Por Louise Rodrigues, da Redação


Donald Trump voltou a comentar nesta segunda-feira (10) a polêmica envolvendo a Huawei. Em entrevista ao programa Squawk Box, do canal CNBC, o presidente dos Estados Unidos ainda aproveitou para fazer promessas sobre a consolidação norte americana como líder da geração 5G.

Trump alegou que grandes empresas de tecnologia, como Facebook, Google e Amazon, estariam conspirando com os democratas contra ele. Sobre o bloqueio sofrido pela Huawei, o presidente negou que esteja perseguindo a China. “Eu quero que a China faça bem. Mas eu não quero que eles façam tão bem quanto nós, tenho que ser honesto com você”, disse.

Donald Trump acusou empresas americanas como Facebook, Google e Amazon de perseguição política — Foto: Divulgação/The White House Donald Trump acusou empresas americanas como Facebook, Google e Amazon de perseguição política — Foto: Divulgação/The White House

Donald Trump acusou empresas americanas como Facebook, Google e Amazon de perseguição política — Foto: Divulgação/The White House

Mas o foco das declarações de Trump ficou por conta da tecnologia 5G, que promete ser mais rápida e estável. O presidente garantiu que as empresas de telefonia móvel dos Estados Unidos já estão dedicadas a lançar o serviço e smartphones compatíveis. A estratégia de liderar o setor também visa os diversos desdobramentos tecnológicos que podem surgir com a geração 5G.

Ao Squawk Box, Trump comparou os avanços dos Estados Unidos e da China na corrida pela liderança da rede 5G. O presidente garantiu que essa é uma das prioridades do seu governo e fez provocações. Ele admitiu que o país estava atrasado na disputa, mas que, em breve, vai assumir o topo do pódio. “A China não tem a capacidade de nossos gênios no Vale do Silício, que andam por aí com camisetas e valem US $ 2 bilhões. Eles não têm a inteligência que essas pessoas têm”, alfinetou.

Caso Huawei no Brasil

Após a boicote dos Estados Unidos, muitas pessoas estão questionando como continuarão a consumir os produtos e serviços oferecidos pela Huawei. Com empresas norte americanas proibidas de venderem para a gigante chinesa, a dúvida paira no ar, inclusive no Brasil.

Huawei enfrenta bloqueio por parte do governo dos Estados Unidos — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo Huawei enfrenta bloqueio por parte do governo dos Estados Unidos — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

Huawei enfrenta bloqueio por parte do governo dos Estados Unidos — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

Na semana passada, em entrevista ao Valor Econômico, o vice presidente Hamilton Mourão garantiu que Brasil não irá aderir ao boicote. Segundo ele, Trump fez um alerta ao presidente Jair Bolsonaro sobre problemas com a Huawei, que é acusada de ter utilizado seus equipamentos para espionar países e compartilhar as informações com o governo chinês. Mourão revelou também que ele próprio se encontrou com o presidente da Huawei e o aconselhou a criar um ambiente de confiança para evitar novos conflitos com outros países.

A rede 5G

Se, no Brasil, a demora para emissão de licenças pode prejudicar o avanço da rede 5G; em outros países ela já começou a ser testada. Nos Estados Unidos, por exemplo, o governo deu início ao processo de leilão de blocos de frequências de rádio sem fio para serem usadas nas redes móveis.

O problema é que, a partir dos testes, meteorologistas observaram que blocos de frequência, que transmitem a rede 5G e estão localizados em área próximas aos satélites, podem interferir na coleta de dados cruciais sobre a Terra. A questão é tão problemática que a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA) e a NASA se juntaram para negociar com a Comissão Federal de Comunicações (FCC), que é quem supervisiona as redes sem fio nos Estados Unidos.

O objetivo é unir forças para proteger os satélites contra interferência. Caso contrário os satélites da região não seriam capazes detectar com precisão as concentrações de vapor de água na atmosfera. A FCC, por sua vez, deu início ao leilão dos blocos de frequência com proteção mínima e, apenas com a venda do primeiro pedaço, arrecadou quase US $ 2 bilhões (R$ 7 bilhões).

Como os testes estão sendo realizados nos Estados Unidos a preocupação é ainda maior. Isso porque a meteorologia local é referência para outros países que confiam nesses dados para alimentar seus próprios modelos. De acordo com o El País, as previsões meteorológicas do mundo inteiro sofreriam as consequências das falhas dos satélites americanos causadas pela proximidade com as frequências que transmitem a rede 5G para celulares e outros equipamentos.

Conheça o Moto Z3, o celular da Motorola com internet 5G

Moto Z3 com internet 5G; conheça o novo celular da Motorola

Moto Z3 com internet 5G; conheça o novo celular da Motorola

Mais do TechTudo