simétrico e torna a transição de tela estendida para dobrada mais harmônica.

A marca trabalha com nomes em potencial para o produto: Mi Dual Flex ou Mi Mix Flex. Estes são alguns palpites, embora o CEO da companhia, Bin Lin, tenha encorajado fãs de sugerir outros.

Embora o vídeo mostre um produto que parece bem avançado no desenvolvimento, a Xiaomi não detalhou quando pretende colocar o celular no mercado. Outras informações sobre as especificações técnicas também não foram reveladas até o momento.

Motorola Razr V3

Motorola RAZR V3 pode voltar com tela flexível — Foto: Divulgação/Motorola Motorola RAZR V3 pode voltar com tela flexível — Foto: Divulgação/Motorola

Motorola RAZR V3 pode voltar com tela flexível — Foto: Divulgação/Motorola

A linha Motorola Razr é marcante da era anterior ao touchscreen e pode ganhar uma nova vida com o surgimento da tecnologia de displays dobráveis. Aliás, ela combinaria muito bem com a história dos antigos modelos Razr V3, que sempre foram “dobráveis”.

Uma patente recente da Motorola deu pistas do desenvolvimento de um smartphone que assumiria formas parecidas com um Razer clássico. Entretanto, em vez da tela pequena e do teclado físico dos anos 2000, o consumidor encontraria uma tela dobrável no interior do celular assim que o abrisse para uso.

Além disso, uma reportagem do Wall Street Journal mostrou os planos da marca para um possível lançamento em fevereiro com preço sugerido de US$ 1.500 (R$ 5.580).

Huawei

Convite da Huawei para a MWC 2019 parece indicar a silhueta do aparelho flexível da marca — Foto: Divulgação/Huawei Convite da Huawei para a MWC 2019 parece indicar a silhueta do aparelho flexível da marca — Foto: Divulgação/Huawei

Convite da Huawei para a MWC 2019 parece indicar a silhueta do aparelho flexível da marca — Foto: Divulgação/Huawei

Segunda maior fabricante de celulares do mundo, a Huawei também tem sua cota de rumores acerca do desenvolvimento de smartphones dobráveis.

O CEO Richard Yu chegou a declarar que a companhia se prepara para lançar um celular com tela dobrável e redes 5G ainda em 2019 e que deve demonstrar o aparelho na MWC. Entretanto, de lá para cá, nenhuma nova informação – ou vazamento – surgiu sobre o produto.

Outras marcas

LG, Oppo e Sony são as demais fabricantes que surgem como potenciais interessadas em embarcar na onda do celular dobrável ainda em 2019. Entretanto, as informações são ainda mais escassas e, no caso de Oppo e Sony, partem de declarações esparsas e rumores que circulam na rede.

A aposta na LG tem mais substância porque um boato em 2018 apontava para um possível LG flexível na CES 2019, que ocorreu em janeiro. A fabricante sul-coreana não mostrou celular que dobra, mas sim a TV com tela enrolável, confirmando que a marca domina aspectos essenciais da tecnologia.

Mais do TechTudo