Times

Por Bruna Telles, para o TechTudo


A RED Canids é um dos times finalistas da Season 3 da Free Fire Pro League Brasil 2019. A organização entrou para o cenário competitivo de Free Fire Battlegrounds em março deste ano, com a aquisição da line up da Tropa M3C, vencedora da Season 1 do torneio. Com dois jogadores na lista dos cinco players que mais conquistaram kills na Season 3 da Pro League, a RED se junta aos outros 11 finalistas no dia 9 de novembro no Rio de Janeiro, para disputar o prêmio de R$ 35 mil e vaga na Free Fire World Series. O torneio mundial do Battle Royale da Garena também acontece na capital carioca, no dia 16 de novembro.

Em conversa com o TechTudo os jogadores do time falaram sobre suas histórias com o jogo, origens de seus nicks e suas inspirações nos esports. Conheça, a seguir, a line up de Free Fire da RED Canids.

RED anuncia novo time de Free Fire para disputar o Campeonato Mundial — Foto: Reprodução/Twitter RED Kalunga RED anuncia novo time de Free Fire para disputar o Campeonato Mundial — Foto: Reprodução/Twitter RED Kalunga

RED anuncia novo time de Free Fire para disputar o Campeonato Mundial — Foto: Reprodução/Twitter RED Kalunga

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Morato

Com apenas 17 anos, o paulistano de Catanduva é o mais novo do elenco. Usando seu próprio sobrenome como nick, Morato conheceu Free Fire em 2018, quando começou a jogar o Battle Royale por incentivo de um amigo. O player entrou para o competitivo por meio de uma peneira com vários jogadores. Morato, que nunca havia competido profissionalmente antes, contou que viajar é seu maior hobby.

Alemão

Weliton "Alemao" Gawenda entrou para RED Canids após vencer a Season 1 da Free Fire Prro League com a Tropa M3C — Foto: Divulgação/RED Canids Weliton "Alemao" Gawenda entrou para RED Canids após vencer a Season 1 da Free Fire Prro League com a Tropa M3C — Foto: Divulgação/RED Canids

Weliton "Alemao" Gawenda entrou para RED Canids após vencer a Season 1 da Free Fire Prro League com a Tropa M3C — Foto: Divulgação/RED Canids

O paranaense de 19 anos começou no Free Fire de maneira casual, jogando apenas como diversão. Natural da cidade de Coronel Vivida, Alemão venceu a primeira temporada da Pro League com a Tropa M3C, resultando no convite para integrar o time da RED Canids. Sem experiência como pro player antes de entrar para cena de Free Fire, Alemão seguia uma rotina comum, dedicada ao trabalho e aos estudos. Seu nick vem do apelido pelo qual era chamado pelos amigos, e o jogador que mais lhe inspira é Blackn444, que já defendeu o time de Free Fire da INTZ.

Free Fire já foi processado pelo PUBG? Entenda no Fórum do TechTudo

Madanza

Pedro "Madanza" de Sousa também estava no elenco da Tropa M3C que venceu a Season 1 da Free Fire Pro League — Foto: Divulgação/RED Canids Pedro "Madanza" de Sousa também estava no elenco da Tropa M3C que venceu a Season 1 da Free Fire Pro League — Foto: Divulgação/RED Canids

Pedro "Madanza" de Sousa também estava no elenco da Tropa M3C que venceu a Season 1 da Free Fire Pro League — Foto: Divulgação/RED Canids

Nascido em Brasília, Madanza começou a jogar Free Fire em 2018, por incentivo dos amigos. Antes, o jogador cursava o terceiro ano do ensino médio e dedicava-se apenas aos estudos. Embora também não tenha experiência como pro player anterior ao Free Fire, o brasiliense revelou que jogava muito Battlefield 4. Seu nick tem uma origem curiosa: a Família Madá, grupo de rap da Vila Madalena, em São Paulo. A vitória da primeira Pro League rendeu o convite para jogar na RED, time que Madanza diz ser sua maior inspiração.

Dexter

Com 19 anos, Dexter é da cidade de Sertãozinho, São Paulo. Antes de ser pro player, Dexter era estudante, e conheceu o jogo por indicação de um amigo. Seu hobby sempre foram os games, e anterior ao Free Fire, Dexter já jogou profissionalmente títulos como GTA 5, Call of Duty e Counter-Strike. O pro player que mais o inspira é Blackn444, e seu nick tem como referência o cantor paulistano de rap Dexter. Orgulhoso de ter chegado até onde chegou no Free Fire, o atleta agradeceu aos amigos e a família pelo apoio constante.

Mais do TechTudo