Celulares

Por Júlio Sousa, para o TechTudo


Com o surgimento de novos aparelhos e melhorias em suas baterias, os consumidores ficam em dúvida sobre o tempo de recarga do seu smartphone. Recentemente, a Motorola revelou ao TechTudo com exclusividade que entre as perguntas mais frequentes recebidas pelo seu suporte está a dúvida sobre "o tempo de recarga do aparelho".

De acordo com a empresa, as novas baterias de Li-Ion não possuem mais o efeito memória, portanto é recomendado que os aparelhos sejam carregados até completar 100%. Não é necessário manter o celular na tomada após este período para supostamente garantir maior autonomia na bateria, pois eles são projetados para carregar apenas até este limite.

Motorola dá dicas sobre o desempenho da bateria em seus aparelhos — Foto: Reprodução/Motorola Motorola dá dicas sobre o desempenho da bateria em seus aparelhos — Foto: Reprodução/Motorola

Motorola dá dicas sobre o desempenho da bateria em seus aparelhos — Foto: Reprodução/Motorola

A Motorola ainda afirma que "este tipo de bateria permite pequenas cargas ao longo do dia", mas é importante seguir, sempre que possível, o ciclo recomendado de recarga, que vai do 5% ao 100%, para que a vida útil da bateria seja maior e para o desenvolvimento da melhor autonomia e performance do aparelho.

O que é o efeito memória de uma bateria?

O efeito memória atinge as baterias mais antigas, feitas de níquel e cádmio (NiCd), e acontece quando elas não são descarregadas até o limite, fazendo com que, nas próximas descargas, a sua capacidade seja reduzida. Dessa forma, a bateria passa a fornecer menos energia ao aparelho, o que faz com que ela seja popularmente conhecida como uma bateria "viciada".

As baterias mais recentes de NiCd sofrem bem menos com este efeito, reduzindo o risco de vício e fazendo com que o seu tempo de vida seja maior do que o de baterias mais antigas produzidas com o mesmo material.

As baterias de Li-Ion, citadas pela Motorola, não sofrem com este efeito memória, e não possuem um ciclo programado para prolongar a sua vida útil. Por esse e outros avanços ela é uma bateria mais cara mas, por conta do seu bom desempenho, é utilizada na maioria dos novos aparelhos com sistema Android.

O efeito memória é um dos problemas mais temidos para usuários de aparelhos com bateria de NiCd — Foto: Divulgação/Oukitel O efeito memória é um dos problemas mais temidos para usuários de aparelhos com bateria de NiCd — Foto: Divulgação/Oukitel

O efeito memória é um dos problemas mais temidos para usuários de aparelhos com bateria de NiCd — Foto: Divulgação/Oukitel

O que outras empresas dizem sobre o tempo de recarga

O tempo de recarga de um aparelho parece ser consenso entre as grandes marcas. A chinesa Xiaomi já emite uma notificação logo quando o usuário liga o aparelho pela primeira vez. A recomendação, identificada pela equipe do TechTudo no Redmi Note 6 Pro, segue a mesma dica da Motorola: deixar o smartphone carregar até atingir o limite de 100%, sendo desnecessário mantê-lo a noite toda na tomada.

A Samsung, por meio dos seus canais oficiais, confirma os mesmos dados, mas completa que o celular pode ficar na tomada após completar a carga, porém o carregador não vai transmitir mais energia ao aparelho, evitando que ele seja danificado.

As baterias dos novos smartphones da Apple também são feitas de Li-Ion, portanto seguem o mesmo padrão já apresentado. A empresa destaca que o iPhone não precisa ser descarregado completamente para receber energia, e que um ciclo completo de bateria é contado apenas quando 100% da carga é utilizada, mesmo se ela for recarregada antes disso. Após 500 ciclos, a bateria mantém cerca de 80% da sua capacidade original de energia.

Conclusão

Com a utilização deste novo tipo de bateria, é possível identificar que o vício da bateria não é mais um problema para o consumidor. Mas, como todo produto, as baterias dos smartphones possuem uma vida útil, que pode ser conservada seguindo as condições básicas para sua manutenção, como optar pela recarga completa e manter o aparelho em condições de temperatura ambiente, por exemplo.

O antigo pensamento de que a primeira carga do aparelho precisa durar muitas horas não é mais uma realidade, basta atingir 100% da sua capacidade para que ele possa ser utilizado fora da tomada. O tempo exato para atingir este limite depende de fatores como o carregador utilizado e a capacidade da bateria.

Para conferir o tipo de bateria do seu celular basta acessar os canais de informação do fabricante, ou checar as informações contidas no manual do produto ou na própria caixa do aparelho.

Mais do TechTudo