Placas

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A Apple pode trocar os processadores Intel por chips próprios em seus computadores a partir de 2021, de acordo com o analista de mercado Ming-Chi Kuo. Essa medida aparece em rumores da Internet há algum tempo, já que componentes de arquitetura ARM são desenvolvidos pela maçã e utilizados em iPhones e iPads há mais de uma década. Processadores desse tipo têm ganhado destaque pela boa performance nas últimas gerações, que, em alguns casos, chegaram a bater modelos topo de linha de AMD e Intel.

Analista acredita que Apple está perto de lançar Mac com processador próprio — Foto: Divulgação/Apple

O processador é o mesmo que deve substituir os atuais A13 encontrados nos iPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max em uma nova geração do celular da maçã. O analista afirma que a migração para um eventual A14 teria respaldo na chegada dos processos de fabricação de 5 nanômetros, associados com ganhos de performance e eficiência no consumo de energia. Dessa forma, as CPUs da nova geração seriam candidatas ideais para essa mudança.

Do ponto de vista técnico, a troca iria muito além de uma simples substituição de fornecedor. Os chips Intel são construídos em torno de uma arquitetura chamada x86, bastante diferente dos modelos com padrão ARM utilizado nos processadores da Apple. Isso significa que a mudança pode representar desafios em relação ao suporte de softwares criados para rodar em uma ou outra arquitetura.

Esse é o mesmo problema encarado por Microsoft e Qualcomm no processo de trazer os Snapdragons, que também são do tipo ARM, para o Windows. Em todo caso, é importante lembrar que a Apple tem alguma experiência nesse assunto, já que realizou com sucesso a migração da plataforma PowerPC da IBM para chips Intel entre 2006 e 2007.

Apple aproveitaria o avanço para manufatura de 5 nanômetros para realizar a migração — Foto: Reprodução/Apple

Também contribuem para essa troca nos processadores algumas mudanças recentes no sistema macOS, que agora oferece ferramentas para que desenvolvedores possam converter apps criados para iPads com maior facilidade. Além disso, a fabricante estabeleceu uma política de compra universal em sua loja de aplicativos, em que qualquer programa adquirido para iOS também pode ser instalado em computadores da maçã.

Além de representar um controle ainda maior sobre o design de seus PCs, o que já acontece nos celulares, a arquitetura ARM por trás dos processadores tende a render chips muito mais eficientes em relação ao consumo de energia. Portanto, é bastante possível que essas CPUs apareçam primeiro em MacBooks, que têm proposta portátil.

Os celulares mais recentes da maçã trazem um chip com arquitetura ARM. Veja o que achamos:

iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max: testamos os celulares da Apple

iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max: testamos os celulares da Apple

Mesmo que Kuo não esteja correto quanto a essa troca, existem outros indícios de que a Apple tem planos para abandonar os produtos da Intel. Em um código encontrado nas últimas versões beta para desenvolvedores do macOS, há referências diretas a processadores da AMD, que já é a fornecedora de placas de vídeo dos Macs.

Via 9to5Mac, Tom’s Hardware (1 e 2)

Mais do TechTudo