Internet

Por Louise Rodrigues, da Redação


O governo russo notificou o Google para que nenhum vídeo das manifestações que acontecem no país seja transmitido ao vivo nas redes sociais. A exigência veio do Serviço Federal da Rússia para Supervisão de Comunicações, Tecnologia da Informação e Mídia (Roskomnadzor). No comunicado, o Google é acusado de promover "eventos ilegais de massa".

A Reuters, um dos sites internacionais a divulgar a informação, classificou o protesto, que ocorreu no último sábado, como o maior dos últimos oito anos. Os russos foram às ruas para exigir mais clareza nas eleições. O pedido veio após denúncias de que nomes de políticos da oposição na região de Moscou estariam em uma lista para serem impedidos de concorrer aos pleitos municipais. A insatisfação, contudo, chegou à revolta com o governo de Putin e à crise econômica enfrentada pela Rússia.

Governo russo exige que Google não envie notificações de vídeos ao vivo exibindo imagens de manifestações políticas — Foto: Constância García/TechTudo Governo russo exige que Google não envie notificações de vídeos ao vivo exibindo imagens de manifestações políticas — Foto: Constância García/TechTudo

Governo russo exige que Google não envie notificações de vídeos ao vivo exibindo imagens de manifestações políticas — Foto: Constância García/TechTudo

Esta, porém, não é a primeira vez que o governo russo e o Google têm problemas. Em 2018, a empresa foi obrigada a pagar US$ 7.663 (R$ 30.621) de multa após descumprir uma determinação do Roskomnadzor. Na época, foi exigido, por lei, que alguns resultados fossem suprimidos na busca do Google, o que não aconteceu.

Outro imbróglio envolveu uma indisposição entre o Roskomnadzor e o Telegram. Após o aplicativo se recusar a descriptografar as mensagens trocadas pelos usuários, o governo russo bloqueou milhões de IP's do Google e da Amazon, impossibilitando o acesso à internet. Em seguida, exigiu que a Apple Store e a Google Play Store retirassem o app da lista disponível para downloads no país.

O TechTudo entrou em contato com o Google. A empresa, porém, se recusou a comentar o assunto.

Leia a íntegra da nota publicada no site do governo russo:

Roskomnadzor exigiu que o Google parasse de usar o YouTube para anunciar eventos ilegais em massa

Roskomnadzor enviou uma carta ao Google pedindo que tome medidas para evitar a promoção de eventos de massa não autorizados (ilegais) no vídeo da empresa que hospeda o YouTube.

De acordo com as informações disponíveis, várias estruturas com canais do YouTube adquirem ferramentas de publicidade do YouTube (como “notificações push”) para disseminar informações sobre eventos de massa não autorizados (ilegais), incluindo aqueles destinados a interromper eleições de importância federal e regional.

Ao mesmo tempo, essas "notificações push" são recebidas, inclusive por usuários que não estão inscritos nos canais do YouTube dessas estruturas.

No caso de o Google não responder, a Federação Russa considerará isso como uma interferência nos assuntos soberanos do Estado, bem como uma influência hostil e obstruindo a realização de eleições democráticas na Rússia, deixando o direito a uma reação adequada, a carta enfatiza.

Qual o melhor app que você tem no seu celular? Compartilhe sua experiência no Fórum do TechTudo e pegue as dicas dos nosso usuários.

📱Quer saber como colocar vídeo do YouTube nos Stories do Instagram? A gente te ensina 👇

Como colocar vídeo do YouTube nos Stories do Instagram

Como colocar vídeo do YouTube nos Stories do Instagram

Mais do TechTudo