Por Marcelo Villela, para o TechTudo


O metagame de Hearthstone foi reformulado após os nerfs da expansão "O Ringue do Rastakhan, que chegou ao jogo no final de 2018. Com isso, alguns decks de cartas sofreram alterações e outros se mantiveram no topo do formato Padrão. Confira, a seguir, as melhores classes pós-nerf para você jogar.

Hearthstone é um card game da Blizzard disponível para download grátis no PC e celulares Android e iOS (iPhone). O jogo é um dos nomes mais populares do cenário competitivo atual e ganhou fama por expandir a história do Warcraft para o universo das cartas.

Hearthstone - 8 jogadores que dão dicas para montar decks melhores — Foto: Divulgação/Blizzard

Tier 1

Paladino Ímpar/Par

Apesar dos nerfs recentes, os Paladinos Ímpar e Par são escolhas fortes no modo Padrão — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Além do Druida, o Paladino foi a classe que mais sofreu com os nerfs da nova expansão. No entanto, há uma versão de Paladino Ímpar que tem o winrate alto o suficiente para ser considerado Tier 1 e 2 (a posição varia de acordo com o seu rank no jogo). O deck agora é mais agressivo, ou seja, o foco em buffar os lacaios diminuiu e deu lugar a estratégia de focar no herói inimigo.

Os dois arquétipos de Paladino estão fortes no meta atual graças ao custo do poder heroico. Os baralhos conseguem dominar a mesa com Recrutas do Punho de Prata e são capazes de realizar outros movimentos devido ao hero power barato.

Sacerdote Controle

O deck encontrou dificuldades para se adaptar ao meta novo. Apesar de ver jogo, o baralho não obtia resultados excelentes. No entanto, após algumas mudanças, o Sacerdote Controle passou a ser uma das opções com maior winrate e playrates do competitivo. Assim como outros arquétipos do tipo "Control", esse modelo busca acabar com a mesa do oponente e esgotar os seus recursos.

Alexstrasza é uma carta recorrente em baralhos de Sacerdote Controle — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Tier 2

Caçador de Segredos e Caçador de Feitiços

Apesar de utilizarem estratégias diferentes, ambos os decks estão fortes por causa da carta Zul'jin, que permite ao jogador conjurar novamente todos os feitiços lançados ao longo da partida. No Caçador de Segredos, o player acumula ainda mais segredos. Já no Caçador de Feitiços, o objetivo gira em torno de encher sua mesa de lacaios quando o seu oponente já estiver sem cartas de remoção. Os baralhos estão entre os mais poderosos do jogo.

Zul'jin se tornou uma importante e poderosa carta nos baralhos Caçador de Segredos e Caçador de Feitiços — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Bruxo Par

Esse deck não foi tão afetado pela nova expansão e manteve domínio nas ranqueadas. A estratégia aqui consiste em comprar os lacaios necessários para finalizar o oponente. Além disso, pela sua utilidade, essa é uma boa opção para contornar decks agressivos como o Paladino Ímpar.

O jogador precisa dominar o poder heroico do Bruxo para aproveitar ao máximo esse baralho — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Ladino Ímpar

O baralho tem um ritmo acelerado que permite ao jogador realizar ataques poderosos em pouco tempo. O objetivo aqui é focar no herói inimigo e guardar as cartas de remoção para lidar com lacaios poderosos.

Algumas versões do Ladino Ímpar utilizam o Leeroy Jenkis como um finalizador — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Xamã Par

Esse arquétipo se tornou o principal da classe Xamã. Suas cartas dão ao deck um modelo híbrido: é agressivo e ao mesmo tempo de controle. Há lacaios o suficiente para pressionar no início do game, mas o objetivo principal é finalizar o oponente no late game com Kalimos ou Hagatha.

Kalimos é uma adição interessante ao baralho devido ao seu Grito de Guerra — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Paladino OTK

Cartas como Shirvallah, o Tigre e o Sumo Sacerdote Thekal chegaram para dar um gás ao deck. As adições dão ao Paladino OTK mais tempo de vida, o que torna o objetivo do baralho ainda mais fácil. Para vencer, o jogador deve usar o Uther da Lâmina de Ébano para acumular cavaleiros e derrotar o oponente.

Uther da Lâmina de Ébano é a carta chave para o Paladino OTK funcionar com maestria — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Tier 3

Big Spell Mage

Apesar do baralho contar com novas cartas, ele ainda é muito situacional. O Big Spell Mage é forte contra oponentes agressivos, mas apenas se o jogador conseguir comprar as remoções no momento certo. Esse é uma espécie de deck controle, pois passará a maior parte da partida gastando feitiços para conter o ataque do adversário.

Além dos feitiços de remoção, o deck ainda conta com a Jaina, a Lich do Gelo para controlar a partida — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Bruxo Zoo

O Bruxo Zoo é um dos decks mais populares do Hearthstone. Sua estratégia é bem simples: jogar lacaios de custo baixo e focar no herói inimigo. Para isso, o jogador deve dominar o poder heroico da classe e manter sempre a mão cheia, visto que não há tempo de jogar em torno da mesa do oponente. Vale ressaltar que há outras versões do Bruxo Zoo.

Por ter um corpo forte no early game, o Diabrete das Chamas é indispensável no Zoolock — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Mago Ímpar

O deck ganhou um fôlego após a adição da carta Jan'alai, o Falcodrago. A estratégia gira em torno do seu poder heroico, que funcionará como uma ferramenta de remoção ao longo da partida. No turno sete, com sorte, o jogador pode lançar o Jan'alai. No entanto, caso você utilize sua condição de vitória cedo demais, o jogo pode virar a favor do herói inimigo.

Jan'alai, o Falcodrago é utilizado em algumas versões do Mago Ímpar como opção para controlar a mesa — Foto: Reprodução/Marcelo Villela

Mais do TechTudo