Por Felipe Vinha, para o TechTudo


Assassins Creed Odyssey está disponível no PS4, Xbox One e PC, mas ficou ainda maior a partir do lançamento da expansão O Destino de Atlântida, que traz uma nova história, conteúdo inédito e ainda mais criaturas místicas e mágicas ao game. O DLC foi lançado pela Ubisoft em 23 de abril, como parte de seu Passe de Temporada e também em modo episódico, como um segundo arco da história completa – que se iniciou no primeiro DLC, Legado da Primeira Lâmina. Confira os detalhes:

O que muda na expansão?

O Destino de Atlântida é uma expansão que mantém toda a jogabilidade original de Assassin’s Creed Odyssey, mas apresenta ambientes 100% novos em relação ao jogo base. O que muda, de fato, é o cenário. As ilhas gregas dão lugar a cidades submersas e ambientes de exploração aquáticos, mas sem necessariamente envolver mecânica de nado.

O Destino de Atlântida te leva aos domínios de Perséfone e a áreas submersas — Foto: Divulgação/Ubisoft

A história, porém, começa no mesmo ambiente da história principal, em uma área nova chamada de Campos de Elísio, e se desenvolve até apresentar os outros ambientes, mais focados em Atlântida. A ideia é que tudo flua naturalmente, enquanto o jogador é convidado a explorar os cenários do domínio da deusa Perséfone.

Outras novidades

Assassin’s Creed Odyssey expande bastante com Destino de Atlântida, pois ele se passa quase todo no Submundo, ainda que seja uma área bem bonita e interessante de se explorar. A principal novidade está em volta apenas dos novos cenários, então não há nada realmente inédito para os controles.

Cenários são deslumbrantes em O Destino de Atlântida — Foto: Divulgação/Ubisoft

Contudo, o jogador ganha habilidade de se teleportar pelo cenário em alguns pontos, por meio de acessos especiais, que só podem ser usados dentro do DLC. Uma parte do Olimpo também pode ser vista, mas não em detalhes.

Quem pode jogar?

Para jogar o Destino de Atlântida é preciso cumprir dois requisitos: ter, pelo menos, nível 28 para seu personagem principal e ter cumprido a missão Entre Dois Mundos, que é opcional para a campanha principal, mas obrigatória para iniciar o DLC.

O Destino de Atlântida tem conteúdo vasto de exploração, mas não muda jogabilidade — Foto: Divulgação/Ubisoft

Assim sendo, é adequado que o jogador só entre em Destino de Atlântida após ter concluído boa parte do game principal, isso se não for melhor aconselhável terminar a campanha primeiro, pois um nível maior garantirá resultados mais eficazes nos combates.

Como acessar?

O acesso de O Destino de Atlântida fica no menu de pause do jogo, ou no menu inicial, com a opção correspondente. Mas, vale lembrar, o acesso só é liberado se você cumpriu os requisitos, mesmo que tenha comprado a expansão.

O Destino de Atlântida pode ser jogado por usuários avançados na campanha — Foto: Divulgação/Ubisoft

Vale a pena?

No geral, O Destino de Atlântida é um deleite visual e este é seu principal mérito. Assassin’s Creed Odyssey já é um jogo bom o suficiente para se garantir sem suas DLCs, mas nesta daqui vemos que o game pode ir além, com elementos de fantasia e visuais que realmente impressionam – principalmente se utilizado em consoles mais potentes.

A história de O Destino de Atlântida não é obrigatória — Foto: Divulgação/Ubisoft

Contudo, como todo DLC da série, nada aqui é obrigatório ou tem reflexos na história principal. O Destino de Atlântida não te faz perder nada se você não jogá-lo. Então, no fim das contas, só vale para quem quer continuar curtindo o mais recente jogo da saga da Ubisoft.

Mais do TechTudo