Media Centers

Por Paulo Alves, para o TechTudo


O TV Box MXQ Pro 4K é um media center que promete transformar sua TV em smart a um bom custo-benefício. Disponível para comprar por meio de sites de importação a preços na faixa dos R$ 130, o aparelho traz conexão HDMI para ligar à TV e é equipado com sistema baseado no Android 7 para celulares, ao invés do Android TV mais comum em produtos do tipo. Da mesma forma, a plataforma permite ao usuário assistir a filmes e séries via streaming com apps como Netflix, YouTube e Amazon Prime Video. Há ainda um controle remoto próprio que permite ao usuário navegar com maior facilidade e não depender de um celular, caso de acessórios como Chromecast, Fire TV Stick, entre outros.

Apesar disso, existem alguns problemas no dispositivo que precisam ser considerados pelo usuário antes de comprar. Entre eles, vale destacar a falta de garantia e as limitações de hardware, que podem não compensar o preço baixo do aparelho, além da ausência do 4K para streaming – apesar do nome do produto. Confira a seguir os prós e contras do TV Box MXQ Pro 4K e saiba se ele vale a pena para você.

MXQ Pro 4K é uma TV box Android com preço baixo — Foto: Reprodução/Gearbest

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Prós:

1. Preço baixo

O investimento baixo é um dos principais atrativos do aparelho. Em sites do e-commerce internacional que oferecem entrega para o Brasil, o TV Box MXQ Pro 4K pode ser adquirido por preço na faixa dos R$ 130. Esse valor é bastante competivio, ficando à frente de rivis como a Mi Box S, da Xiaomi, que custa aproximadamente R$ 370 no paí e o Apple TV, set-top box da Apple que sai a, pelo menos, R$ 1,1 mil. Além disso, o frete pelo produto costuma ser gratuito, o que pode compensar uma espera maior para o dispositivo chegar.

2. Boa variedade de aplicativos

O dispositivo permite ao usuário acessar a Google Play Store para baixar milhares de aplicativos disponíveis para Android, indo além de serviços de streaming. É possível obter apps de produtividade como Word e Excel para usar a TV como monitor com ajuda de um teclado USB, por exemplo, ou até baixar games para jogar com um joystick adquirido à parte.

Plataformas como o Kodi também são compatíveis, permitindo organizar a biblioteca e ter uma central de mídia que pode até substituir um computador. Apesar disso, vale ressaltar que alguns aplicativos e jogos podem não ser compatíveis com o dispositivo, sendo necessário buscá-los um a um na loja para conferir se podem ser instalados.

MXQ Pro 4K tem entrada para cartão de memória e diversas USB, mas não tem Bluetooth — Foto: Reprodução/Gearbest

3. Conectividade farta

Além de HDMI, o TV Box MXQ Pro 4K tem uma oferta variada de portas, com destaque para as quatro entradas USB, que permitem instalar mouse, teclado, pen drive, HD externo e mais periféricos. O aparelho traz ainda um slot para cartão de memória e saídas de áudio analógico e digital, além de porta Ethernet para conectar à Internet via cabo.

Uma antena Wi-Fi também está presente, mas é importante destacar que ela não é dual band, funcionando apenas em redes de 2,4 GHz. Esse padrão é mais congestionado em relação ao 5 GHz, mas tem alcance maior, sendo possível instar o aparelho mais longe do roteador. Uma ausência importante é o Bluetooth, que poderia ser interessante para conectar caixas de som ou até soundbars ao modelo.

Contras:

1. Android antigo

O TV Box foi lançado em 2017 e chegou equipado com o Android 7.1 Nougat, o mais recente da época, mas desde então não recebe mais atualizações. A falta de updates deixa o aparelho exposto a falhas de segurança e privacidade, que são corrigidas em novas versões do sistema. Além disso, o produto vem de fábrica com um root, uma espécie de desbloqueio que dá maior flexibilidade para instalar apps mais avançados – outro fator que implica em um sistema mais vulnerável a ataques.

TV Box é compatível com milhares de apps, mas ainda roda o antigo Android 7 — Foto: Reprodução/Gearbest

2. Não suporta streaming em 4K

Apesar de trazer 4K no nome, o media center não pode reproduzir vídeos nessa definição a partir de aplicativos. Portanto, não é possível assistir a filmes e séries via streaming em Ultra HD, disponível em aplicativos como o Netflix, por exemplo. A resolução fica restrita a arquivos pessoais do usuário armazenados na memória interna do aparelho ou em um disco externo, pen drive ou cartão de memória.

3. Ficha técnica muito simples

Apesar de ser compatível com muitos aplicativos e jogos, alguns deles podem apresentar travamentos por conta do hardware limitado. A TV Box MXQ Pro 4K traz processador Amlogic S905W, um chip quad-core de baixo custo que opera, no máximo, a 1,5 GHz. Além disso, a memória RAM de 1 GB é insuficiente para transitar entre apps sem precisar recarregá-los, ou até rodar games mais pesados de corrida ou de tiro sem notar queda de frames. O armazenamento também é limitado, com 8 GB nominais e somente 3,7 GB livres para uso.

TV Box tem processador simples e apenas 1 GB de memória RAM — Foto: Reprodução/Gearbest

4. Importação

O modelo é encontrado principalmente em sites estrangeiros, que não têm estoque próprio e funcionam como intermediários de revendas chinesas. Isso significa que o usuário precisa utilizar um cartão de crédito internacional na compra, esperar cerca de um mês para receber o produto e estar disposto a pagar impostos aplicáveis pela Receita Federal. Como a fabricante não opera no Brasil, o dispositivo também não tem a garantia legal mínima de três meses a partir da data da compra.

5. Marca pouco conhecida

Como a fabricante MXQ não é muito conhecida no mercado, a compra do produto sem garantia pode ser bastante arriscada. O site Reclame Aqui acumula uma série de queixas contra o produto, que vão desde bugs no sistema que provocam resets inesperados até questões mais sérias, como falhas de hardware que fazem o aparelho simplesmente parar de funcionar.

Uma maneira de driblar dificuldades do tipo é optando pela comprar em sites brasileiros de marketplace ou até internacionais, mas com presença no país. Desse modo, caso o usuário tenha algum problema, reclamações em plataformas de defesa do consumidor podem surtir algum efeito. Mas, ainda assim, não é possível garantir que o problema será resolvido.

Mais do TechTudo