Celulares

Por Rodrigo Roddick, para o TechTudo


A marca chinesa Hisense apresentou na CES 2020 o primeiro smartphone com tela e-ink (tinta eletrônica) colorida do mundo. O display, que está presente em muitos e-readers como o Kindle, funciona com uma pigmentação eletrônica que forma as imagens e caracteres. Por isso, gasta menos bateria que uma tela LCD ou OLED.

O grande desafio das telas e-ink era aumentar as taxas de atualização, o que a Hisense diz ter melhorado no projeto atual. A tela precisa apenas de energia para formar a imagem, depois para apagar e formar outra. Desse modo, durante todo o tempo que os caracteres estiverem imóveis na tela, o painel não consome energia alguma.

Hisense lança telefone com tela e-ink colorida durante CES 2020 — Foto: Reprodução/Tom's Guide Hisense lança telefone com tela e-ink colorida durante CES 2020 — Foto: Reprodução/Tom's Guide

Hisense lança telefone com tela e-ink colorida durante CES 2020 — Foto: Reprodução/Tom's Guide

O novo telefone da Hisense representa uma alternativa aos celulares com as telas tradicionais do mercado, mas ele não é primeiro a adotar a tinta eletrônica em seu display. Outros modelos já foram anunciados em anos anteriores, até mesmo pela própria Hisense, mas contavam apenas em preto e branco. Agora que a tela e-ink é colorida, a experiência em ler HQs e livros ilustrados deve ser melhor.

Entretanto, não foi apenas a ausência de cor que contribuiu para a baixa recepção do público. As taxas de atualização de uma tela e-ink não conseguem competir com as tecnologias LCD/OLED e, portanto, o painel é mais favorável para imagens estáticas. Apesar da Hisense ter revelado que implementou melhorias na versão colorida, o display e-ink ainda não consegue reproduzir vídeos. Portanto, os amantes de jogos provavelmente não devem se interessar por dispositivos com essa tecnologia.

A tinta eletrônica é adotada em muitos aparelhos para ler e-books e, por esse motivo, o celular é mais indicado para usuários que costumam ler muitas notícias, livros, jornais e revistas através do smartphone. Também é conveniente para quem precisa escrever no celular. Além de economizar bateria, a tela e-ink não emite luz diretamente aos olhos do usuário como os displays tradicionais, portanto não é prejudicial à visão humana.

A inovação da Hisense abre portas para um possível segmento de smartphones com telas e-ink, mas também contribui para o movimento de segunda tela, tecnologia adotada por fabricantes como LG no G8X ThinQ. As empresas podem, por exemplo, adotar uma tela OLED para exibição de vídeos e jogos e um segundo painel e-ink para leitura.

Ainda não há informações oficiais sobre lançamento do celular com a tecnologia. No entanto, a Hisense afirmou que a tinta eletrônica colorida já está disponível para produção em massa.

Com informações de GizmoChina, 4G News, Tom's Guide

Samsung Galaxy S10 Lite: testamos o celular na CES 2020

Samsung Galaxy S10 Lite: testamos o celular na CES 2020

Mais do TechTudo