Produtividade

Por Maria Dias, para o TechTudo


O DogHero é um aplicativo grátis disponível para Android e iPhone (iOS) direcionado a quem deseja hospedar e passear com cachorros — ou contratar esses serviços. Ao realizar o cadastro na plataforma, é possível se candidatar para receber cães em casa durante viagens ou compromissos de seus donos ou realizar passeios diários com os animais de estimação.

Para ser um anfitrião ou passeador, é preciso realizar testes criteriosos e ter experiência e afinidade com animais. Cada profissional escolhe o preço que irá cobrar pelos serviços — a média é de R$ 24 para passeios e de R$ 45 para hospedagens. Atualmente, a função de passeio está disponível nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Brasília, totalizando 10 cidades, enquanto a de hospedagem pode ser realizado em todo o país.

Tutorial mostra como usar o app DogHero para encontrar pessoas para passear com seu cão — Foto: Marvin Costa/TechTudo Tutorial mostra como usar o app DogHero para encontrar pessoas para passear com seu cão — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Tutorial mostra como usar o app DogHero para encontrar pessoas para passear com seu cão — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Outra opção de uso da plataforma é a contratação dos serviços. Ao se cadastrar, o cliente pode escolher, entre os profissionais disponíveis, aquele que mais lhe agrada para receber ou levar seu bichinho de estimação. É possível ver fotos das residências dos profissionais, assim como avaliações feitas por outros usuários que contrataram aquela pessoa. O TechTudo preparou uma lista com as principais perguntas e respostas sobre o funcionamento do app DogHero, para facilitar o uso da plataforma por clientes, cuidadores e passeadores.

1. O que é e como funciona?

O DogHero é uma plataforma que conecta donos de cachorros a cuidadores e passeadores. O aplicativo busca solucionar o problema de deixar cães sozinhos em situações de viagens ou emergências do dia-a-dia e é direcionado tanto a quem deseja hospedar — os chamados anfitriões — como para quem desejar encontrar um local para deixar seu animal. Por meio do aplicativo, também é possível solicitar um passeador ou se candidatar à tarefa. O serviço pode ser contratado pelo site ou pelo app DogHero, disponível para Android e para iPhone (iOS).

DogHero é um aplicativo para quem quer contratar ou oferecer serviços de passeios e hospedagem para cães — Foto: Reprodução/Maria Dias DogHero é um aplicativo para quem quer contratar ou oferecer serviços de passeios e hospedagem para cães — Foto: Reprodução/Maria Dias

DogHero é um aplicativo para quem quer contratar ou oferecer serviços de passeios e hospedagem para cães — Foto: Reprodução/Maria Dias

Ao disponibilizar seu endereço e as datas em que precisará do serviço, o usuário visualiza uma lista de anfitriões próximos à sua localização. É possível analisar o perfil de cada um, ver fotos da residência em que o animal ficará hospedado e conferir avaliações deixadas por outros usuários que fizeram uso dos serviços do anfitrião.

A plataforma oferece ainda um chat para que usuários e anfitriões conversem entre si, tirem suas dúvidas e marquem um primeiro encontro caso seja necessário. Ao efetuar uma reserva, o usuário deverá levar seu animal de estimação à casa do anfitrião, junto com os objetos e itens de alimentação do cachorro.

2. O que fazer para ser passeador?

Usuários residentes de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Brasília podem se candidatar a passeadores. O serviço pode ser uma boa opção para quem possui afeição por cachorros e deseja fazer uma renda extra. O passeador pode escolher em quais regiões quer atuar e em quais horários atender, mas o app limita o passeio com um cachorro por vez — ou dois, se forem animais pertencentes à mesma família. Se encontrar dificuldades ou problemas durante o serviço, ele poderá acionar a equipe de suporte e garantia veterinária do DogHero, que também reembolsa o passeador em eventuais despesas com a saúde do cão.

Para se candidatar, é preciso preencher os requisitos da plataforma: ter experiência com cachorros, ser maior de idade, ter disponibilidade de tempo e gostar de praticar exercícios físicos. Além disso, é imprescindível que o passeador tenha um smartphone com acesso à Internet, para utilizar o aplicativo durante o serviço caso seja necessário.

