Por Marcelo Villela, para o TechTudo


League of Legends (LoL) é um MOBA que requer trabalho em equipe e sintonia entre os jogadores. Os patches de atualização permitem que os jogadores escolham novas combinações de campeões para completar a composição do time. Em alguns casos, os metagames chegam a substituir a formação tradicional das cinco rotas em Summoner's Rift. Nos campeonatos os pro players aproveitam as estratégias inusitadas para surpreender os adversários e garantir a vitória. Confira, a seguir, cinco metagames considerados incomuns no LoL que já foram usados em torneios por pro players.

Sona e Taric na bot lane

A dupla Sona e Taric se tornou uma escolha forte na rota inferior — Foto: Reprodução/ Arte de Marcelo Villela A dupla Sona e Taric se tornou uma escolha forte na rota inferior — Foto: Reprodução/ Arte de Marcelo Villela

A dupla Sona e Taric se tornou uma escolha forte na rota inferior — Foto: Reprodução/ Arte de Marcelo Villela

Durante os playoffs da LCS Academy, os jogadores da TSM Academy, Erik "Treatz" Wessén e Edward "Tactical" Ra, surpreenderam a todos com a sua bot lane composta pela dupla Sona e Taric. Os dois campeões são suportes e a rota inferior é, tradicionalmente, composta por um suporte e um atirador. A escolha aconteceu durante o confronto contra a Echo Fox.

Apesar de ficarem atrás durante a fase de rotas, os campeões cresceram na partida e se tornaram poderosos devido às suas habilidades de cura. Ao longo da confronto, seus escudos, curas e controle de grupo se tornaram um problema para o time da Echo Fox, que foi derrotado. Para compensar a falta de de dano na bot lane, a Sona foi utilizada como um campeão de poder de habilidade.

Karthus na jungle

Após alterações na runa Colheita Sombria, Karthus se tornou um pick recorrente — Foto: Divulgação/Riot Games Após alterações na runa Colheita Sombria, Karthus se tornou um pick recorrente — Foto: Divulgação/Riot Games

Após alterações na runa Colheita Sombria, Karthus se tornou um pick recorrente — Foto: Divulgação/Riot Games

Originalmente o kit de habilidades de Karthus não foi pensado para funcionar na jungle. Além disso, a sua popularidade na rota do meio também estava em decadência. No entanto, alterações na runa Colheita Sombria trouxeram o campeão para o metagame, principalmente como um caçador, no início de 2019.

Após as mudanças o campeão passou a ser escolhido como suporte na bot lane com o feitiço "golpear" para eliminar os Krugs e acelerar a partida. Após algum tempo, jogadores perceberam que ele tinha potencial para atuar na selva, pois suas habilidades, apesar de não oferecerem um gank efetivo, limpavam rapidamente os campos de monstros. A estratégia era baseada em acumular ouro o mais rápido possível e utilizar a habilidade suprema do campeão, que causa dano em todos os jogadores inimigos independente da posição no mapa, como um finalizador.

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Ezreal na jungle

Ezreal foi outro campeão que encontrou o seu espaço na jungle — Foto: Divulgação/Riot Games Ezreal foi outro campeão que encontrou o seu espaço na jungle — Foto: Divulgação/Riot Games

Ezreal foi outro campeão que encontrou o seu espaço na jungle — Foto: Divulgação/Riot Games

Em 2017, após receber buffs durante os patches 7.15 e 7.17, Ezreal encontrou o seu lugar na selva. O jungler da Team WE, Xiang “Condi” Ren-Jie, surpreendeu ao escolher o campeão na função de caçador durante o confronto contra a Invictus Gaming na Liga Chinesa (LPL). Na época, o pick foi uma novidade, mas já era visto nas filas solo dos servidores coreanos e chineses. O atirador tem como rota tradicional a bot lane.

Ezreal se tornou uma escolha recorrente devido a sua passiva, que permitia limpar os campos da jungle rapidamente. Além disso, sua mobilidade conseguia criar jogadas eficazes durante ganks e team fights ao longo da partida. Na selva o atirador deixava de construir um de seus itens principais: a Lágrima da Deusa e, por isso, conseguia comprar outros itens com mais facilidade. A escolha de Ezreal na jungle se tornou popular e equipes como a Cloud9 também testaram o pick.

Ziggs na bot lane

Ziggs já foi uma escolha forte na rota inferior — Foto: Divulgação/Riot Games Ziggs já foi uma escolha forte na rota inferior — Foto: Divulgação/Riot Games

Ziggs já foi uma escolha forte na rota inferior — Foto: Divulgação/Riot Games

Em 2017 um pick inusitado começou a chamar a atenção da comunidade: Ziggs na bot lane. Danny “Shiphtur” Le, que jogava no meio pelo Team Dignitas, foi o responsável pela popularização dessa escolha. Porém o jogador não foi o único a utilizar o campeão no bot, uma vez que outros players já o escolhiam na rota inferior em filas solo. A taxa de vitória do mago superou a de qualquer ADC ao atingir 52,48% na época.

Ziggs recebeu dois buffs durante o patch 6.9 e, por isso, a escolha se tornou viável. Com essas alterações, o W do campeão era capaz de destruir torres facilmente quando atingiam determinado percentual de vida. Além disso, sua passiva adicionava periodicamente dano mágico em seus ataques em estruturas. A limpeza de rota eficaz e os pokes poderosos também foram fatores que viabilizaram a escolha do mago no lugar de um atirador.

Miss Fortune como suporte

Miss Fortune já foi uma escolha na função suporte  — Foto: Divulgação/Riot Games Miss Fortune já foi uma escolha na função suporte  — Foto: Divulgação/Riot Games

Miss Fortune já foi uma escolha na função suporte — Foto: Divulgação/Riot Games

A atiradora Miss Fortune, utilizada normalmente como ADC, já foi uma opção para a função suporte. Após perder o primeiro jogo das semifinais contra a T1, na época SKT T1, o suporte da ROX Tigers, Beom-hyeon “GorillA” Kang, escolheu a personagem como um campeão de apoio. O pick causou espanto no público e nos jogadores da equipe adversária, como o atirador Bae ‘’Bang’’ Jun-sik, na época ADCarry da T1.

A estratégia em torno desse pick se baseava em ter sinergia com determinados atiradores, como a Ashe. Apesar do crescimento lento no jogo e da falta de proteção, Miss Fortune era uma suporte agressiva devido ao seu poder de causar dano em longas distâncias. Além disso, a campeã funcionava bem com o Cutelo Negro, uma vez que seu alto potencial de dano escalava bem com a passiva do item.

Mais do TechTudo