Placas

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A AMD tem duas grandes linhas de processadores: os modelos sem gráficos integrados da linha Ryzen e aqueles que, por possuírem placa de vídeo embutida, são chamados pela fabricante de “APUs” (sigla, em inglês, para “unidade de processamento acelerada). Uma característica interessante sobre esses produtos é que, em ambos, o consumidor encontra bom custo-benefício para montar um PC gamer barato.

A seguir, entenda as diferenças entre as linhas de processadores Ryzen e as APUs da AMD e descubra qual é melhor para você.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

APUs são processadores da AMD que unem CPU e GPU no mesmo pacote — Foto: Divulgação/AMD APUs são processadores da AMD que unem CPU e GPU no mesmo pacote — Foto: Divulgação/AMD

APUs são processadores da AMD que unem CPU e GPU no mesmo pacote — Foto: Divulgação/AMD

APUs e processadores AMD

O termo “APU” é usado pela AMD para classificar seus processadores com GPU integrada e que são capazes de controlar sozinhos um monitor. Por outro lado, os processadores Ryzen da AMD são chips mais convencionais e que, sem hardware específico para vídeo, acabam exigindo o uso de uma placa gráfica dedicada no computador.

Essa diferença faz com que as APUs sejam, no geral, mais baratas, mas tenham limites de desempenho. Os processadores podem ser bem mais rápidos, porém custam mais caro e exigem gastos extras com placas de vídeo.

Como diferenciar

Ryzen 5 2400G com gráficos Radeon Vega é a APU mais poderosa da atualidade — Foto: Divulgação/AMD Ryzen 5 2400G com gráficos Radeon Vega é a APU mais poderosa da atualidade — Foto: Divulgação/AMD

Ryzen 5 2400G com gráficos Radeon Vega é a APU mais poderosa da atualidade — Foto: Divulgação/AMD

Em geral, as APUs da AMD incluem a chamada série A, como A12, A10 e A6, por exemplo. A esses produtos somam-se ainda os Athlon – APUs de baixo custo que disputam com os Celeron da Intel –, além de alguns modelos Ryzen. Esse últimos modelos utilizam uma nomenclatura com a letra “G” para sinalizar a presença de um processador gráfico embutido no pacote. Os Ryzen 3 2200G e Ryzen 5 2400G, por exemplo, fazem parte da linha de processadores da AMD com placa de vídeo integrada.

APU é melhor para quem?

O Ryzen 5 2400G é a APU mais rápida da atualidade, equipada com quatro núcleos de processamento e capaz de atingir velocidades de 3,6 GHz a 3,9 GHz, além de vir com uma GPU Radeon Vega de 11 núcleos. Testes e benchmarks mostram que esse conjunto oferece uma performance gráfica três vezes superior à Intel UHD Graphics 630, disponível na grande maioria das CPUs da Intel.

A performance gráfica desse processador é equiparável à de uma Radeon RX 550 e vai habilitar o sistema para jogos em resolução HD (720p) sem muitas dificuldades. Fácil de encontrar no Brasil, o Ryzen 5 2400G tem preço na faixa dos R$ 750.

Vantagens

A grande vantagem de uma APU é o preço. Enquanto esse tipo de produto custa cerca de R$ 750, um processador Ryzen 2600 sem placa de vídeo integrada, por exemplo, custa algo na faixa de R$ 850. Considerando que o investimento em uma placa de vídeo será obrigatório, não resta dúvida que a APU Ryzen 5 2400G é uma alternativa de melhor custo-benefício para quem pretende gastar menos e se satisfaz com uma janela de desempenho mais limitada.

Ryzen 5 2400G tem performance gráfica similar à Radeon RX 550 — Foto: Divulgação/Sapphire Ryzen 5 2400G tem performance gráfica similar à Radeon RX 550 — Foto: Divulgação/Sapphire

Ryzen 5 2400G tem performance gráfica similar à Radeon RX 550 — Foto: Divulgação/Sapphire

Desvantagens

O Ryzen 5 2400G não faz feio como um processador e placa de vídeo mais básicos. Entretanto, as especificações técnicas do chip podem decepcionar quem costuma exigir mais do computador ou jogar a resoluções mais altas, como o Full HD. A primeira limitação aparente é o fato do Ryzen 5 2400G ser apenas quad-core.

