Por Felipe Vinha, para o TechTudo


Dungeons & Dragons, ou D&D, é o RPG mais popular do mundo e também um dos mais antigos. Atualmente em sua quinta edição, que acaba de ser publicada no Brasil, o popular “sistema”, como é chamado, já inspirou dezenas jogos eletrônicos interessantes ao longo dos anos – direta e indiretamente. Entre uso de regras e adaptação de personagens famosos dos livros para os games, foram muitos. A seguir, contamos sobre os principais – e melhores. Confira:

Breve histórico

D&D possui, pelo menos, mais de 50 jogos ligados com a história ou regras do RPG original e de suas outras versões, como AD&D, ou Advanced Dungeons & Dragons, que também fez muito sucesso. Os primeiros videogames inspirados por D&D saíram ainda em 1987 e 1988, fazendo algum sucesso nos computadores.

D&D já teve vários jogos lançados ao longo dos anos — Foto: Divulgação/Wizards D&D já teve vários jogos lançados ao longo dos anos — Foto: Divulgação/Wizards

D&D já teve vários jogos lançados ao longo dos anos — Foto: Divulgação/Wizards

Contudo, ao longo dos anos, alguns se destacam, superando as outras dezenas de títulos por uma série de fatores: fidelidade às regras, gráficos, diversão e até mesmo diversidade, que é um ponto que sempre foi importante dentro da saga.

Neverwinter

Apesar de existirem diversos jogos com este nome, estamos nos referindo ao mais atual. Neverwinter, um MMORPG lançado em 2013 no PC, que, anos depois, ganhou versão nos consoles. O game traz uma aventura online inspirada na cidade Neverwinter, presente em Forgotten Realms - que é um dos principais cenários de D&D.

Neverwinter é um RPG com várias expansões — Foto: Divulgação/Wizards Neverwinter é um RPG com várias expansões — Foto: Divulgação/Wizards

Neverwinter é um RPG com várias expansões — Foto: Divulgação/Wizards

Apesar de não ser um MMORPG tão famoso quanto outros concorrentes, como World of Warcraft, ele tem forte apelo para os fãs por conta das regras de D&D, que são diretamente usadas no jogo. Além disso, ele é gratuito, o que por si só já atrai uma série de jogadores interessados em vivenciar as aventuras online do RPG.

Eye of the Beholder

Eye of the Beholder foi um game lançado em 1991 para computadores, mas que ficou bem mais famoso em 1994, com uma versão para o Super Nintendo e outra no Sega CD. O título é em primeira pessoa, o que já surpreende de primeira, mas não tem qualquer relação com os FPS da atualidade.

A versão Super Nintendo de Eye of the Beholder — Foto: Divulgação/Capcom A versão Super Nintendo de Eye of the Beholder — Foto: Divulgação/Capcom

A versão Super Nintendo de Eye of the Beholder — Foto: Divulgação/Capcom

Na verdade ele traz uma exploração de masmorras de maneira rústica, usando como pano de fundo o Observador, criatura extremamente famosa e temida dentro do universo mágico criado por Dungeons & Dragons. O sucesso foi tão grande que gerou duas sequências diretas.

Baldur’s Gate

Baldur’s Gate também é o nome de vários jogos dentro do universo de D&D, mas o primeiro, que saiu em 1998 para PC, é o melhor exemplo para ser usado por aqui. O jogo utiliza uma versão levemente modificada das regras da segunda edição de AD&D, mantendo a fidelidade em certa nível.

O primeiro Baldur’s Gate — Foto: Divulgação/Black Isle O primeiro Baldur’s Gate — Foto: Divulgação/Black Isle

O primeiro Baldur’s Gate — Foto: Divulgação/Black Isle

A visão é isométrica e o jogo se foca na ação e exploração, com a possibilidade de pausar durante os combates, para programar os atos de seus personagens. Ele também se passa em um mundo existente de D&D e mudou a forma como os games do RPG existiam, a partir de seu lançamento.

Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara

Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara, de maneira inusitada, foi um game produzido pela Capcom, utilizando a licença de D&D oficial. Este título é, na verdade, o segundo da série, mas merece ser citado pela sua alta qualidade.

Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara — Foto: Divulgação/Capcom Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara — Foto: Divulgação/Capcom

Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara — Foto: Divulgação/Capcom

Lançado em 1996 nos fliperamas, Shadow Over Mystara trazia pequenas menções e referências às regras do D&D, mas apresentando personagens de classes muito conhecidas, como ladino, mago, clérigo, entre outros. O jogo era de “beat’em up”, ou seja, de andar e bater, similar a Final Fight, também da Capcom. Gráficos desenhados em 2D eram o destaque.

Outros games

A verdade é que, apesar de existirem dezenas de jogos baseados em D&D e inspirados em suas regras, nem todos se saíram tão bem quanto deveriam. Muitos são específicos demais para o nicho e acabam não agradando tanto o “público de fora”. Outros não possuem uma qualidade geral muito alta. Há outros, porém, que vão pelo caminho contrário: um bom exemplo foi Sword Coast Legends, game que saiu em 2015 com um forte apelo multiplayer, mas que falhou por questões de marketing.

Baldur's Gate 3 chega ao PC e Stadia em 2020 — Foto: Divulgação/Larian Baldur's Gate 3 chega ao PC e Stadia em 2020 — Foto: Divulgação/Larian

Baldur's Gate 3 chega ao PC e Stadia em 2020 — Foto: Divulgação/Larian

Nem sempre um jogo com a marca D&D é sinônimo de sucesso. Por uma série de fatores. Em breve receberemos o aguardado Baldur’s Gate 3, possivelmente com regras baseadas na quinta edição do Dungeons & Dragons. O lançamento é aguardado para 2020, no Stadia e computadores da geração atual.

Mais do TechTudo