Media Centers

Por Paulo Alves, para o TechTudo


Chromecast e TV Box são duas alternativas que prometem transformar sua TV em smart. Os aparelhos têm como vantagem o fato de serem uma solução mais barata, permitindo acessar os principais serviços de streaming do mercado, como Netflix, Globoplay e Amazon Prime Video. Enquanto o dispositivo do Google é mais portátil e confiável, as set-top boxes aparecem em opções menos conhecidas, mas contam com sistemas operacionais completos. Confira a seguir os prós e contras do Chromecast 3 e das TV Boxes com Android à venda no Brasil.

Chromecast: dicas para quem quer comprar o aparelho

Chromecast: dicas para quem quer comprar o aparelho

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Chromecast 3

Pontos positivos

1. Prático e fácil de instalar

O Chromecast 3 requer apenas uma TV com portas HDMI e USB ou tomada convencional por perto para ligar e começar a funcionar. Em cinco minutos, é possível configurar pelo celular e começar a assistir a filmes e séries com transmissão via Wi-Fi, mesmo que o televisor não tenha nenhuma conectividade de forma nativa.

Chromecast 3 é portátil e fácil de configurar pela primeira vez — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo Chromecast 3 é portátil e fácil de configurar pela primeira vez — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

Chromecast 3 é portátil e fácil de configurar pela primeira vez — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

Seu formato compacto também ajuda no transporte, sendo possível levá-lo para qualquer lugar facilmente, até no bolso da calça. Dessa forma, o usuário pode levar o dispositivo para viagens sem se preocupar se a TV do quarto do hotel terá seus aplicativos favoritos. Em empresas, o aparelho pode servir como solução móvel para realizar apresentações de slides ou espelhar a tela do computador durante reuniões, por exemplo.

2. Compatível com muitos apps

Quase todos os aplicativos de streaming são compatíveis com o Chromecast: Netflix, HBO Go, Amazon Prime Video, Globoplay, Telecine Play e Premiere são alguns deles. A compatibilidade também envolve apps de música, como Spotify e Deezer, e produtividade, como o Google Slides. Há ainda diversos players de vídeo independentes que permitem reproduzir arquivos armazenados na memória do celular ou do PC, como VLC, LocalCast e Videostream. Além disso, qualquer site do desktop pode ser espelhado por meio do Google Chrome.

Diversos apps de streaming são compatíveis com o Chromecast — Foto: Barbara Mannara/TechTudo Diversos apps de streaming são compatíveis com o Chromecast — Foto: Barbara Mannara/TechTudo

Diversos apps de streaming são compatíveis com o Chromecast — Foto: Barbara Mannara/TechTudo

3. Produto confiável

Fabricado pelo Google, o Chromecast 3 já ganhou reputação no mercado por ser um produto que apresenta funcionamento estável por muito tempo, sem apresentar defeitos. O dispositivo também garante streaming de boa qualidade, com resolução Full HD a 60 quadros por segundo, sendo compatível com redes de 2,4 GHz ou 5 GHz.

Como há muitos clones do acessório disponíveis em lojas online, o consumidor deve apenas se preocupar em adquirir um modelo original, de preferência de terceira geração. A dica é evitar dispositivos vendidos em sites desconhecidos e que trazem apenas “Cast” no nome.

Pontos negativos

1. Depende do celular

A principal desvantagem do Chromecast é a falta de interface própria. Ele não exibe menus na TV para navegar e procurar pelos conteúdos desejados; todas as interações são feitas pelo celular. O usuário deve abrir um aplicativo no telefone, iniciar a conexão com o Chromecast e transmitir o vídeo para a TV via Wi-Fi. Por isso, o aparelho também não acompanha controle remoto, o que significa que é preciso ter o smartphone sempre à mão para tarefas tão simples quanto dar play e pause na reprodução – a menos que a TV seja compatível com HDMI CEC.

Usuário precisa do celular para usar o Chromecast — Foto: Reprodução/Paulo Alves Usuário precisa do celular para usar o Chromecast — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Usuário precisa do celular para usar o Chromecast — Foto: Reprodução/Paulo Alves

2. Sem armazenamento ou sistema operacional avançado

O Chromecast é feito basicamente para transmitir conteúdo armazenado em outro dispositivo, seja de serviços online ou do celular ou computador do usuário. Isso significa que não é possível armazenar arquivos diretamente em sua memória interna, muito menos instalar aplicativos diretamente nele. Ele roda apenas uma versão modificada do Google Chrome: na prática, é um navegador com usabilidade própria para TVs. Essas características o torna pouco indicado para quem deseja criar uma central de mídia completa, com filmes, séries e músicas de uma biblioteca pessoal acessíveis por meio do Wi-Fi.