Outra limitação da APU está no fato de que essa APU controla apenas PCIe 8x. Na prática, isso significa que seu sistema deve impor gargalos de performance, mesmo que o usuário acabe investindo em placa de vídeo dedicada depois. As oito vias do PCIe vão restringir a velocidade de troca de informações entre a placa nova e o restante do computador.

Processador é melhor para quem?

Ryzen sem gráficos integrados podem garantir mais performance, mas serão mais caros — Foto: Divulgação/amd Ryzen sem gráficos integrados podem garantir mais performance, mas serão mais caros — Foto: Divulgação/amd

Ryzen sem gráficos integrados podem garantir mais performance, mas serão mais caros — Foto: Divulgação/amd

Os processadores da AMD podem aparecer em diversas faixas de preço e com especificações bem diferentes, repetindo a variedade que o consumidor encontra na linha de APUs. Entretanto, como são destinados a aplicações que exigem mais performance, esses produtos tendem a ser mais caros. Dessa forma, não faz sentido comparar o processador Ryzen mais poderoso com a APU mencionada anteriormente. Por isso, optamos pelo Ryzen 5 2600 – note a ausência da letra “G”, sinalizando a falta de processamento gráfico integrado no modelo.

Vantagens

O processador Ryzen sem gráficos integrados pode ser uma escolha melhor para o usuário que está em processo de upgrade e já possui uma placa de vídeo, ou para quem prefere gastar mais para atingir um nível de desempenho e fidelidade gráfica inalcançáveis pelas APUs. Ao usar um processador mais robusto, com mais vias PCIe e uma placa dedicada melhor, é possível rodar games em resoluções bem mais altas e a níveis de qualidade superiores. Além disso, uma placa gráfica específica abre espaço para aplicações de realidade virtual, dependendo do quanto você pode investir.

Mesmo placas intermediárias, como a GTX 1660 e 1660 Ti, custam caro perto de uma APU — Foto: Divulgação/EVGA Mesmo placas intermediárias, como a GTX 1660 e 1660 Ti, custam caro perto de uma APU — Foto: Divulgação/EVGA

Mesmo placas intermediárias, como a GTX 1660 e 1660 Ti, custam caro perto de uma APU — Foto: Divulgação/EVGA

Desvantagens

O primeiro ponto importante a considerar ao investir em um processador AMD sem gráficos integrados é o custo, já que, em geral, esses chips são mais caros. Há modelos Ryzen sem GPU, da geração anterior ou da linha Ryzen 3, a preços mais em conta, embora seja preciso abrir mão de performance.

Além disso, será necessário adquirir uma placa de vídeo por fora. Por exemplo, uma Radeon RX 560, modelo entrada para esports e com performance superior à GPU do Ryzen 5 2400G, não sai por menos de R$ 550. Considerando ainda o investimento de R$ 900 em Ryzen 5 2600, o valor final desse combo ultrapasssa R$ 1.450 com facilidade. Se você preferir uma placa um pouco melhor, como a GTX 1050 da Nvidia, o total sobe para cerca de R$ 1.600.

Conclusão

Não há uma receita que agrade a todos, mas há perfis que encaixam melhor em cada uma das alternativas. Se seu interesse em jogos é mais passageiro e casual e o computador servirá para uso doméstico, uma APU da AMD não deve decepcionar. Além disso, o produto é uma boa escolha para os chamados HTPCs, computadores dedicados a entretenimento, em geral, ligados a televisores e destinados à reprodução de vídeo e áudio via streaming.

Pensar em um processador dedicado é interessante para quem prefere mais desempenho, mas está ciente de que os gastos serão maiores. Um processador Ryzen intermediário, como o Ryzen 5 2600 usado da comparação de preços, combinado a uma placa gráfica que garanta alta performance irá gerar um custo bem maior.

Qual é a melhor placa de vídeo barata? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo