Telefonia

Por Paulo Alves, para o TechTudo


A Vivo anunciou na última quarta-feira (11) o lançamento do serviço de mensagens RCS para Android no Brasil. Substituto do SMS tradicional, o recurso funciona via Internet e traz funções mais avançadas, similares às oferecidas por aplicativos como o WhatsApp. O uso será gratuito e não irá descontar da franquia de dados do cliente. Para acessar a novidade, basta ter um celular Android com o aplicativo Mensagens instalado. Segundo a operadora, clientes receberão, aos poucos, uma notificação informando sobre a liberação da função.

Vivo libera mensagens no formato RCS para clientes no Brasil — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Segundo a Telefônica, que controla a Vivo, será possível “enviar e receber arquivos, imagens, vídeos e adesivos; acompanhar se o interlocutor está online, ou se está digitando; e criar grupos de conversa”. As mensagens funcionam por meio de dados móveis sem consumir o pacote ou via Wi-Fi – não é obrigatório, portanto, ter cobertura da operadora para se comunicar.

É possível também conversar com usuários de operadoras distintas que já ofereçam o recurso, no Brasil e no mundo. A Vivo é a segunda empresa de telefonia a liberar o RCS no país. Em janeiro de 2019, a Oi disponibilizou a solução para seus clientes. Nos dois casos, a tecnologia é desenvolvida em parceria com o Google. Claro, TIM e Nextel ainda não têm previsão para oferecer o serviço.

O que é RCS

Sigla para Rich Communication Services (Serviços), o RCS é um protocolo de comunicação lançado em 2008 pela GSMA, entidade que representa os interesses de operadoras de telefonia mundialmente. A ideia é que o padrão seja o substituto do SMS, que existe desde o início dos anos 1990.

O RCS opera via Internet e representa um salto tecnológico em relação ao SMS. Em termos de usabilidade, o grande diferencial está no suporte a uma variedade maior de recursos em comparação com o SMS: é possível compartilhar fotos e vídeos de alta resolução, GIFs e outros arquivos.

Essa característica deixa a solução parecida com o WhatsApp, mas o funcionamento é diferente: o RCS é controlado pela operadora, que pode usar o canal para enviar propaganda, assim como ocorre com o SMS. Também não há criptografia de ponta-a-ponta.

O RCS conta com forte apoio do Google, além da Microsoft e de fabricantes de smartphone como Samsung, LG e Lenovo. A Apple, no entanto, fica de fora – a empresa aposta há anos no padrão proprietário iMessage, que não conversa com o RCS.

Mais do TechTudo