Jogos de tiro

Por Rafael Monteiro, para o TechTudo


Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) pode ser o próximo game da Valve a migrar para a Source 2 Engine, de acordo com recentes rumores. A mudança para o novo motor gráfico da desenvolvedora pode oferecer algumas boas mudanças no visual do clássico jogo de tiro e até mesmo em sua jogabilidade, caso se concretize. Em abril de 2017, a Valve declarou em um evento na China que o FPS faria a transição para a Source 2 Engine, mas desde então a empresa não mencionou mais o assunto.

Os rumores tiveram origem em um post do Twitter de um usuário de apelido "Nors3", figura bastante conhecido na comunidade por encontrar novidades antes da Valve anunciá-las. Ao vasculhar o código de DotA 2, primeiro jogo que foi atualizado para a Source 2 Engine, em 2015, ele achou referências ao CS:GO na programação. Isso poderia indicar que a Source 2 Engine chegaria ao jogo em breve. Por ora, a Valve ainda não anunciou nada oficialmente.

Counter-Strike: Global Offensive pode realizar a aguardada transição para a Source 2 Engine em breve, segundo rumor — Foto: Reprodução/Steam

O que é a Source 2 Engine?

A Source 2 Engine é a próxima geração a Source Engine original, um "motor gráfico" de 2004 da Valve, usado pela primeira vez em Counter-Strike: Source e Half-Life 2. Uma engine ou motor gráfico é um conjunto de programação que converte os recursos isolados de um jogo, como modelos 3D, texturas e seu código, em algo visual na tela que possa ser de fato jogado. A Source Engine foi utilizada em muitos games da Valve, como Portal (2007), Team Fortress 2 (2007), Left 4 Dead (2008) e nos próprios Counter-Strike: Global Offensive (2012) e DotA 2 (2013).

Engines costumam envelhecer conforme os computadores se tornam mais potentes, pois normalmente são construídas com base nas configurações de sua época e nem sempre aproveitam o poder extra de novas gerações de PCs. Por ser uma engine de 2004, a Source Engine está um pouco defasada. Por isso, a Valve lançou a Source 2 Engine em 2015, um motor gráfico mais potente e otimizado.

Arquivos encontrados pelo usuário de apelido "Nors3" em Dota 2 indicam aplicação da Source 2 Engine em Counter-Strike: Global Offensive — Foto: Reprodução/Nors3

Segundo a própria Valve, a Source 2 Engine é voltada para facilidade de criar conteúdo. Ela utiliza a tecnologia de interface da Vulkan para exibir gráficos 3D com boa performance e com um baixo custo para o processador e placa de vídeo ao equilibrar melhor suas funções. A engine também traz um novo sistema de áudio e troca a engine de física Havok por uma nova chamada Rubikon, a qual pode trazer algumas mudanças em como o mundo do game se porta.

Como a Source 2 Engine pode mudar CS:GO?

Jogadores que acompanharam a migração de DotA 2 para Source 2 Engine podem ter uma noção de como o game pode mudar visualmente. Na prática, os modelos 3D de cenários e personagens ainda são basicamente os mesmos, porém mudanças na iluminação fazem com que tudo pareça diferente. Em alguns casos, é possível que algumas partes do jogo sejam realmente refeitas, caso não fiquem tão boas na nova engine.

Enquanto os modelos 3D podem ser em sua maioria mantidos, efeitos como iluminação, fogo e fumaça costumam mudar a cada engine e devem oferecer as maiores diferenças gráficas. Em DotA 2, por exemplo, o caimento de roupas também mudou ao aplicar a nova física. Porém, esse aspecto talvez não seja aplicado em CS:GO, que tem roupas mais comuns.

Uma mudança de Counter-Strike: Global Offensive para a Source 2 Engine pode mudar tanto o visual quanto a jogabilidade do game — Foto: Reprodução/Steam

A nova física deverá trazer uma mudança maior para a jogabilidade do game ao substituir a atual. Não se sabe quanto da jogabilidade de CS:GO atualmente utiliza a física Havok. Por exemplo, não se sabe se ela é utilizada para ações básicas como andar ou correr, porém ela definitivamente parece ser usada para os pulos. Neste caso, a Source 2 Engine com sua nova física Rubikon poderia mudar a sensação de pular ou o movimento como um todo. O lançamento de granadas provavelmente seria a parte mais afetada, já que seus arcos deverão mudar.

Uma mudança para a Source 2 Engine também poderia significar um modo Battle Royale mais robusto. Quando "Nors3" vazou informações sobre o modo Danger Zone, lançado no fim de 2018, avisou que seria impossível que o game suportasse os 100 jogadores simultâneos de PlayerUnknown's Battlegrounds, por exemplo, devido às limitações da Source Engine original. Como a Source 2 Engine é capaz de utilizar o poder extra de processadores mais modernos, ele pode ser capaz de realizar partidas com mais do que os atuais 18 participantes.

Qual o melhor FPS grátis online? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo