Telefonia

Por Rodrigo Roddick, para o TechTudo

Brecha no 5G permite rastrear aparelhos e forjar alertas de emergência Brecha no 5G permite rastrear aparelhos e forjar alertas de emergência
Reprodução/How-To Geek

Apesar de ser o futuro das telecomunicações, o 5G começa a revelar seu lado problemático. Pesquisadores dos Estados Unidos descobriram várias brechas de segurança no novo padrão que permite alcançar altas velocidades de transmissão. Testes apontaram para vulnerabilidades que podem ser usadas por terceiros para rastreamento de dispositivos, desconectá-los silenciosamente da rede e até emitir alertas de emergências falsos

O método utilizado pelos pesquisadores foi a criação de uma nova ferramenta chamada 5GReasoner. Eles se valeram de experiências anteriores para gerar ataques às redes 5G e descobrir as 11 brechas na internet. Segundo eles, tais problemas podem ocorrer também nas redes 4G.

A equipe de pesquisadores conseguiu, no primeiro ataque, obter uma série de informações de identificação do celular da vítima. Na prática, isso permite rastreá-lo. Uma pessoa má intencionada pode localizar outra a partir destas informações, com a possibilidade de até mesmo tomar o controle remoto do aparelho. O hacker pode enviar mensagens de alerta falsas, levando os atingidos a um “caos artificial”.

Os cientistas conseguiram reduzir a velocidade e até desconectar o aparelho da rede de maneira continuada. O ataque pode ser prejudicial se for usado, por exemplo, para controlar automóveis através da rede 5G remotamente. A interrupção na conexão poderia ocasionar acidentes de trânsito.

Após explicar as consequências das invasões através da rede 5G, os pesquisadores deixaram claro que não pretendem divulgar as minúcias dos procedimentos adotados para a descoberta dessas falhas. Eles prometaram compartilhar as informações com a GSMA, órgão que representa inúmeras empresas de telefonia móvel ao redor do mundo.

Após tomar ciência desse estudo, a GSMA se pronunciou, revelando que estas brechas foram “julgadas nulas ou de baixo impacto na prática”, mas não deixou claro se destacaria esforços para resolvê-las. A porta-voz da organização, Claire Cranton, ainda alegou que algumas das falhas são facilmente corrigíveis, mas outras demandariam "uma quantidade razoável de alteração no protocolo".

Esses problemas geram tensão no mercado 5G em ascensão que já se prepara para receber a tecnologia. No Brasil, a Anatel já está analisando a proposta de edital das vendas das licenças. Ainda há mais algumas etapas antes da aprovação do leilão, mas ele está previsto para acontecer no segundo semestre de 2020.

Com informações de Android Police, TechCrunch e Valor Econômico

Mais do TechTudo