Produtividade

Por Daniel Dutra, para o TechTudo


Conta internacional é uma modalidade bancária que permite a manutenção em moeda estrangeira para residentes no Brasil. A proposta é facilitar o uso de dinheiro em viagens, compras em lojas virtuais estrangeiras ou mesmo em transferências financeiras para pessoas no exterior. Fintechs como C6 Bank e Nomad se destacam na oferta da modalidade, com câmbio em dólar americano comercial, o que pode baratear as transações. Confira, a seguir, detalhes sobre contas internacionais e conheça opções disponíveis para brasileiros.

Modalidade de conta internacional está cada vez mais disponível no Brasil — Foto: Daniel Dutra/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. O que é uma conta internacional?

A conta internacional é uma conta digital em moeda estrangeira. Ela auxilia transações financeiras internacionais e pode oferecer um cartão de débito internacional. Entre as vantagens recorrentes estão a possibilidade sacar dinheiro no exterior em determinados caixas eletrônicos, e evitar taxas em excesso com movimentações financeiras em moeda estrangeira.

2. Qual a diferença entre uma conta internacional e uma conta-corrente comum?

O diferencial da conta internacional é a disponibilidade do dinheiro já convertido em dólar no saldo bancário. Desse modo, não é preciso se preocupar com a flutuação do câmbio e nem com novas incidências de impostos sobre transações de câmbio ao usar o dinheiro. Além disso, o tipo de imposto sobre operação financeira será diferente.

É preciso prestar atenção, no entanto, a alguns limites. Como na maioria das vezes a conta internacional é uma conta de débito, não é possível, por exemplo, ficar com o saldo negativo. Ou seja, esse tipo de conta requer maior planejamento por parte do correntista, já que não é possível recorrer a mecanismos de crédito.

Outra diferença é que a quantia de dinheiro transferida para uma conta internacional não fica disponível para aplicações automáticas em investimentos correntes no mercado financeiro brasileiro. O dinheiro não rende enquanto permanece parado, diferente do que ocorre com muitas contas digitais já bem posicionadas no mercado financeiro brasileiro.

Conta internacional não oferece modalidade de crédito — Foto: Pond5

3. Quais são as vantagens de ter uma conta internacional?

A principal vantagem de uma conta internacional é que você não pagará a tarifa de transações internacionais cada vez que utilizá-la. Você precisará apenas pagar pela tarifa de conversão no momento em que transferir dinheiro de sua conta nacional para a conta internacional.

Além disso, as conversões geralmente são feitas usando como referência a cotação do dólar comercial, e não a do dólar turístico. Como o dólar comercial é mais barato, essa diferença de custo acaba sendo vantajosa para o cliente.

Trata-se, portanto, de uma alternativa para pessoas que viajam com frequência ou que fazem muitas compras em plataformas de venda internacionais, pois o uso recorrente de uma conta nacional nessas situações pode acarretar em uma quantia muito grande de despesas com impostos, como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

4. BS2

O BS2 é um hub de serviços financeiros focado no ambiente digital. O banco oferece a modalidade de conta internacional, que pode ser administrada e acessada pelos clientes por meio do aplicativo disponível na Google Play Store e na App Store. A conta utiliza dólares americanos e permite transferir quantias para outros bancos e contas internacionais BS2. O cartão de débito incluso permite saques em plataformas de autoatendimento vinculadas à rede Cirrus.

Conta internacional do BS2 não cobra manutenção, mas há taxas para algumas transações — Foto: Divulgação/BS2

O BS2 não cobra taxa de manutenção pela conta internacional, e não há custos para abri-la. No entanto, há uma série de tarifas diferenciadas para cada tipo de transação financeira.

O envio de pagamento internacional, por exemplo, implica a taxa de US$ 12 por operação, o mesmo valor referente ao recebimento de ordem de pagamento internacional. O envio de uma segunda via de cartão de débito exige o pagamento de uma taxa de US$ 9,90. Além disso, os saques eventualmente realizados em terminais de autoatendimento custam US$ 5 por operação, além da tarifa própria que a rede de caixas eletrônicos pode cobrar do usuário.

5. Nomad

A Nomad é uma fintech focada em serviços financeiros nos Estados Unidos para não-residentes. A abertura de conta internacional requer passaporte brasileiro, um endereço fixo no Brasil e ser maior de 18 anos. Não são cobradas taxas de abertura nem de manutenção da conta. Como a maior parte das fintechs que oferecem conta internacional, a Nomad também contrata o câmbio em dólar americano comercial, o que deixa a transação mais barata.

Nomad tem sede nos EUA, mas seu público alvo são não-residentes — Foto: Divulgação/Nomad

Os serviços disponíveis incluem cartão de débito virtual e físico, o que permite realizar saques no exterior e pagamentos em lojas físicas. Uma desvantagem é que a Nomad Banking não oferece aplicativo para administrar a conta pelo celular.

6. C6 Bank

A fintech brasileira C6 Bank oferece a Conta Global como alternativa de conta internacional para seus clientes. A abertura da conta e emissão do cartão de débito internacional acontece mediante o pagamento de uma taxa de US$ 30 por meio de desconto na conta-corrente do C6 Bank no Brasil. No entanto, clientes que têm mais de R$ 20 mil investidos em CDB por meio do C6 Bank são isentos dessa tarifa.

Apesar do custo inicial, não há taxa de manutenção, tampouco tarifas de compras com cartão de débito, nem tarifa para transferências. Como as demais contas internacionais, a Conta Global do C6 Bank permite transferências e o uso do cartão de débito. É possível realizar compras em lojas físicas e saques em terminais da rede Cirrus com o cartão.

C6 Bank também oferece conta internacional — Foto: Daniel Dutra/TechTudo

De todo modo, é preciso estar atento a outras eventuais tarifas. Há, por exemplo, uma taxa de inatividade no valor de US$ 10 por ano, caso a conta fique sem movimentação por um período de 12 meses.

Também é preciso lembrar que, no caso da Conta Global do C6 Bank, é cobrado o IOF quando se realizam transferências. Porém, o IOF cobrado tem valor competitivo, segundo o próprio C6 Bank. Paga-se apenas 1,1% por transferência, o que é mais em conta do que os 6,38% de IOF em transações com cartão de crédito, por exemplo.

Há, no entanto, algumas exigências em relação às transferências. É preciso movimentar ao menos US$ 100 por transação. Além disso, há um limite anual de dinheiro que pode ser transferido, de acordo com o perfil do cliente. Caso deseje aumentar esse limite, é preciso entrar em contato com o C6 Bank por meio do aplicativo para Android e iPhone (iOS).

Como colocar crédito no celular com app grátis

Como colocar crédito no celular com app grátis

Mais do TechTudo