Atletas

Por Tainah Tavares*, de Chicago, EUA


Wilton "zews" Prado está preparado para vestir a camiseta da MIBR no StarLadder Berlin Major 2019, torneio de Counter Strike: Global Offensive (CS:GO). O TechTudo conversou com o treinador do time no último domingo (21) nos bastidores do Intel Extreme Masters (IEM) Chicago. O coach da equipe atua provisoriamente como player da Made In Brazil desde que Marcelo 'coldzera' David foi para o banco do time. Zews está animado para o próximo Major e já anunciou a meta da equipe para a competição: ganhar uma medalha.

"Como coach eu não ganho stickers em majors. Por isso, o objetivo dos meninos é passar pra quartas de final pra eu receber uma medalha dentro do jogo, pra ter uma lembrança. Eu fico até emocionado, porque os moleques do meu time são muito parceiros meus", conta. Apesar de ainda faltar um mês para o Major começar, o prazo de inscrição de jogadores para o torneio terminou no dia 25 de junho. Assim, zews terá que jogar para completar o time.

zews conversou com o TechTudo nos bastidores do IEM Chicago 2019 — Foto: Divulgação/MIBR zews conversou com o TechTudo nos bastidores do IEM Chicago 2019 — Foto: Divulgação/MIBR

zews conversou com o TechTudo nos bastidores do IEM Chicago 2019 — Foto: Divulgação/MIBR

Fazia tempo que zews não atuava como player e, por isso, o time jogou os últimos torneios sem muitas pretensões. "A experiência está sendo muito divertida para mim. É um privilégio jogar ao lado dessas lendas. Tem sido muito legal viver um pouco do passado, relembrar como que é bom competir, ainda mais quando a gente ganha um round. Tudo é superação". Mas, apesar de atuar com uma line up improvisada, a MIBR surpreendeu com seu resultado no IEM Chicago. A equipe conseguiu chegar às semifinais e terminou em 3-4 lugar na tabela de classificação geral da competição.

A ideia de zews para o Major é repetir a fórmula que deu certo no IEM: jogar com leveza, animação e sem muitas cobranças. "A expectativa é a gente entrar como entrou aqui, o que vier é lucro. Esse acho que é o ponto principal. Uma coisa que Chicago provou foi que se a gente continuar nessa pegada de jogar em equipe, de ter esse hype, de ter essa energia, dá para avançar nos torneios".

Como montar um PC gamer barato que rode GTA 5 e CS:GO? Veja dicas no Fórum TechTudo

É essa energia que o time também busca no substituto de coldzera. Para zews, o mais importante é que o futuro player da MIBR atue com entusiasmo e prazer. "Quem for pra vir tem que querer muito estar aqui. A MIBR é maior que uma pessoa e é maior que todas as outras equipes, com todo o respeito. Nós somos como a seleção brasileira no CS:GO. Nós sabemos disso. Então todos os membros da equipe têm que querer estar aqui e dar a vida por isso", avisa.

O time ainda não definiu quem será esse novo jogador. O plano da equipe é tomar essa decisão com calma, já que terão que esperar o Major acontecer."Como eu vou precisar jogar o Major, temos tempo pra pensar. Então vamos com calma, a gente não precisa fazer nada no emocional agora. Vamos analisar todas as opções de jogadores que temos, desde os mais novos aos mais velhos", finaliza.

O IEM Chicago 2019 começou na última quinta-feira (18) e terminou no último domingo (21). Ao todo, o torneio reuniu oito times da Europa e América do Norte na briga por US$ 250 mil (R$ 992,6 mil em conversão direta). A grande campeã da competição foi a Team Liquid.

*A jornalista viajou a convite da Intel

Mais do TechTudo