Redes sociais

Por Adriano Ferreira, para o TechTudo


Um novo golpe usa atualizações de segurança falsas do WhatsApp para roubar dados bancários de usuários. A fraude, que é disseminada em aplicativos enganosos na Google Play Store, utiliza páginas clonadas de bancos com o objetivo de interceptar senhas, tokens e credenciais bancárias por meio de um link malicioso. A ação do malware, programa que tem intenções danosas, é capaz de acessar o celular das vítimas em tempo real. Em um período de 30 dias de monitoramento, mais de 10 mil pessoas foram afetadas no Brasil. O golpe foi encontrado pela dfndr lab, laboratório da PSafe especializado em cibersegurança, na última semana.

Golpe usa atualizações falsas do WhatsApp para roubar dados bancários  — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo Golpe usa atualizações falsas do WhatsApp para roubar dados bancários  — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Golpe usa atualizações falsas do WhatsApp para roubar dados bancários — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Os malwares estão disponíveis para download como uma suposta atualização do WhatsApp, na própria loja oficial de apps do Google, a Play Store. Após instalar o aplicativo, a ferramenta maliciosa solicita a permissão de acessibilidade ao usuário – mas, posteriormente, consegue outros acessos adicionais de maneira oculta e automática. Depois de conceder as permissões necessárias, a vítima visualiza uma mensagem sobre a conclusão da suposta atualização.

Em falsa atualização golpe do WhatsApp clona telas bancárias — Foto: Reprodução/Techtudo. Editado por Adriano Ferreira Em falsa atualização golpe do WhatsApp clona telas bancárias — Foto: Reprodução/Techtudo. Editado por Adriano Ferreira

Em falsa atualização golpe do WhatsApp clona telas bancárias — Foto: Reprodução/Techtudo. Editado por Adriano Ferreira

O programa, então, passa a monitorar as atividades do smartphone. Quando o usuário abre algum aplicativo de banco, o malware instantaneamente exibe uma página falsa na tela, com características visuais idênticas à verdadeira. Com isso, o software criminoso captura em tempo real o display do aparelho e transmite as informações para os criminosos, além de permitir que eles interajam com o dispositivo da vítima de forma remota.

A dfndr lab alerta que o maior perigo é que o ícone do aplicativo fica oculto no smartphone – o que dificulta a desinstalação do programa malicioso. De acordo com a equipe do laboratório, este é um dos malwares mais prejudiciais já desenvolvidos, por conta da invisibilidade do app.

WhatsApp: cinco dicas para usar o app com segurança

WhatsApp: cinco dicas para usar o app com segurança

Como se proteger

É preciso tomar cuidado ao baixar aplicativos. É importante verificar se o desenvolvedor do app é o oficial da marca – neste caso, o WhatsApp Inc. Caso não seja da mesma empresa, é muito provável que se trata de um golpe. Verificar links antes de decidir clicar sobre ele é uma ação que pode evitar as fraudes. Em casos de promoções envolvendo empresas, basta acessar o site oficial da marca usando o navegador web para confirmar a veracidade da campanha.

Vale lembrar que ferramentas mal-intencionadas se aproveitam da grande base de usuários do WhatsApp, que é o aplicativo mais popular do mundo, para ter mais alcance e afetar mais pessoas. Golpes propagados pelo mensageiro têm sido comuns. Recentemente, por exemplo, cibercriminosos espalharam pelo app uma mensagem que prometia diamantes grátis no Free Fire Battlegrounds para induzir usuários a se inscreverem em canais do YouTube. Houve também uma página falsa que se passava por marcas de cosméticos para roubar dados pessoais. Já em outro caso de desvio de informações, a promessa era de vagas de emprego nas empresas Cacau Show e Havan e no Samu.

WhatsApp: qual função ainda falta no app? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo