Telefonia

Por Rodrigo Roddick, para o TechTudo


A Huawei anunciou a instalação de antenas de 5G para ajudar no combate ao coronavírus na China. Os equipamentos estão em uma espécie de hospital de campanha em Wuhan, cidade que concentra maior número de infecções pelo vírus. O projeto segue o modelo implementado no centro médico em Xiaotangshan, erguido em apenas sete dias. Os esforços da empresa devem levar a redes ultravelozes para transmissão de dados, consultas remotas, monitoramento e outros serviços.

A gigante chinesa também destacou uma equipe emergencial capaz de atender solicitações da comunidade de Wuhan. A cidade entrou em quarentena após o registro de mais de 1.300 casos confirmados de contaminação. A gigante chinesa fechou parceria com as empresas Hubei Mobile e Hubei Unicom.

Huawei ajuda instalar internet 5G para combater o coronavírus — Foto: Reprodução/Giz China Huawei ajuda instalar internet 5G para combater o coronavírus — Foto: Reprodução/Giz China

Huawei ajuda instalar internet 5G para combater o coronavírus — Foto: Reprodução/Giz China

Com as novas estações 5G em Wuhan, a Huawei espera que a comunicação entre outros estados da China com a área em quarentena seja feita de maneira mais rápida e eficiente. A ideia é que consultas e monitoramento do quadro de saúde sejam realizados remotamente com suporte da nova conexão. Como os habitantes de Wuhan estão impossibilitados de sair da região, a medida amplia o fornecimento de serviços hospitalares, bem como o acompanhamento do avanço ou regresso do vírus.

Internet 5G visa fornecer assistência e monitoramento remoto a habitantes de Wuhan — Foto: Reprodução/ Giz Mochina e Giz China Internet 5G visa fornecer assistência e monitoramento remoto a habitantes de Wuhan — Foto: Reprodução/ Giz Mochina e Giz China

Internet 5G visa fornecer assistência e monitoramento remoto a habitantes de Wuhan — Foto: Reprodução/ Giz Mochina e Giz China

A Huawei não foi a única empresa de tecnologia a ajudar no combate ao coronavírus. Marcas como a Xiaomi e a Apple também estão empenhadas em retardar o avanço da doença. A Xiaomi chegou a enviar lotes com máscaras N95, máscaras médicas e termômetros para a região em quarentena. O montante da doação totaliza 300.000 yuans (cerca de R$ 182 mil em conversão direta).

Já a Apple não especificou a natureza das doações, mas de acordo com Tim Cook, presidente da empresa, a maçã fornece apoio para grupos táticos na intenção de ajudar as pessoas afetadas pelo vírus. A empresa americana também acompanha a evolução do surto que registrou dois casos nos Estados Unidos. O controle de doenças do país investiga mais 61 casos que podem ser diagnosticados como coronavírus.

Com informações de GizmoChina (1/2), Giz China e 9To5Mac

Huawei Mate X: tudo sobre o celular dobrável

Huawei Mate X: tudo sobre o celular dobrável

Mais do TechTudo