Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Anunciado em janeiro de 2019, o Meizu Zero foi apresentado pela marca chinesa como o “primeiro celular do mundo sem furos”: sem botões físicos, nenhuma interface e com foco num futuro completamente sem fio, o Zero chamou a atenção na Internet e chegou a ser proposto como um projeto de financiamento coletivo no Indiegogo. A campanha ficou bem longe da meta de arrecadação e serviu apenas para reforçar a polêmica em torno do produto. Recentemente, o CEO Jack Wong disse num fórum que, na verdade, o Meizu Zero era uma jogada de marketing.

Zero não tem botões e entradas para uma experiência completamente livre de fios e cabos — Foto: Divulgação/Meizu Zero não tem botões e entradas para uma experiência completamente livre de fios e cabos — Foto: Divulgação/Meizu

Zero não tem botões e entradas para uma experiência completamente livre de fios e cabos — Foto: Divulgação/Meizu

O executivo explicou que a ideia de apresentar o celular e colocá-lo numa campanha de financiamento coletivo “era apenas a equipe de marketing se divertindo”. Ele vai além: “O celular sem furos é apenas um projeto das áreas de desenvolvimento, nós nunca tivemos a intenção de produzi-lo em massa”.

Verdade ou não, o fato é que a apresentação da ideia foi cercada de discussões e polêmicas e pode ter gerado frutos indiretos: comenta-se no mercado que o vindouro Galaxy Note 10, da Samsung, pode chegar no segundo semestre também sem furos ou botões.

Sem cabos e sem botões

Zero tem sistema de câmera dupla de 20 e 12 megapixels — Foto: Divulgação/Meizu Zero tem sistema de câmera dupla de 20 e 12 megapixels — Foto: Divulgação/Meizu

Zero tem sistema de câmera dupla de 20 e 12 megapixels — Foto: Divulgação/Meizu

O grande destaque do Meizu Zero seria o design do celular que exclui completamente portas, slots e botões. Criado para ser o primeiro celular completamente sem fios do mundo, o modelo da marca chinesa extrapolaria a ideia de dispositivos wireless e foi pensado para um uso completamente dependente de tecnologias de rede e recarga sem fio.

Em relação à interação com o celular, o Zero usaria a mesma ideia que provocou a aposentadoria do botão home físico em smartphones: em vez de pressionar botões, o usuário encontra controles sensíveis ao toque que permitem controlar o volume e ligar/desligar. Esses “botões” dão um pequeno retorno tátil (vibram) quando pressionados para que o usuário tenha uma sensação mais natural.

eSIM e sem slot para cartão de memória

Mesmo componente que lê as digitais sob a tela funciona como alto-falante do Zero — Foto: Divulgação/Meizu Mesmo componente que lê as digitais sob a tela funciona como alto-falante do Zero — Foto: Divulgação/Meizu

Mesmo componente que lê as digitais sob a tela funciona como alto-falante do Zero — Foto: Divulgação/Meizu

A ideia do design monolítico foi aos extremos ao aposentar completamente os slots: no Meizu Zero não haveria entrada para cartões de memória microSD ou slot para chip SIM convencional.

Usar o Meizu Zero significaria aceitar a quantidade de espaço de armazenamento limite do telefone, que pode ter ou 64 ou 128 GB, a depender da versão escolhida.

Com relação à linha telefônica, o celular empregaria o padrão eSIM, surgido nos recentes iPhones XS e XS Max: a tecnologia usa um tipo de SIM card eletrônico vinculado ao telefone que dispensa completamente o uso dos chips telefônicos tradicionais das operadoras. Claro e Vivo recentemente liberaram a funcionalidade no país, esta última passando por pane inicial.

Cerâmica e IP68

Zero foi apresentado com compatível com a certificação IP68 — Foto: Divulgação/Meizu Zero foi apresentado com compatível com a certificação IP68 — Foto: Divulgação/Meizu

Zero foi apresentado com compatível com a certificação IP68 — Foto: Divulgação/Meizu

O design completamente desobstruído por furos, botões e interfaces faria do Meizu Zero um candidato natural à proteção contra a infiltração de água. Segundo o fabricante, o celular alcançaria a certificação IP68. Entretanto, vale lembrar, há uma grande variedade de celulares premium cheios de furos e que ainda assim oferecem o mesmo nível de proteção.

