Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O novo Mac Pro já foi anunciado durante a WWDC 2019, mas a antiga geração do desktop profissional da Apple segue disponível para comprar na loja oficial da marca no Brasil. Embora apresente limitações no design cilíndrico, o que podem atrapalhar futuros upgrades, e também nas tecnologias utilizadas, já que é um produto de 2013, o Mac Pro anterior ainda assim tem preços altos.

A versão mais simples disponível no site da maçã não sai por menos de R$ 23.499 e pode chegar a até R$ 52.299, valor mais alto do que o preço de um carro zero. Confira a seguir as diferentes opções de ficha técnica, preços e saiba se ainda vale a pena investir no Mac Pro 2013.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

macOS: cinco destaques do novo sistema da Apple para computadores e notebooks

macOS: cinco destaques do novo sistema da Apple para computadores e notebooks

Ficha técnica Mac Pro 2013:

  • Preço: a partir de R$ 23.499
  • Processador: Intel Xeon E5 de seis, oito ou 12 núcleos
  • Armazenamento interno: até 1 TB SSD
  • RAM: até 64 GB DDR3 ECC
  • Placa de vídeo: dupla AMD FirePro D500 ou FirePro D700
  • Conexões: 6x Thunderbolt 2, 4x USB-A, 2xEthernet, HDMI, fone de ouvido, Wi-Fi e Bluetooth
  • Dimensões: 25,1 x 16,7 cm
  • Peso: 5 kg

Especificações

Design, que não é unanimidade, ainda é um ponto forte do antigo Mac Pro 2013 — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo Design, que não é unanimidade, ainda é um ponto forte do antigo Mac Pro 2013 — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Design, que não é unanimidade, ainda é um ponto forte do antigo Mac Pro 2013 — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Com design que lembra o de uma “lixeira”, o modelo pode ser encontrado em versões com processadores Intel Xeon E5 de seis, oito ou 12 núcleos. Embora seja comum associar essas CPUs à alta performance, já que els são voltadas para uso em workstations, é importante lembrar que esses chips já têm seis anos de vida no mercado. Hoje, por exemplo, é possível encontrar componentes intermediários que chegam perto do desempenho do E5 de 12 núcleos.

Uma das grandes apostas da Apple com o Mac Pro 2013 foi o uso de duas placas gráficas ao mesmo tempo. Dependendo do modelo e das preferências de configurações, é possível encontrar o Mac com as FirePro D500 (com 3 GB de memória dedicada) ou uma dupla da mais rápida FirePro D700 (6 GB de memória RAM). O fato da linha FirePro ter sido abandonada pela AMD há alguns anos dá uma ideia do quanto esses processadores gráficos envelheceram. Comparando a performance computacional, a D500 fica próxima de algo como a Radeon RX 570, placa de vídeo de entrada da AMD atualmente.

Em relação à RAM, o Mac Pro roda com DDR3, padrão mais antigo de memória, e é oferecido pela Apple com 16 GB, 32 GB ou 64 GB. No armazenamento, por sua vez, o computador pode ser adquirido com 256 GB, 512 GB ou um 1 TB de SSD PCIe.

Desempenho

Mac Pro 2013 tem performance distante das workstations atuais — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo Mac Pro 2013 tem performance distante das workstations atuais — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Mac Pro 2013 tem performance distante das workstations atuais — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Como a listagem de especificações já adianta, o Mac Pro foi perdendo o fôlego com os passar dos anos. Testes realizados com o Mac Mini com Core i7, lançado em 2018, mostram que o desktop doméstico mais em conta da Apple pode até igualar a performance do Mac Pro com chip de seis núcleos.

Recursos e upgrades

O Mac Pro apareceu com um design inovador que, se não foi uma unanimidade, ao menos acertou em um ponto crucial. Desenvolvido para potencializar a refrigeração, o formado de cilindro rendeu um computador que até hoje é elogiado pela eficiência no aspecto, mesmo trazendo componentes poderosos e de alto consumo.

Esse formato, no entanto, é negativo em outro ponto. A construção compacta e o alto nível de customização do hardware, com direito, por exemplo, ao sistema de dois processadores gráficos, geraram um computador desktop com baixíssimo nível de upgrades. Portanto, a única peça que o usuário pode efetivamente trocar é o SSD.

Design que favorece refrigeração tornou upgrades inviáveis para a Apple e impossíveis para o consumidor — Foto: Divulgação/Apple Design que favorece refrigeração tornou upgrades inviáveis para a Apple e impossíveis para o consumidor — Foto: Divulgação/Apple

Design que favorece refrigeração tornou upgrades inviáveis para a Apple e impossíveis para o consumidor — Foto: Divulgação/Apple

A própria Apple admitiu em 2017 que o conceito acabou causando problemas que tornaram os upgrades de componentes difíceis. Isso deve explicar porque o Mac Pro cilíndrico não foi atualizado em todos esses anos.

Outro fator a ser considerado é que essa versão é um pouco restritiva em termos de interfaces. O Thunderbolt 3, por exemplo, não aparece na máquina, que ainda usa Thunderbolt 2 e saída HDMI no padrão 1.4b, o que significa que não há suporte a telas 4K em 60 Hz. E portas USB-C, que se tornaram centrais em produtos da Apple, também não estão presentes no desktop.

Há também que se considerar o suporte do macOS. Embora a Apple tenha o costume de carregar seu hardware por muitos anos a cada revisão do sistema operacional, é inevitável que em alguma altura o Mac Pro fique para trás em novas edições, o que pode reduzir muito a sua viabilidade como workstation.

Preço e custo-benefício

Preço alto torna o investimento no Mac Pro 2013 algo difícil de justificar — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo Preço alto torna o investimento no Mac Pro 2013 algo difícil de justificar — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Preço alto torna o investimento no Mac Pro 2013 algo difícil de justificar — Foto: Juliana Pixinine/TechTudo

Por um lado, a performance do Mac Pro ainda impressiona: trata-se de um computador de 2013 que atinge performance equivalente a um PC intermediário que você pode montar hoje. Apesar disso, esse desempenho pode estar bem distante do ideal e do que seu público alvo espera, sobretudo pelo preço cobrado no modelo. Outro ponto é que existem iMacs com melhor desempenho e componentes mais avançados disponíveis no momento.

A versão mais barata da máquina, com processador Xeon de seis núcleos, 16 GB de RAM e duas FirePro D500, aparece por R$ 23.499 na loja oficial da Apple. Vale lembrar que o valor não considera custos com monitor, mouse e teclado. Pelo mesmo preço, é possível investir em um MacBook Pro atual, ou então considerar um PC poderoso, com direito a processadores Threadripper com o dobro de núcleos e direito a upgrades incrementais de componentes.

Na configuração mais parruda, o Mac Pro vai custar bem mais caro. Com o Xeon E5 de 12 núcleos, duas FirePro D500, 64 GB de memória e 1 TB de SSD, o computador da Apple sai por R$ 52.299 na loja oficial.

Qual comprar: MacBook Air ou MacBook Pro? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo