Celulares

Por Rodrigo Roddick, para o TechTudo


Uma nova lei na Alemanha está perturbando o sono da Apple. O parlamento aprovou uma proposta que impacta diretamente o uso do Apple Pay porque a maçã tem acesso exclusivo ao NFC em seus dispositivos. A lei, no entanto, exige que a gigante da tecnologia libere o NFC para suas concorrentes, permitindo que outras empresas ofereçam o recurso através do iPhone e Apple Watch.

A proposta surgiu na forma de emenda a uma lei anti-lavagem de dinheiro que deve vigorar no começo de 2020. Ela não chega a mencionar a Apple especificamente, mas aponta para que empresas relacionados com o chamado dinheiro eletrônico passem a oferecer o serviço também no ambiente da maçã mediante pagamento de uma taxa razoável.

Usuários Apple podem pagar com Apple Pay através de iPhones e Apple Watch — Foto: Thássius Veloso/TechTudo Usuários Apple podem pagar com Apple Pay através de iPhones e Apple Watch — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Usuários Apple podem pagar com Apple Pay através de iPhones e Apple Watch — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

A Apple manifestou-se surpresa ante a medida e alegou as complicações que ela pode acarretar às pessoas que fazem uso do Apple Pay habitualmente.

"Estamos surpresos com a repentina apresentação dessa legislação. Tememos que o projeto de lei possa ser prejudicial à facilidade de uso, à proteção de dados e à segurança das informações financeiras", declarou a Apple em nota.

A medida, porém, ainda não está em vigor. Ela precisa ser votada na câmara alta para ser aprovada, mas a previsão é que ela seja sancionada em 2020. Ao que parece, a Alemanha está tentando diminuir o controle de empresas americanas sobre produtos e serviços de tecnologia alemã.

Uma informação preliminar dava conta de que a chanceler Angela Merkel estava pressionando a comissão a retirar a emenda, mas esta alegação foi refutada por um alto funcionário que garantiu a unanimidade dentro do governo a respeito desta mudança.

Caso seja aprovada, a lei pode prejudicar a receita da Apple, pois ela não poderia mais cobrar a taxa de 0,15% sobre cada transação realizada através do Apple Pay, se assemelhando ao Samsung Pay e Google Pay, que não cobram taxas. Mesmo que a medida preveja um valor para as empresas rivais acessarem o NFC da Apple, isso não supriria sua arrecadação.

Outro fator em risco é a disseminação do Apple Pay. Apesar de não terem acesso ao NFC, as outras empresas oferecem alternativas aos usuários através de QR Code e outros métodos de pagamentos, mas devido à conveniência, os usuários acabam optando pelo Apple Pay. Com o NFC liberado, a exclusividade da Apple acabaria.

Por enquanto a lei está sendo proposta apenas na Alemanha e ela ainda não representa um impacto expressivo na receita da Apple. Entretanto, sua aprovação pode incitar outros países a legislar sobre o assunto e se isso acontecer, a Apple pode perder a preferência dos usuários.

Com informações de Reuters, Apple Insider, Business Insider e The Verge

Mais do TechTudo