Por Thássius Veloso, da redação


Clientes da Vivo nas modalidades pré-pago e controle estão com dificuldades para aderir à tecnologia de eSIM, que dispensa o uso de cartão físico dentro do aparelho. Por ora, a operadora oferece o serviço em produtos da Apple, como iPhone e Apple Watch, bem como no Galaxy Watch, relógio da Samsung. A empresa confirmou a pane em nota ao TechTudo.

Diz o texto: “foi identificada uma inconsistência sistêmica na habilitação de planos pré-pago e controle. Assim que a correção ocorrer, divulgaremos a disponibilidade do serviço”.

iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR: Apple faz lançamento de celulares

iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR: Apple faz lançamento de celulares

Na internet, clientes chegaram a questionar se a operadora teria adotado medidas para que consumidores de modalidades pré e controle, normalmente com preço mais baixo, fossem obrigados a migrar para um plano pós-pago com o objetivo de ter acesso à novidade. Adeptos do Vivo Easy não têm direito ao eSIM.

O eSIM substitui o chip tradicionalmente encontrado em lojas de operadoras, bancas de jornais e outros pontos de venda. No caso da Vivo, houve distribuição do SIM card até mesmo no festival Lollapalooza, em São Paulo. O processo de ativação do chip virtual requer uma visita à loja da empresa de telefonia.

A tecnologia faz com que a linha mais recente de iPhones – iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max – funcione com duas linhas simultaneamente, o chamado dual chip. O usuário tem a opção de deixar um chip físico e outro virtual no mesmo smartphone, habilitando um recurso que nunca antes foi disponibilizado pela Apple na linha de celulares.

O mesmo eSIM é usado pelo Apple Watch 4 e pelo Galaxy Watch. Os relógios inteligentes não comportam chip físico.

Apple Watch 4 faz ligações com uso de cartão eSIM — Foto: Thássius Veloso / TechTudo Apple Watch 4 faz ligações com uso de cartão eSIM — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

Apple Watch 4 faz ligações com uso de cartão eSIM — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

A Claro também oferece tecnologia de eSIM, enquanto TIM e Oi ficam de fora desta corrida digital. As prestadoras costumam cobrar pelo chip virtual.

Também em nota, a Vivo acrescenta que os clientes que ainda não realizaram a migração para o eSIM podem seguir utilizando normalmente os serviços atrelados aos seus planos por meio do SIM card físico. “Nos casos em que a migração para o eSIM não tenha ocorrido com sucesso, a Vivo orienta que o cliente retorne a uma loja da operadora, onde será realizada a habilitação de volta ao SIM card físico”, diz a empresa por nota.

Mais do TechTudo