Jogos de tiro

Por Thaime Lopes, para o TechTudo


Rainbow Six: Siege (R6) receberá um novo sistema de penetração dos membros dos operadores, segundo anúncio da Ubisoft na última quarta-feira (13). A mudança chegará primeiramente ao servidor de testes da última temporada de 2019, e depois a todos os jogadores com a chegada da operação Shifting Tides. A atualização traz alterações importantes para o dano causado aos agentes durante as partidas e promete impactar o competitivo do Rainbow Six. Confira, a seguir, como as mudanças podem afetar o metagame.

Última temporada do quarto ano do jogo chegará com mudanças importantes — Foto: Divulgação/Ubisoft

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Estilos de penetração

Para entender os ajustes, é preciso compreender como as balas atingiam os agentes até agora. De acordo com a Ubisoft, quase todas as armas presentes no Rainbow Six seguem o modelo de não penetração, quando a bala atinge apenas uma parte do corpo. Por conta disso, o projétil não atravessa de um ponto para o outro do corpo do agente, causando menos dano.

Porém, com a chegada da temporada nova, as armas serão divididas em três estilos de penetração: sem penetração, simples e completa. A primeira será igual ao estilo atual e ficará restrita a espingardas e pistolas-metralhadoras, que deverão perder popularidade entre os jogadores já que seus tiros ficarão restritos apenas ao primeiro ponto atingido. A simples será aplicada em rifles de assalto, submetralhadoras, pistolas, metralhadoras leves e revólveres. Já a completa, que causará o máximo de dano, estará presente nas snipers.

A penetração simples funcionará da seguinte forma: ao atingir um agente, a bala poderá seguir sua trajetória e causar dano a mais em uma parte do corpo. Por exemplo, se um personagem estiver deitado, com o braço na frente do torso, e o adversário atirar nesse braço, o projétil atravessará o membro e chegará até o torso. Por isso, a letalidade aumentará consideravelmente quando comparado com o modelo atual. No modelo antigo, seria considerado apenas o impacto da bala no braço. Esse ajuste poderá significar menos tiros necessários para eliminar um oponente e mais rapidez no abate, o que promete deixar as partidas ainda mais competitivas.

Quadro exemplifica os novos tipos de penetração — Foto: Divulgação/Ubisoft

Já na penetração completa, a bala terá potencial de, além de atingir um agente, chegar até o próximo personagem que estiver por perto. Nesse caso, se houver dois operadores um atrás do outro, o primeiro receberá dano de acordo com sua blindagem na parte do corpo que for atingida, mas o segundo atingido irá receber 70% menos dano, porque a bala já havia passado por um obstáculo antes.

Isso significa que, no caso das snipers, os agentes conseguirão atingir mais de um adversário. Dessa forma, o uso dessas armas se torna ainda mais estratégico durante as partidas, coincidindo com a chegada da nova operadora de ataque, dona de um poderoso rifle atirador de elite. O Glaz, que também cumpre a função de sniper, talvez se torne um personagem mais popular entre os jogadores com os ajustes. A estratégia da defesa também deve mudar. É comum que agentes fiquem próximos uns aos outros para observar janelas, mas, com as mudanças, a proximidade pode significar danos letais para mais de um personagem, então será necessário dobrar a atenção nesse quesito.

Dano e blindagem em R6 vai mudar — Foto: Divulgação/Ubisoft

Cálculo de dano e blindagem

Seguindo o novo modelo de penetrações simples e completa, a quantidade de dano que um projétil poderá causar a um operador dependerá do membro atingido e qual o nível de blindagem daquele agente. Ao atingir mãos, braços e pernas, o modificador de dano oscilará entre 0,65 (blindagem um e dois) e 0,75 (blindagem três). Torso e virilha terão modificador 1,0, enquanto o número para pescoço e cabeça é de 50. Os headshots continuam sendo o principal objetivo na hora de atingir um adversário.

Já a blindagem, fator determinante para proteção do agente, funcionará da seguinte forma: se o operador tiver blindagem um, o que normalmente significa que ele é mais rápido, receberá dano total da arma que o atingir. No caso de blindagem dois, esse dano cairá 10% e, nos de blindagem três, cairá 20%. Tudo dependerá do estilo de jogo e estratégia do player, pois o jogador que estiver com um operador ágil, poderá fugir muito mais rápido de um confronto direto do que quem escolher um personagem pesado, que provavelmente receberá dano contínuo do adversário por não conseguir correr tão rápido.

Via Ubisoft

Mais do TechTudo