Atletas

Por Tainah Tavares*, de Bangkok, Tailândia


Everton ''UBiTa'' Lima é um dos principais nomes do cenário brasileiro de Free Fire Battlegrounds. O jogador entrou para o competitivo do jogo mobile da Garena há poucos meses, mas já coleciona conquistas. Além de ter sido o MVP da Free Fire Pro League 2, o carioca de 19 anos se tornou campeão mundial ao vencer o Streamers Showdown, primeiro torneio internacional do modo Contra Squad. A competição aconteceu no último sábado (21) em Bangkok, na Tailândia. O TechTudo foi até a Ásia acompanhar o campeonato e os seus bastidores. Em entrevista, UBitA contou um pouco sobre a sua origem e seus planos para o futuro, que incluem abrir um canal para fazer streams.

UBita, jogador de Free Fire, fala da sua carreira e origem — Foto: Divulgação/Garena UBita, jogador de Free Fire, fala da sua carreira e origem — Foto: Divulgação/Garena

UBita, jogador de Free Fire, fala da sua carreira e origem — Foto: Divulgação/Garena

Quais são os piores jogos para celular? Opine no Fórum do TechTudo

UBiTA é o típico carioca: tem um sotaque forte, adora ouvir funk e esbanja simpatia. "Repete 'fé' comigo, moça", brinca com as tailandesas antes de subir no palco do Streamers Showdown. O bom humor do pro player reflete o ótimo momento que ele vive em sua carreira. Com a New X, seu antigo time, o player foi campeão e MVP da Free Fire Pro League Brazil 2. Agora UBiTa veste a camisa da paiN Gaming, uma das maiores organizações brasileiras de esports, e sua nova equipe também é um dos destaques na Temporada 3 da Pro League. O troféu na Tailândia chegou para aumentar a coleção de vitórias do jogador.

Todas essas conquistas vieram em um curto espaço de tempo. UBiTa joga Free Fire há cerca de um ano e meio, mas só começou a competir nos últimos quatro meses. "Eu participava de um clã pequeno, e todo mundo dizia que eu jogava bem. Meus amigos falaram que eu tinha que jogar no competitivo, mas eu nem sabia como funcionava", conta o carioca, que sempre acompanhou os torneios de League of Legends (LoL) e Counter Strike: Global Offensive (CS:GO). "Eu adoro, mas nunca consegui jogar os games de PC, porque eu não tinha um computador bom. Então eu ficava nos games mobile".

Ubita vem do subúrbio do Rio de Janeiro: nasceu em Parque Fluminense, em Duque de Caxias. Sua rotina poucos meses atrás era totalmente diferente da que ele vive agora. "Eu estudava e ajudava um pouco o meu pai. Ele trabalhava em quiosque na beira de praia e eu ia com ele para ajudar". Foi em um celular mais básico que ele conheceu Free Fire e começou a jogar. "Eu jogava no tempo livre, logo fiquei viciado".

Brasileiros comemoram conquista do Streamer Showdow na Tailândia — Foto: Tainah Tavares/TechTudo Brasileiros comemoram conquista do Streamer Showdow na Tailândia — Foto: Tainah Tavares/TechTudo

Brasileiros comemoram conquista do Streamer Showdow na Tailândia — Foto: Tainah Tavares/TechTudo

Free Fire é um jogo mobile disponível para download grátis no Android e iPhone (iOS). Com a promessa de rodar até em smartphones de entrada, o game é um fenômeno no Brasil e está entre os títulos mais baixados desde 2018. Os torneios do game Battle Royale também ganham cada vez mais destaque e se diferenciam justamente por darem espaço para usuários das mais diferentes origens. "Foi um oportunidade jogar esses títulos mais acessíveis. Hoje em dia eu consigo viver de jogo, ajudar a minha família e fazer tudo o que eu quero. Isso é gratificante", comenta.

A profissão levou UBiTA para São Paulo. "Eu já morei em várias cidades do Rio. Mas depois que comecei a trabalhar como pro player fui morar em São Paulo. O Rio é o Rio, eu não me acostumei com São Paulo ainda não. Mas estou tentando me adaptar". E apesar da carreira do jogador estar só começando, a maioria dos sonhos que ele tinha já se tornaram realidade. "Eu tinha dois sonhos, ser militar ou ser um profissional de game. Eu achava que esse segundo ia ser o mais difícil, mas acabou sendo o mais fácil".

O plano do jogador é continuar treinando para manter a boa fase da sua carreira e começar a fazer lives. "Eu tenho vontade de virar streamer, porque foi assim que eu conheci o jogo. Eu assistia aos vídeos do PlayHard e passei a gostar de Free Fire. Acho que essa é uma forma de você se divertir e trazer novas pessoas para o game", explica. De resto, UBitA mantém a humildade e revela o que espera do futuro. "Meus planos pro futuro são casar, ter uma casa, um carro, e continuar dando capa", finaliza o jogador.

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

*A jornalista viajou para a Tailândia a convite da Garena

Mais do TechTudo