Segurança

Por Pedro Cardoso, para o TechTudo


O Google removeu da Play Store mais de 1,7 mil apps com o malware Bread, também conhecido como Joker, que poderia causar prejuízos financeiros às vítimas. De acordo com texto no blog oficial de segurança da companhia, publicado nesta quinta-feira (9), os engenheiros estariam monitorando as atividades do código malicioso desde 2017, e classificaram esta como uma das ameaças mais persistentes dos últimos anos.

A dificuldade de combater o Joker se dá por dois motivos principais. Primeiro, porque ele se adapta às atualizações de segurança do Google Play Protect, o que dificulta a sua identificação em muitos casos. Segundo, porque o algoritmo costuma trabalhar de forma furtiva, aplicando técnicas para se manter escondido na maior parte do tempo.

Malware conhecido como Joker fazia assinaturas em nome da vítima — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo Malware conhecido como Joker fazia assinaturas em nome da vítima — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

Malware conhecido como Joker fazia assinaturas em nome da vítima — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

Como o malware é focado em fraude financeira, ele não era ativado em países que não possuíssem serviços de assinatura por SMS ou similares, para evitar ser detectado. Além disso, de acordo com o site The Next Web, o Joker não estava presente nas primeiras versões dos apps que utilizou para atuar, o que facilitou a aprovação deles na Google Play Store antes de apresentarem indícios maliciosos.

Como o Joker funciona?

Em um primeiro momento, o Joker utilizava a técnica do SMS para fazer assinaturas de conteúdo no nome do próprio usuário atingido, que recebia a cobrança em sua conta do cartão de crédito, gerando prejuízo financeiro.

Assim que o Google fechou as portas para essa estratégia, os hackers por trás do Joker mudaram a operação para a conexão WAP. Eles utilizavam os dispositivos infectados para acessar páginas de pagamento por meio do chamado Wireless Application Protocol ("protocolo de aplicação sem fio", em tradução livre). Desse modo, a cobrança era feita diretamente na conta telefônica do usuário.

Joker se espalhava por SMS — Foto: Luciana Maline/TechTudo Joker se espalhava por SMS — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Joker se espalhava por SMS — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Como se proteger?

Os softwares maliciosos já foram removidos da Play Store, e a partir deste ponto, já não é possível baixar o malware Joker, de acordo com o Google. Entretanto, vale sempre o alerta para não fazer o download de apps com origem duvidosa. Procure sempre os programas de desenvolvedores conhecidos ou indicados pela loja virtual.

O TechTudo publicou, em setembro de 2019, uma lista de 24 apps que comprovadamente tinham o Joker (ou Bread) instalado. Se você fez uso de algum deles, desinstale-o do seu smartphone e revise as credenciais de assinatura da sua conta de celular, para verificar se há algum serviço indevidamente contratado. Outra medida importante é ativar os padrões de autenticação dupla para compra de apps e assinaturas.

Como remover vírus em um celular Android

Como remover vírus em um celular Android

Mais do TechTudo