Jogos de ação

Por Lucas Batista, para o TechTudo


Counter-Strike: Condition Zero é um jogo de tiro em primeira pessoa lançado em 23 de março de 2004 pela Valve. Disponível para download na Steam, o game é uma sequência do clássico Counter-Strike. Com poucas melhorias mecânicas e gráficas, o diferencial está na adição de um modo para apenas um jogador, algo inédito nos outros jogos da franquia. Lançado menos de um ano após a última atualização do CS 1.6, foi construído para consolidar Counter-Strike como um jogo independente, já que o primeiro título era apenas um mod de Half-Life. Relembre, a seguir, a trajetória do game.

No Condition Zero, as equipes também são divididas entre Terroristas e Contra-Terroristas — Foto: Divulgação/Steam No Condition Zero, as equipes também são divididas entre Terroristas e Contra-Terroristas — Foto: Divulgação/Steam

No Condition Zero, as equipes também são divididas entre Terroristas e Contra-Terroristas — Foto: Divulgação/Steam

Novos modos de jogo na franquia

O jogo possui todas as modalidades do primeiro Counter-Strike, mas com algumas melhorias gráficas e mapas acrescentados. A jogabilidade no modo online continua a mesma, com dois times separados em Terroristas e Contra-Terroristas lutando por objetivos. Também há os modos Refém, em que o time Terrorista mantém um NPC (personagem não-jogável) em seu local de spawn e o Contra-Terrorista busca resgatá-lo, e o tradicional modo Detonação. Todos eles permaneceram na franquia.

A diferença, porém, fica por conta do modo singleplayer, o Tour of Duty. Nele o jogador pode escolher um dos mapas do modo multiplayer para jogar como Contra-Terrorista enquanto surgem bots Terroristas como adversários. Round a round aparecem novos objetivos, que podem ir desde defender locais de bomba, resgatar reféns ou somente eliminar adversários em um curto período de tempo. Há a possibilidade de colocar bots aliados na partida. Conforme o jogador progride, a dificuldade dos rounds aumenta.

Counter-Strike: Condition Zero possui missões singleplayer, ao contrário de outros jogos da franquia — Foto: Divulgação/Steam Counter-Strike: Condition Zero possui missões singleplayer, ao contrário de outros jogos da franquia — Foto: Divulgação/Steam

Counter-Strike: Condition Zero possui missões singleplayer, ao contrário de outros jogos da franquia — Foto: Divulgação/Steam

Inicialmente a produção do game foi entregue a Rogue Entertainment, que acabou falindo. Com isso, a Gearbox Software e a Ritual Entertainment assumiram o desenvolvimento, mas não o concluíram. Coube a Valve finalizá-lo, e a empresa reaproveitou o que foi produzido como um modo de jogo adicional, o Deleted Scenes. Nele há uma campanha linear, similar a de outros jogos FPS. Os cenários serviram como base para alguns mapas do multiplayer, sendo esses os acrescidos em relação ao primeiro Counter-Strike. Nenhum dos modos singleplayer continuaram na franquia e foram eliminados do Counter-Strike Source e Counter-Strike: Global Offensive.

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Popularidade do game

Counter-Strike: Condition Zero, apesar de não ter superado o sucesso de seu antecessor, marcou época. Segundo o site SteamSpy, aproximadamente 10 milhões de usuários da Steam compraram o game. O jogo teve nota média de 8.7 segundo o Metacritic nas avaliações dos usuários para o site, abaixo do Counter-Strike 1.6, que ficou com 8.8.

Por mais que o game fosse similar em seu modo online ao seu antecessor, contava com servidores separados, o que fazia com que o dono de um dos dois games não jogasse com quem tinha o outro. Isso dividiu a base de jogadores, e a maioria permaneceu no CS 1.6, que se mantém popular até hoje. Além disso, os campeonatos não migraram para o Condition Zero, o que prejudicou o game e o deixou em segundo plano.

O game possui mapas originais com cenários variados — Foto: Divulgação/Steam O game possui mapas originais com cenários variados — Foto: Divulgação/Steam

O game possui mapas originais com cenários variados — Foto: Divulgação/Steam

Mais do TechTudo