Telefonia

Por Bruno de Blasi, da redação


Contratar um plano de celular pode ir além de escolher os melhores preços e franquias. Atualmente, no Brasil, as operadoras oferecem três modalidades de serviço: pré-pago, pós-pago e controle. Cada uma delas conta com características próprias que podem impactar tanto no custo final quanto nas ofertas, benefícios e serviços oferecidos. O TechTudo te mostra, nas linhas a seguir, as diferenças entre os planos.

Relembre os celulares que marcaram 2018

Relembre os celulares que marcaram 2018

O que é pré-pago: entenda a opção mais barata

O plano pré-pago é a opção mais econômica e flexível, uma vez que não há faturas ou vínculos fixos com a operadora, diferentemente do que ocorre com o pós-pago e o controle. Para ter Internet, enviar mensagens, fazer ligações e usar outros serviços, o cliente precisa fazer uma recarga. Ou seja, é gasto apenas aquele saldo que é creditado com antecedência pelo consumidor.

O valor dos créditos varia de acordo com a vontade do cliente ou da oferta em vigência. Há ainda o período de validade, que é renovado sempre que uma nova recarga é feita. Estes créditos podem ser adquiridos tanto em lojas físicas, como bancas de jornais e farmácias, quanto em plataformas digitais, como o site da empresa de telefonia ou o internet banking.

A modalidade pré-paga chama a atenção pelos planos diários, semanais, quinzenais e mensais, entre outros períodos de duração de franquias oferecidas pelas operadoras. A vantagem é a economia e a capacidade de ser cobrado apenas quando faz uso do telefone. Essas ofertas, porém, costumam incluir franquias menores de internet e minutos de ligações, tornando mais complicada a vida do consumidor.

Vale lembrar que, segundo a Anatel, planos pré-pago são incompatíveis com a fidelização. Sendo assim, você pode fazer portabilidade ou cancelar a sua linha à vontade – sem o risco de multas.

O que é pós-pago: contratos costumam durar 12 meses

As opções pós-pagas podem ser uma boa alternativa para quem faz uso contínuo do celular. A modalidade traz um leque mais variado, com mais limite de Internet e, na maioria dos casos, pacotes de minutos e mensagens ilimitados para qualquer operadora do Brasil.

Apesar dessa facilidade, os benefícios podem sair mais caro. Além disso, eles são cobrados em contas mensais. Ou seja, os minutos e franquia de internet são válidos apenas durante o ciclo de faturamento e renovados no mês seguinte, exceto se a operadora sinalizar alguma regra diferente. Isto faz com que o saldo residual de minutos, mensagens ou internet estejam disponíveis como uma espécie de extra no próximo mês.

Outra facilidade está na aquisição de demais serviços, franquias extras ou pacotes de roaming sem a necessidade de colocar créditos no celular. Mas fique atento: estes serviços podem trazer cobranças adicionais na fatura do mês em exercício.

Diferentemente do pré-pago, as linhas pós-pagas podem ser fidelizadas por até 12 meses. A Anatel lembra que a renovação automática do contrato é proibida.

Cartilha da Anatel mostra a diferença entre os planos — Foto: Reprodução / Anatel

O que é plano controle: um misto dos dois

O plano controle traz uma fórmula meio a meio: o cliente paga um valor fixo por mês e recebe uma franquia mensal de ligações, SMS e Internet, a depender do pacote escolhido. Esta é uma boa opção para quem busca um plano mais completo sem gastar muito.

O funcionamento é bastante similar ao pós-pago, mas há algumas particularidades a serem observadas. Todo mês, uma fatura é emitida com o valor do plano. Caso o cliente ultrapasse a franquia de minutos, internet ou mensagens, ele não terá cobranças extras, mas pode perder o acesso a estes serviços. Para retomá-los, é preciso aguardar a renovação do ciclo de pagamento ou adicionar créditos, assim como acontece no pré-pago.

A fatura deve ser proporcional aos dias utilizados, apesar do valor fixo. Por exemplo, se o cliente solicitar o cancelamento do plano com apenas 15 dias de uso, a operadora deve cobrar apenas esse período, e não o ciclo completo. A mesma regra vigora nos planos pós.

O consumidor deve se atentar ao contrato durante a aquisição do serviço porque a modalidade controle também é compatível com a fidelização de 12 meses, caso haja algum benefício em troca – descontos em planos ou celulares, por exemplo.

Via Anatel

Relembre os celulares que marcaram 2018

Relembre os celulares que marcaram 2018

Mais do TechTudo