Produtividade

Por Maria Dias, para o TechTudo


Os cartões de crédito virtuais, assim como digitais, estão cada vez mais populares no Brasil. Empresas como Nubank, Itaú e Banco do Brasil já apostam na tecnologia, que promete transações online mais seguras aos usuários. No entanto, como a solução é recente no país, é normal que o público tenha dúvidas sobre o seu funcionamento e vantagens oferecidas. Para ajudar, o TechTudo responde a seguir as principais dúvidas sobre os cartões virtuais. Vale lembrar que os serviços funcionam em aplicativos disponíveis para celulares Android e iPhone (iOS).

Cartão de crédito virtual é mais seguro que o tradicional; entenda o seu funcionamento — Foto: Reprodução/Pond5 Cartão de crédito virtual é mais seguro que o tradicional; entenda o seu funcionamento — Foto: Reprodução/Pond5

Cartão de crédito virtual é mais seguro que o tradicional; entenda o seu funcionamento — Foto: Reprodução/Pond5

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Quais bancos oferecem o cartão virtual no Brasil?

Os cartões virtuais ainda são uma novidade no Brasil, introduzidos recentemente como produtos das instituições financeiras e, por isso, não são todos os bancos que oferecem o serviço. Entre as empresas que já trabalham com cartão virtuais estão o Nubank, Itaú, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco (para correntistas com cartão de crédito Elo), Santander e PayPal.

2. O que é um cartão de crédito virtual?

De forma geral, o cartão de crédito virtual é uma forma mais segura de realizar transações na Internet. O serviço pode ser solicitado por meio do aplicativo de sua instituição bancária, desde que ela ofereça a tecnologia.

O diferencial do cartão virtual para o cartão físico é a sua numeração temporária de identificação e do código de segurança. Ao gerá-lo, o usuário tem uma janela de tempo específica para utilizá-lo, o que aumenta sua segurança contra golpes em ambientes online. Após expirar, o cartão virtual não poderá ser usado novamente e, caso o usuário queira realizar uma nova compra online por meio do serviço, deverá solicitar um novo cartão virtual. Vale destacar que o serviço não substitui a versão física e só pode ser usado para efetuar pagamentos online.

Cada banco oferece diferentes funcionalidades e normas atreladas ao uso do cartão virtual. No Banco Itaú, por exemplo, o cartão virtual vale por 48 horas depois de gerado e só pode ser utilizado para uma compra única. Seu limite e fatura são os mesmos do cartão físico ao qual está vinculado. Além disso, ele pode ser usado para realizar compras em sites brasileiros e do exterior.

Itaú oferece cartão de crédito virtual para os seus clientes — Foto: Paulo Alves/TechTudo Itaú oferece cartão de crédito virtual para os seus clientes — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Itaú oferece cartão de crédito virtual para os seus clientes — Foto: Paulo Alves/TechTudo

A instituição também não recomenda que o usuário utilize o cartão virtual para compras que exijam uma posterior apresentação do mesmo para leitura de tarja ou identificação (como geralmente ocorre na compra de ingressos). Também não é recomendado utilizar o cartão para a compra de serviços de assinatura, pois como ele serve para uma compra única, não será possível apresentá-lo ou renovar pagamentos.

No Banco do Brasil, o usuário também gera o cartão virtual por meio do próprio aplicativo do banco. Seu uso, no entanto, é um pouco mais flexível: é possível escolher o limite do cartão (desde que não ultrapasse o limite do cartão físico), por quanto tempo ele ficará ativo, quantas transações poderão ser feitas e qual o valor máximo para cada uma delas. Também é permitido habilitar o cartão virtual para compras no exterior e as transações são lançadas na fatura do cartão principal. O usuário pode desativar o cartão quando desejar.

Diferente das instituições tradicionais, o Nubank oferece um modelo diferente de cartão virtual. Por considerar a geração de números temporários para os cartões virtuais uma prática burocrática, o banco optou por oferecer uma versão do produto com número fixo, porém diferente do cartão físico. Na prática, caso um cliente do Nubank queira solicitar um cartão virtual, ele receberá um segundo cartão de crédito dentro do aplicativo do banco, com número diferente do físico, mas que estará vinculado a ele em questões de limite e fatura.

Assim, caso o cliente tenha que cancelar seu cartão físico por algum motivo, terá a sua versão virtual para realizar suas compras. Também é possível deixá-lo cadastrado em serviços de assinatura ou sites de compras, por exemplo, já que seu número não é temporário.

O Nubank vai fechar as portas? Comente no Fórum TechTudo.

3. Como gerar um cartão virtual?

Antes de tudo, para gerar o cartão virtual é preciso verificar se a instituição bancária escolhida oferece o serviço. Caso ela ofereça, o usuário precisa ser titular de um cartão de crédito digital ou físico dessa mesma instituição. Na maioria dos casos, não é preciso estar com o cartão físico em mãos para gerar o seu número do virtual.

O processo para solicitá-lo pode variar entre os bancos, mas, de maneira geral, se resume aos seguintes passos: acessar o aplicativo oficial do banco desejado, solicitar a criação de um cartão virtual, escolher o cartão de crédito físico ao qual o virtual estará vinculado, utilizar a senha do cartão físico para concluir a geração do novo cartão e receber o seu número temporário para realizar compras online. Para utilizar o cartão virtual gerado não é preciso desbloqueá-lo. Assim que ele estiver disponível, o usuário pode realizar suas transações online.

4. Quais as diferenças entre o cartão digital e o cartão virtual?

É comum achar que cartão digital e cartão virtual são a mesma coisa, mas os produtos têm características e objetivos diferentes. O cartão virtual não existe fisicamente e, na maioria dos casos, é descartável, devido à sua numeração temporária. Ele só pode ser usado para um número específico de compras em ambiente online, o que, em tese, aumenta a segurança do usuário nesse tipo de situação.

O cartão digital é assim chamado pelo processo de abertura da conta de crédito, que é feita integralmente de forma online, em ambiente digital, mas que resulta em um cartão físico para uso. Sua principal peculiaridade é a facilidade com que pode ser contratado pelo usuário, que não precisa se locomover até as agências bancárias para solicitá-lo. Todas as ações relacionadas com o cartão também podem ser resolvidas ou consultadas por meio de aplicativos. A contratação de cartões digitais não cobra anuidade, o que fez com que o produto se tornasse uma febre nos últimos anos, principalmente entre o público jovem – como foi o caso do Nubank, precursor do cartão digital no Brasil em 2015.

Cartão virtual do Nubank funciona como um segundo cartão de crédito para o usuário\ — Foto: Barbara Mannara/TechTudo Cartão virtual do Nubank funciona como um segundo cartão de crédito para o usuário\ — Foto: Barbara Mannara/TechTudo

Cartão virtual do Nubank funciona como um segundo cartão de crédito para o usuário\ — Foto: Barbara Mannara/TechTudo

5. Como são pagas as faturas do cartão virtual?

Como dito anteriormente, o usuário obrigatoriamente deve possuir um cartão de crédito físico para gerar um cartão virtual. Portanto, as cobranças do cartão virtual virão junto com a fatura do cartão físico, que geralmente são enviadas via correspondência ou disponibilizadas nos sites e aplicativos dos bancos. Em alguns casos, como no do Banco Itaú, a identificação das compras com cartão virtual é feita por meio do símbolo “@” na fatura do cartão de crédito principal. O usuário pode pagá-las como quiser, por meio do site ou aplicativo do banco ou em agências bancárias.

Mais do TechTudo