Caso se enquadre no perfil, o passeador deverá assistir a um curso gratuito disponibilizado pelo DogHero, além de responder um questionário sobre o conteúdo do treinamento. Após finalizar sua inscrição, é preciso aguardar a aprovação do aplicativo para começar a aceitar propostas de serviços.

É possível contratar ou oferecer serviços de passeador em São Paulo e no Rio de Janeiro pelo DogHero — Foto: Reprodução/Maria Dias É possível contratar ou oferecer serviços de passeador em São Paulo e no Rio de Janeiro pelo DogHero — Foto: Reprodução/Maria Dias

É possível contratar ou oferecer serviços de passeador em São Paulo e no Rio de Janeiro pelo DogHero — Foto: Reprodução/Maria Dias

3. O que fazer para ser anfitrião?

Para ser um anfitrião e realizar hospedagens de cães em sua própria residência, o usuário deverá efetuar um cadastro online no site ou no app DogHero. É preciso ser maior de idade, ter um domicílio permanente e experiência profissional com cachorros. São nove as etapas de cadastro pelas quais o usuário deverá passar para se candidatar ao serviço, entre as quais estão o envio de três fotos da própria residência para a comprovação de um ambiente seguro aos animais e a produção de um texto que mostre que o usuário tem afinidade com cães e sabe cuidar deles. O Dog Hero não realiza visitas à residência — todo o processo de cadastro é feito de forma online.

O cadastro para anfitriões está disponível em celulares Android e iPhone (iOS). Após a conclusão do processo, o usuário deverá aguardar pela análise da equipe DogHero e aprovação do cadastro, que pode ocorrer em até sete dias úteis via e-mail. Durante a execução do serviço, o anfitrião pode hospedar quantos animais desejar — dentro de uma média de cinco a seis cães em lares grandes, de acordo com as recomendações do DogHero. O serviço está disponível em todo o Brasil e, segundo a plataforma, existem anfitriões em mais de 700 cidades do país.

Para ser tornar anfitrião no DogHero, é preciso realizar um cadastro de nove etapas e aguardar a aprovação — Foto: Reprodução/Maria Dias Para ser tornar anfitrião no DogHero, é preciso realizar um cadastro de nove etapas e aguardar a aprovação — Foto: Reprodução/Maria Dias

Para ser tornar anfitrião no DogHero, é preciso realizar um cadastro de nove etapas e aguardar a aprovação — Foto: Reprodução/Maria Dias

4. Como contratar o serviço?

O usuário que desejar contratar um passeador ou anfitrião pelo DogHero deverá baixar o aplicativo, realizar um cadastro e escolher um profissional de seu agrado para prestar o serviço. É possível usar os filtros do app para localizar anfitriões e passeadores, visualizar perfis, fotos de suas residências e até mesmo avaliações de outros usuários quanto aos processos de hospedagem e passeio.

Para fazer uma reserva do serviço de um anfitrião, acesse o perfil do candidato escolhido e clique no botão “Reservar”. Preencha os dados do seu animal de estimação, insira algumas informações pessoais e escolha as datas de início e fim da hospedagem. Também é preciso informar o método de pagamento, que deve ser realizado exclusivamente na plataforma por meio de cartão de crédito ou boleto bancário.

Com a solicitação aprovada pelo anfitrião, o pagamento deverá ser realizado e confirmado para que a hospedagem se inicie. No caso do boleto, o cliente deve enviar um comprovante de pagamento para o DogHero via e-mail. Vale lembrar que o usuário deve levar objetos como cama e brinquedos do cão, assim como todos os itens necessários para sua alimentação, para a casa do anfitrião.

Usuário pode usar filtros no DogHero para encontrar anfitriões e passeadores que atendam ao perfil do seu animal de estimação — Foto: Reprodução/Maria Dias Usuário pode usar filtros no DogHero para encontrar anfitriões e passeadores que atendam ao perfil do seu animal de estimação — Foto: Reprodução/Maria Dias

Usuário pode usar filtros no DogHero para encontrar anfitriões e passeadores que atendam ao perfil do seu animal de estimação — Foto: Reprodução/Maria Dias

O mesmo processo deve ser feito para contratar o serviço de passeador. O diferencial está no preço a ser cobrado e na possibilidade de contratar uma “assinatura” do serviço, mas a forma de pagamento é a mesma utilizada para o serviço de hospedagem — por meio da plataforma DogHero.