Outro detalhe que valeria considerar sobre o modelo seria o uso da cerâmica no painel traseiro. Resistente e com possibilidade de apresentar um bom acabamento, o material tem despontado como uma alternativa ao vidro em alguns celulares de destaque.

Tela que funciona como alto-falante

Além de não ter portas, slots e botões, o Meizu Zero eliminaria as saídas de som: aqueles furinhos ou pequenas grelhas por onde os alto-falantes dos celulares convencionais propagam som.

Para contornar a falta dessas saídas de som, o celular da Meizu também dispensas os alto-falantes tradicionais e usa uma tecnologia nascida nos televisores da LG: no Zero, seria a tela do smartphone que vibraria para reproduzir o som, comportando-se como se fosse um grande alto-falante. O Galaxy A80, da Samsung, foi apresentado na última semana, em São Paulo, com funcionalidade similar. O modelo traz ainda uma curiosa câmera giratória.

Isso funciona por meio de um processo que converte o sinal digital para um sinal analógico que em seguida é traduzido em impulsos que fazem com que o celular todo reproduza som.

Leitor de digitais no display

A tela do Meizu Zero usaria a tecnologia AMOLED com leitor de impressões digitais agregado ao display. Embora não usasse a mesma tecnologia ultrassônica do sensor usado pela Samsung no Galaxy S10, o recurso do Meizu Zero prometia funcionar da mesma forma, garantindo autenticação biométrica sem a necessidade de um leitor na traseira do celular – algo que prejudicaria um design completamente limpo desejado pela marca.

Recarga sem fio

Carregador sem fio do Zero teria 18 watts de potência e seria um dos mais rápidos do mundo, segundo a Meizu — Foto: Divulgação/Meizu Carregador sem fio do Zero teria 18 watts de potência e seria um dos mais rápidos do mundo, segundo a Meizu — Foto: Divulgação/Meizu

Carregador sem fio do Zero teria 18 watts de potência e seria um dos mais rápidos do mundo, segundo a Meizu — Foto: Divulgação/Meizu

Sem porta USB-C, o Meizu Zero usaria carregador sem fio apenas. A tecnologia, que em si não é inovadora e já é bastante conhecida, aparece com um destaque importante no aparelho: o carregador seria bem potente e, com 18 watts, bem acima do visto em outras marcas.

Um carregador mais potente tem efeito no período de recarga, já que, liberando mais energia, o acessório faz com que a bateria do telefone seja carregada mais rapidamente.

Ficha técnica interessante

O grande diferencial do Meizu Zero seria o design prevendo um futuro em que dispositivos eletrônicos são basicamente sem fio. Mas isso não significa que a fabricante descuidou da ficha técnica do Zero. Ele adotaria Snapdragon 845, processador octa-core de 2,8 GHz da Qualcomm, em funcionamento junto com 4 GB ou 6 GB de memória RAM. A tela de 5,9 polegadas usaria a tecnologia AMOLED e resolução de 2340 x 1080 pixels (Full HD+).

Nas câmeras, o Zero não chegaria a roubar a cena: o sistema principal seria duplo, dividido entre um sensor com 12 megapixels e lente grande-angular e outra câmera, de 20 MP. Nas selfies, o Zero vai com uma câmera de 20 megapixels.

Com tantos atributos técnicos de ponta e design com proposta diferente do convencional, o smartphone ganhou as manchetes ao surgir na plataforma de financiamento coletivo. Não foi desta vez, porém, que o mundo viu um smartphone tão minimalista.

Via Meizu, Indiegogo e The Verge (1 e 2)

Samsung Galaxy S10, S10 Plus e S10E: confira o lançamento dos smartphones

Samsung Galaxy S10, S10 Plus e S10E: confira o lançamento dos smartphones

Mais do TechTudo