Celulares

Por Clara Fabro, para o TechTudo


A Apple concordou em pagar uma multa multimilionária por deixar iPhones antigos mais lentos. A polêmica começou em 2017 após a empresa admitir que limitava o desempenho dos smartphones para melhorar a vida útil da bateria. Em um processo que corre nos Estados Unidos, a gigante da tecnologia terá que pagar até US$ 500 milhões (R$ 2,2 bilhões, em conversão direta). A sentença favoreceu usuários de iPhone 6, iPhone 7 e iPhone SE que se queixaram do recurso.

Os consumidores que seguiram com o processo contra a empresa devem receber cerca de US$ 25 cada, cerca de R$ 112 pelo câmbio do dia. A decisão sobre o acordo coletivo aconteceu na Califórnia, na última sexta-feira (28).

Apple aceita pagar multa multimilionária a consumidores por tornar iPhones mais lentos por meio de atualizações — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

O caso envolvendo a companhia de Steve Jobs veio à tona quando clientes da Apple procuraram a Justiça e alegaram que os aparelhos da marca não operavam com a capacidade total a partir das atualizações do iOS 10.2.1 e 11.2.0. A empresa confirmou o ocorrido e justificou que as atualizações que diminuíam o desempenho dos celulares eram necessárias para evitar dano aos componentes da bateria.

Na ocasião, clientes da marca afirmam que foram induzidos a substituir a bateria dos aparelhos, ou que trocaram o modelo antigo por um mais recente por acreditarem que a vida útil dos celulares havia acabado. A Apple chegou a disponibilizar aos usuários troca da bateria com desconto. Cerca de 11 milhões de usuários fizeram a manutenção do componente por US$ 29 (R$ 125). A iniciativa também chegou ao Brasil e os consumidores podiam trocar a bateria por cifras que partiam de R$ 149.

Segundo informações da agência Reuters, a Apple nega qualquer irregularidade em tornar os iPhones mais lentos e aceitou o acordo para evitar custos decorrentes do processo. Depois das negociações que perduraram por meses, o valor mínimo de multa foi estabelecido em US$ 310 milhões (R$ 1,3 bilhão), mas pode chegar em até US$ 500 milhões (R$ 2,2 bilhões) a depender do número de consumidores que deverão ser indenizados. Especula-se que que os custos com advogados devem chegar a US$ 93 milhões (R$ 417 milhões).

O processo está arquivado e precisa da aprovação do juiz de San José, na Califórnia, para prosseguir. Vale lembrar que não é a primeira vez que a Apple foi condenada por reduzir o desempenho de celulares antigos. A empresa presidida por Tim Cook também foi condenada a pagar R$ 128 milhões para um órgão francês de combate a fraude pelo mesmo motivo.

Com informações do The Verge, Reuters, Apple Insider e iMore

iPhone 11, 11 Pro e Pro Max no Brasil: veja a tabela de preços e outros detalhes

iPhone 11, 11 Pro e Pro Max no Brasil: veja a tabela de preços e outros detalhes

Mais do TechTudo