Se desejar, o usuário poderá comprar créditos de passeio, que ficam armazenados em sua conta no app e poderão ser utilizados quando desejar, sem que seja necessário realizar uma nova transação financeira a cada passeio. É possível visualizar o trajeto percorrido pelo passeador ao final do serviço, monitorado por um sistema de GPS integrado ao aplicativo. Não é preciso estar em casa para que o passeio seja realizado, desde que o usuário combine com o passeador o acesso ao animal.

5. Quanto ganha um profissional DogHero?

Os valores pelos serviços prestados como anfitrião ou passeador podem variar e ser decididos pelos profissionais. A média de pagamento para passeadores é de R$ 15 a R$ 35, enquanto anfitriões podem receber de R$ 30 a R$ 65 por uma diária de hospedagem, acumulando o valor pelo tempo de serviço solicitado.

Os “heróis” devem fazer um orçamento para os clientes, que realizam o pagamento por meio da plataforma DogHero com cartão de crédito ou boleto. Não é permitido receber por dinheiro físico, já que toda transação financeira deve ser feita por meio do aplicativo. Para que o repasse seja efetuado, é preciso ter uma conta corrente ou poupança em um dos bancos conveniados com o app.

Ganhos de anfitriões e passeadores no DogHero variam de acordo com serviço solicitado pelo cliente — Foto: Reprodução/Maria Dias Ganhos de anfitriões e passeadores no DogHero variam de acordo com serviço solicitado pelo cliente — Foto: Reprodução/Maria Dias

Ganhos de anfitriões e passeadores no DogHero variam de acordo com serviço solicitado pelo cliente — Foto: Reprodução/Maria Dias

O pagamento pelo serviço prestado é realizado em até três dias úteis após o fim da hospedagem, na conta bancária cadastrada no perfil de anfitrião ou passeador. Uma taxa de 25% é descontada para a DogHero em cima do valor total cobrado pelo serviço. A tarifa é usada para viabilizar a manutenção da plataforma.

6. Quais são os principais concorrentes?

Outras plataformas que oferecem serviços de hospedagem e passeio para cachorros estão disponíveis para os usuários e concorrem com o DogHero. Um exemplo é o Pet Anjo, um site que localiza profissionais para passear, hospedar, cuidar e visitar animais de estimação. Um diferencial desta plataforma é que ela oferece um produto chamado “Day Care”, em que é possível se candidatar a fazer companhia ou cuidar de um animal enquanto seu dono está no trabalho ou em outros compromissos — ou contratar o serviço. O site também oferece banhos, seguro veterinário e “babás” para os bichinhos de estimação. Para os profissionais que desejam executar o serviço, o Pet Anjo cobra uma taxa de 30% em cima do valor de trabalho — 5% mais alta do que a cobrada pelo DogHero.

Outro concorrente é o Holidog, que possibilita que todos os tipos de animais, e não apenas cachorros, sejam cuidados em suas próprias casas. Outras opções de serviço também estão disponíveis nesta plataforma, como “babás” para pets em pequenas quantidades de hora por dia, acompanhante de caminhada para animais e até adestramento. O serviço de hospedagem na casa do anfitrião também está disponível. O diferencial do Holidog é o formato de pagamento: é possível fazer uma assinatura por três, seis ou 12 meses, com todos os serviços incluídos. Uma taxa é cobrada dos clientes como forma de cobertura para possíveis danos ou acidentes ao pet.

Holidog permite pagamento em formato de assinatura — Foto: Reprodução/Carolina Ribeiro Holidog permite pagamento em formato de assinatura — Foto: Reprodução/Carolina Ribeiro

Holidog permite pagamento em formato de assinatura — Foto: Reprodução/Carolina Ribeiro

É proibido vender filhote de cachorro no Facebook? Usuários respondem no Fórum TechTudo

Mais do TechTudo