Segurança

Por Aline Batista, da Redação


No Dia Internacional da Internet Segura, comemorado nesta terça-feira (11), a Microsoft divulgou uma pesquisa sobre os riscos da segurança online. De acordo com o levantamento, no Brasil, contatos indesejáveis, sexting indesejado e farsas, fraudes e golpes representam os maiores perigos na Internet para os usuários. Além disso, a pesquisa mostrou um aumento no Índice de Civilidade Digital (DCI) do país, em relação ao último ano, o que indica que as pessoas estão tendo uma menor percepção das ameaças online.

A pesquisa foi realizada com 12.500 adultos e adolescentes, com idades entre 13 e 74 anos, em maio de 2019. Ao todo, 25 países participaram da análise, que avaliou as percepções das pessoas sobre o atual estado da cidadania digital. Aqui no Brasil, foram entrevistadas 502 pessoas. A seguir, veja quais são as principais ameaças que os brasileiros enfrentam na Internet.

WhatsApp: cinco dicas para usar o app com segurança

WhatsApp: cinco dicas para usar o app com segurança

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Riscos online

Antes de analisar a pesquisa, é importante explicar foram identificados 21 riscos online, que podem ser separados em quatro grandes grupos:

  1. Ameaças intrusivas/pessoais: contato indesejável; farsas, fraudes, golpes; discurso de ódio; discriminação; recrutamento terrorista e misoginia
  2. Ameaças comportamentais: trollagens; assédio online; tratamento maldoso; trotes microagressões e cyberbullying
  3. Ameaças sexuais: recebimento de sexting; envio de sexting; pedidos sexuais; sextorsão; pornografia de vingança e assédio sexual
  4. Ameaças reputacionais: danos à reputação pessoal; danos à reputação profissional e publicação de informações privadas

Riscos online no Brasil

De acordo com os brasileiros, as ameaças que mais oferecem riscos para a segurança pessoal na Internet são conteúdos intrusivos ou de cunho sexual. Contatos indesejáveis e sexting indesejado são os principais ameaças do ponto de vista dos usuários, com 42% e 26%, respectivamente. Em seguida, estão farsas, fraudes e golpes (24%), assédio moral (24%) e assédio sexual (22%). Apesar disso, foram os riscos de origem comportamental, como assédio online e cyberbullying, que apresentaram os maiores índices de aumento em relação ao ano anterior, com crescimento de 7%.

Contatos indesejáveis e sexting indesejado são os principais ameaças online no Brasil — Foto: Reprodução/Malwarebyt Contatos indesejáveis e sexting indesejado são os principais ameaças online no Brasil — Foto: Reprodução/Malwarebyt

Contatos indesejáveis e sexting indesejado são os principais ameaças online no Brasil — Foto: Reprodução/Malwarebyt

O Brasil está longe de ser um país digitalmente civilizado. O país agora conta com um Índice de Cidadania Digital (DCI) de 72% e ocupa a 15ª posição no ranking em relação aos 25 países que participaram do estudo. Vale ressaltar que quanto maior o DCI, maior é a exposição ao risco das pessoas e menos o nível percebido de civilidade online.

Segundo os entrevistados, os temas que mais geram discussões e conflitos na Internet são: política (53%), orientação sexual (34%), religião (33%), aparência física (30%) e raça (29%). A exposição a riscos online também aponta para uma tendência de dor emocional e psicológica, entre outras consequências negativas. 93% dos brasileiros entrevistados já sofreram com problemas online, sendo que 71% já experimentou essas situações, pelo menos, duas vezes.

Além disso, 37% das ameaças relatadas aconteceram na última semana/mês e 86% dos usuários temem que esses problemas voltem a acontecer. Para os brasileiros, os riscos mais dolorosos são: microagressões (77%), maus tratos (74%), danos à reputação profissional (73%), misoginia (72%) e cyberbullying (72%). As mulheres têm uma percepção de que essas ameaças são um problema maior.

A maioria dos brasileiros já sofreu com problemas online — Foto: Divulgação/Creative Commons A maioria dos brasileiros já sofreu com problemas online — Foto: Divulgação/Creative Commons

A maioria dos brasileiros já sofreu com problemas online — Foto: Divulgação/Creative Commons

Os dados relacionados aos adolescentes também são preocupantes, porque 75% das pessoas que experimentaram alguma ameaça diz ter sofrido de uma dor insuportável, mas somente 48% pediu ajuda aos pais e 63% soube onde encontrar ajuda. Já entre os adultos, a geração millenials é o grupo com maior risco.

Índice de Cidadania Digital no mundo

Considerando os entrevistados de todos os países participantes, a pesquisa concluiu que a exposição a riscos online aumentou principalmente nas seguintes áreas: contato indesejado; farsas, fraudes e golpes; sexting indesejado; tratamento maldoso e trollagens.

O país que mais se destacou na pesquisa, com menor DCI, foi o Reino Unido. Isso significa que sua população tem uma maior consciência sobre os riscos de segurança online. Em seguida, no ranking, estão Holanda, Alemanha, Malásia e Estados Unidos. Por outro lado, os países com maiores Índices de Cidadania Digital são África do Sul, Peru, Colômbia, Rússia e Vietnã. O Brasil ocupa a 15ª no levantamento.

Índice de Cidadania Digital dos países em 2019 e 2018 — Foto: Reprodução/Microsoft Índice de Cidadania Digital dos países em 2019 e 2018 — Foto: Reprodução/Microsoft

Índice de Cidadania Digital dos países em 2019 e 2018 — Foto: Reprodução/Microsoft

Ainda a nível global, os riscos online são considerados um grande problema pela maioria dos usuários. Farsas, fraudes e golpes são vistos como algo grave para 80% dos entrevistados, enquanto ameaças de origem sexual são consideradas um grande problema para 79%. Contato indesejado e riscos comportamentais ficam com 63% e 71%, respectivamente.

Mais da metade dos entrevistados têm uma visão pessimista do estado atual da civilidade digital e não acreditam em melhoras para este ano. Eles se tornam mais otimistas quando questionados sobre as perspectivas para esta década. Apesar disso, as pessoas desejam que 2020 seja marcado por mais respeito e segurança, com mais liberdade e civilidade na Internet.

Princípios da Cidadania Digital

Para Nycholas Szucko Antunes, diretor de cibersegurança da Microsoft Brasil, é possível tornar a Internet um ambiente em que todos convivam bem. "O universo digital representa uma enorme oportunidade de melhorarmos nossa comunicação, colaborarmos mais e sermos mais produtivos, mas sabemos que nem sempre isso vem acompanhado de civilidade”, afirma o executivo. Pensando nisso, a Microsoft compartilhou os quatro princípios do Desafio da Cidadania Digital. De acordo com a empresa, se as pessoas começarem a adotar essas ações na Internet, as interações online poderão ser mais seguras, saudáveis e respeitosas.

  1. Aja com empatia, compaixão e bondade, tratando com dignidade e respeito as pessoas que interagem com você na Internet;
  2. Respeite as diferenças e honre perspectivas diversas;
  3. Reflita antes de responder a coisas que você discorda para evitar ameaças à segurança de alguém;
  4. Defenda você mesmo e os outros, relatando atividades agressivas e guardando evidências de comportamento inadequado ou inseguro.

Mais do TechTudo