Privacidade

Por Fernanda Lutfi, para o TechTudo


O Google anunciou mudanças de privacidade no sistema de gravações de áudio do Google Assistente nesta segunda-feira (23). A partir de agora, a assistente pessoal ganha maior exclusão de dados dos usuários, mais filtros de proteção e mensagens explicitando que as conversas podem ser revisadas por humanos – com a opção de configurar o aparelho para que isso não ocorra. As alterações chegam após polêmicas sobre o monitoramento de gravações privadas dos áudios por parte da empresa e das concorrentes Apple, com a Siri, e Amazon, com a Alexa.

Para controlar a qualidade do serviço, ambas faziam uso de funcionários terceirizados para ouvir conversas privadas sem a autorização das pessoas. Nas linhas a seguir, entenda quais são as mudanças e como elas podem influenciar na forma de utilizar seu dispositivo.

Google anuncia mudanças na privacidade do Google Assistente — Foto: Paulo Alves/TechTudo Google anuncia mudanças na privacidade do Google Assistente — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Google anuncia mudanças na privacidade do Google Assistente — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Na configuração padrão, os áudios de usuários de Android não são armazenados pela empresa. No entanto, se a pessoa desejar, é possível mudar esse e outros ajustes a partir da seção Atividade de Voz e Áudio (AVA), localizada na aba de configurações do Google Assistente. Caso permita que os áudios façam parte do processo de revisão, a plataforma exibe uma mensagem para informar que revisores humanos podem escutar pequenos trechos do que foi gravado.

Os profissionais têm acesso a apenas uma pequena parcela de comandos de voz: cerca de 0,2% de todos os trechos gravados (de quem escolheu habilitar o recurso). O objetivo da iniciativa, segundo a companhia, é que as informações sejam usadas para realizar melhorias no sistema.

Google Assistente: quatro curiosidades sobre o software

Google Assistente: quatro curiosidades sobre o software

Além disso, o Google deixou claro que uma série de medidas foram tomadas para que, durante o processo de revisão humana, os áudios nunca sejam ligados a contas específicas. A empresa divulgou que incluiu mais filtros de proteção de segurança, com o objetivo de impedir que nenhum trecho escutado pelos revisores humanos tenha informações de identificação pessoal dos usuários.

A companhia explicou ainda que o Google Assistente, atualmente, já deleta toda e qualquer informação que foi gravada acidentalmente, como quando algum ruído se parece com a frase “Ok Google”. Entretanto, novos filtros de privacidade serão adicionados para que a identificação dos comandos seja feita de forma correta, e os aparelhos não sejam mais tão sensíveis a outras palavras e frases que se assemelhem a “Ok Google”. Essa nova política de exclusão de dados será implementada pela AVA até o final deste ano.

Google Assistente supera a Siri do iPhone? Opine no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo