Celulares

Por Thássius Veloso, da redação

Caso MiStore Brasil: loja não oficial da Xiaomi reaparece e pede desculpas Caso MiStore Brasil: loja não oficial da Xiaomi reaparece e pede desculpas
Aline Batista/TechTudo

A loja virtual MiStore Brasil, que ganhou as manchetes nesta semana por sumir do mapa e acumular dezenas de reclamações, reapareceu na internet. A empresa pediu desculpas e comunicou o encerramento das operações. Também deu orientações para compradores de celulares da Xiaomi. Ainda assim, ao menos o Mercado Pago anunciou a expulsão da marca na plataforma de pagamentos por quebra de contrato.

O sumiço da empresa causou confusão pois ela vende produtos da gigante chinesa, mas não tem autorização para tal. A única importadora e distribuidora autorizada para o mercado doméstico se chama DL. Ela é responsável pela seção brasileira do site oficial mi.com.

Nota de esclarecimento publicada no mistorebrasil.com.br — Foto: Reprodução/TechTudo Nota de esclarecimento publicada no mistorebrasil.com.br — Foto: Reprodução/TechTudo

Nota de esclarecimento publicada no mistorebrasil.com.br — Foto: Reprodução/TechTudo

A MiStore Brasil cita “forças maiores” para comunicar a “despedida” do setor. Compradores de smartphones da Xiaomi são orientados a solicitar o ressarcimento nas plataformas de pagamento digital. As queixas dispararam depois da Black Friday 2019, de acordo com levantamento do Reclame Aqui divulgado pelo TechTudo com exclusividade.

O texto não dá indícios de que os responsáveis pela loja tentarão entregar os equipamentos comprados pelos brasileiros. O TechTudo tenta contato com a MiStore desde terça-feira (14), mas não obteve resposta.

Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil; veja preço e ficha técnica

Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil; veja preço e ficha técnica

A loja não autorizada recomenda que os clientes procurem diretamente o Mercado Pago, o PagSeguro e o PayPal para solicitar o reembolso do dinheiro gasto.

Em nota, o Mercado Pago esclarece que cabe ao vendedor realizar o reembolso dos clientes. “Como plataforma de processamento de pagamentos, o Mercado Pago apenas viabiliza a devolução dos valores aos clientes, a partir de recursos existentes na conta do lojista, uma vez que as compras foram efetuadas diretamente no site da MiStore”, informou a empresa. Ela comunicou que a MiStore Brasil foi expulsa da plataforma.

O PayPal adotou medidas similares. O PagSeguro não respondeu ao pedido de nota para esta matéria.

A marca da MiStore Brasil está presente ainda em lojas físicas de algumas cidades, no formato de quiosques em shoppings. Os responsáveis pelo empreendimento online informaram que os franqueados devem abandonar o nome para que os clientes não façam “a ligação de uma para com a outra”.

Repercussão no mercado

Confira a nota completa enviada pelo Mercado Pago nesta sexta-feira (17):

“O Mercado Pago esclarece que cabe ao vendedor MiStore o reembolso dos clientes, uma vez que a empresa é beneficiária dos pagamentos. Como plataforma de processamento de pagamentos, o Mercado Pago apenas viabiliza a devolução dos valores aos clientes, a partir de recursos existentes na conta do lojista, uma vez que as compras foram efetuadas diretamente no site da MiStore. Neste caso, os compradores devem entrar em contato diretamente com a MiStore para ressarcimento do valor pago. O Mercado Pago informa ainda que, em razão do descumprimento dos Termos e Condições de Uso, o vendedor MiStore foi inabilitado na plataforma de processamento de pagamentos.

A empresa ressalta que o reembolso via Programa Compra Garantida é aplicado apenas às compras realizadas dentro da plataforma Mercado Livre.”

O PayPal também se pronunciou:

“O atendimento ao cliente e a resolução de questões do usuário são aspectos importantes para o PayPal. Continuamos trabalhando com clientes impactados para fornecer informações que lhes permitam resolver qualquer questão. O Programa de Proteção ao Comprador do PayPal possibilita aos consumidores que fizeram uma compra utilizando o PayPal como forma de pagamento e não receberam o produto adquirido ou receberam um produto diferente da descrição abrir uma disputa por meio do Programa de Proteção ao Comprador. Se a transação cumprir com os requisitos do Programa, o consumidor poderá receber um reembolso no valor do produto. Como a MiStore descumpriu o Contrato do Usuário do PayPal, não pode mais processar pagamentos em nossa plataforma. Incentivamos nossos clientes que têm dúvidas, precisam de assistência ou esclarecimento sobre a política e os programas do PayPal a entrar em contato com nossas equipes de atendimento ao cliente.”

Parceira da Xiaomi no Brasil, a importadora DL enviou o seguinte comunicado na segunda-feira (13):

“A DL, importador e distribuidor oficial dos produtos da Xiaomi no Brasil, informa que tomou ciência do caso a partir das matérias publicadas na imprensa e que não tem qualquer envolvimento com a operação e a loja online em questão. A empresa reforça que os canais oficiais online são o e-commerce mi.com e a venda em marketplace nos canais B2W (Americanas.com, Submarino e Shoptime), Magazine Luisa, Via Varejo, Carrefour e Ricardo Eletro. Fisicamente, os produtos da Xiaomi de forma oficial estão disponíveis nas duas lojas da marca localizadas em São Paulo (Shoppings Ibirapuera e Center Norte) e em outros varejistas espalhados pelo Brasil.

Por fim, a empresa recomenda que as compras online sejam feitas apenas nos canais acima informados e, em caso de compras físicas, sempre solicitar a embalagem do produto para garantir a presença do selo Anatel, informações em português da origem do produto e que contenha ainda as informações claras do único importador oficial, a DL, em sua embalagem.”

Mais do TechTudo