TV BOX

TV Box SmartBox STV-2000, da Aquário, tem suporte e garantia no Brasil — Foto: Divulgação/Aquário TV Box SmartBox STV-2000, da Aquário, tem suporte e garantia no Brasil — Foto: Divulgação/Aquário

TV Box SmartBox STV-2000, da Aquário, tem suporte e garantia no Brasil — Foto: Divulgação/Aquário

Pontos positivos

1. Variedade de opções

TV Box não é um único produto, mas sim uma categoria de aparelhos que rodam sistema Android e contam com diversas opções no mercado. Essa variedade permite ao consumidor escolher algo que se adeque tanto ao bolso quanto às suas necessidades, como maior armazenamento ou melhor reprodução de imagem. Também é possível escolher um dispositivo com processador mais potente e que permite rodar jogos. SmartBox STV-2000, MX9, TV Box Inova, MX 10, Xiaomi Mi Box, TV Box MXQ Pro 4K e A95X MiniQ são algumas das opções à venda no mercado brasileiro ou em sites estrangeiros que oferecem entrega no país.

MXQ Pro 4K é uma TV box Android com preço baixo — Foto: Reprodução/Gearbest MXQ Pro 4K é uma TV box Android com preço baixo — Foto: Reprodução/Gearbest

MXQ Pro 4K é uma TV box Android com preço baixo — Foto: Reprodução/Gearbest

2. Pacote completo

Ao contrário do Chromecast 3, as TV Boxes têm sistema Android completo e hardware que permitem navegar com controle remoto por menus, baixar e instalar apps e jogos da Google Play Store, além de acessar arquivos da memória interna ou de pen drives e HDs externos conectados. Os aparelhos também costumam trazer Bluetooth, o que permite conectar mouse, teclado ou até um controle sem fio para jogar com maior conforto.

Os modelos fornecidos por marcas mais conhecidas, como a Xiaomi, rodam o Android TV, que é um pouco mais limitado em termos de apps, mas oferece melhor usabilidade e tem atualizações garantidas ao longo do tempo. A Mi Box e similares também são compatíveis com o Google Assistente, e podem trazer microfone no controle remoto para acionar funções por meio de comando de voz.

TV Boxes costumam ser compatíveis com milhares de apps da Google Play Store — Foto: Reprodução/Gearbest TV Boxes costumam ser compatíveis com milhares de apps da Google Play Store — Foto: Reprodução/Gearbest

TV Boxes costumam ser compatíveis com milhares de apps da Google Play Store — Foto: Reprodução/Gearbest

3. Preço baixo

A grande variedade de TV Boxes significa diversas opções de preço, incluindo valores mais acessíveis. A MXQ Pro 4K, por exemplo, é uma opção disponível no mercado por cerca de R$ 130 e que oferece recursos importantes, como reprodução de vídeos em 4K – a partir do próprio dispositivo, vale ressaltar – e muitas portas para conectar periféricos. Já o Chromecast 3, com limite de streaming em Full HD, custa pelo menos R$ 250 em revendedores autorizados no Brasil.

Pontos negativos

1. Muitas marcas desconhecidas

A diversidade de TV Boxes no mercado também torna o processo de escolha mais difícil. Esse tipo de equipamento costuma ser produzido por empresas desconhecidas, com baixa reputação e a maioria com origem na China. Por isso, não só não há garantia de fábrica para acessar serviços de assistência técnica em caso de defeito, assim como também é difícil distinguir os produtos de boa qualidade daqueles mais duvidosos. Aparelhos do tipo chegam inclusive a serem anunciados sem marca.

2. Baixa qualidade

Boa parte dos produtos dessa categoria são de baixa qualidade – pelo menos nas opções mais acessíveis. Aparelhos do tipo têm armazenamento e memória RAM com quantidades e velocidades bastante limitadas, algo que que restringe o número de apps que podem ser instalados e carregados sem travamentos. O mesmo pode ser dito dos processadores, na maioria chips ARM genéricos sem nenhuma customização por fabricantes reconhecidas, como a MediaTek.

Essas características são praticamente garantia de uma experiência abaixo do esperado, além de um indicativo de baixa durabilidade ao longo do tempo. Em geral, é preciso pesquisar bastante em marketplaces e checar muitas avaliações de clientes para não cair em ciladas. Uma opção é optar por produtos mais caros e de qualidade garantida, como a Mi Box, ou dispositivos de marcas brasileiras como Multilaser e Aquário.

TV Box com processador simples e apenas 1 GB de memória RAM são comuns no mercado — Foto: Reprodução/Gearbest TV Box com processador simples e apenas 1 GB de memória RAM são comuns no mercado — Foto: Reprodução/Gearbest

TV Box com processador simples e apenas 1 GB de memória RAM são comuns no mercado — Foto: Reprodução/Gearbest

3. Risco à segurança

Além da qualidade duvidosa, muitas TV Boxes trazem Android desatualizado e sem nenhuma garantia de atualizações, incluindo pacotes de segurança. O sistema desses dispositivos pode vir inclusive com root, um tipo de desbloqueio que libera funções mais avançadas, mas deixa o software altamente exposto a ataques virtuais.

Diferentemente do Chromecast, que é atualizado o tempo todo de forma automática, grande parte das TV Boxes ficam com o mesmo sistema defasado por muito tempo. Com isso, os aparelhos podem se tornar porta de entrada para ameaças na rede doméstica, permitindo o acesso a outros dispositivos conectados.

Vale a pena comprar um Chromecast? Dê sua opinião no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo