Celulares

Por Milena Garcia, para o TechTudo

Bruno De Blasi/TechTudo

A Apple não deverá lançar em setembro a nova linha de iPhones com suporte à internet 5G devido à pandemia do novo coronavírus. É o que consta num relatório da consultoria de mercado Wedbush. Ainda não é possível estimar o quanto a empresa será prejudicada pelas profundas mudanças em escala global decorrentes da pandemia de Covid-19. No entanto, é esperado que modelos com conexão às redes de quinta geração sejam comercializados a partir de outubro.

A previsão foi motivada pelo fechamento de lojas da Apple por todo o mundo e o bloqueio da cadeia produtiva da maçã na China.

iPhone 11, 11 Pro e Pro Max no Brasil: veja a tabela de preços e outros detalhes

iPhone 11, 11 Pro e Pro Max no Brasil: veja a tabela de preços e outros detalhes

A Wedbush não especifica no documento se o lançamento dos modelos ficará para o final deste ano ou se será adiado para o início de 2021. Ela apenas afirma que isso não ocorrerá durante o outono no Hemisfério Norte. Outro ponto que vale ser ressaltado é que todas as previsões da empresa tem como base uma possível recuperação do coronavírus até o mês de julho.

Além de atrasar a chegada dos smartphones ao mercado, o relatório calcula a probabilidade do Covid-19 também afetar o orçamento da Apple para os próximos meses. “Esperamos que tenha um grande impacto negativo no modelo de negócios da Apple para um futuro previsível”, afirma Daniel Ives, representante da Wedbush.

Rastreador do coronavírus da Microsoft exibe notícias e vídeos — Foto: Reprodução/Bing

A estimativa é que ocorra redução de 14% da receita no ano fiscal de 2020 (para US$ 131 bilhões, contra os US$ 152 bilhões previstos anteriormente) e de 10% em 2021 (US$ 172 bilhões), refletindo as mudanças na demanda a curto prazo dos consumidores. A empresa observa uma possível recuperação financeira somente daqui a um ano com os recordes de venda promovidos pelo smartphone com 5G.

Caso a pandemia se estenda por mais tempo, a Wedbush afirma que terá que revisar as avaliações. Enquanto isso, as atividades de manufatura retomam de forma lenta na China, porém ainda não é possível descartar as chances de uma nova aceleração da doença no país.

Com informações de AppleInsider e 9to5Mac

Mais do TechTudo