Produtividade

Por Ana Letícia Loubak, para o TechTudo


Workana é uma plataforma que permite contratar freelancers para trabalhos remotos. Com mais de 1,7 milhão de profissionais cadastrados, o portal é utilizado por grandes empresas como Uber, OLX e Ambev. O número de vagas publicadas por mês ultrapassa 27 mil, e é possível encontrar oportunidades de trabalho nas mais diversas áreas. A seguir, descubra se a Workana vale a pena e entenda detalhes sobre o funcionamento da plataforma — desde cadastro e candidatura até pagamentos.

Workana vale a pena? Entenda como funciona o site para freelancer — Foto: Reprodução/Workana

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Veja também: Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como funciona a Workana?

Workana é um site que reúne ofertas de trabalho temporário em áreas como marketing, tradução, design gráfico e programação. Gratuita, a plataforma permite que os freelancers criem um perfil profissional e usem filtros de busca para encontrar trabalhos relacionados ao seu campo de atuação.

Funciona assim: a empresa publica um projeto e informa que tipo de profissional está procurando. Os freelancers interessados enviam suas propostas, que serão avaliadas pelo contratante. Após escolher o candidato mais qualificado para o serviço, a empresa efetua o pagamento da quantia combinada. O valor só é repassado ao freelancer no ato da entrega do trabalho.

Como fazer cadastro e trabalhar como freelancer?

Freelancers podem encontrar ofertas de trabalho remoto e enviar propostas para empresas com a Workana — Foto: Reprodução/Workana

Fazer cadastro na Workana é simples. A plataforma permite criar novas contas usando dados do Facebook ou Google e também fazer um registro do zero a partir de endereços de e-mail. Após o registro, é importante preencher o perfil com suas habilidades e publicar um portfólio. Essas informações serão avaliadas pelo cliente em conjunto com a proposta orçamentária.

Para começar a trabalhar como freelancer, é preciso acessar a opção "Encontrar projetos", localizada na página inicial da Workana. Após achar um projeto do seu interesse, basta clicar no botão "Fazer uma proposta" para iniciar o processo de candidatura.

Lembre-se de escrever uma apresentação pessoal e anexar arquivos com amostras do seu trabalho, para que o cliente possa ter uma ideia do que você poderá fazer pelo projeto dele. Por fim, defina quanto vai cobrar pelo projeto (considerando a comissão cobrada pela Workana) e envie o orçamento.

Como funciona o pagamento?

Workana aceita pagamentos com cartão de crédito ou débito — Foto: Pond5

Na Workana, todos os projetos utilizam o chamado "depósito de garantia", modalidade de pagamento para assegurar que tanto o cliente quanto o freelancer cumprirão com o combinado. Logo que uma proposta é aceita, o cliente deve efetuar o pagamento do valor total combinado. Essa quantia será mantida no sistema da Workana até que a empresa sinalize que recebeu todo o material. Feito isso, o pagamento é liberado ao freelancer. Do contrário, o valor volta para o cliente.

A liberação do pagamento pode ser integral ou parcial, no caso de projetos que envolvem múltiplas tarefas. Por exemplo, se uma empresa de marketing digital contratou um redator para escrever cinco artigos, pode definir a entrega do dinheiro em cinco partes. Imagine que o contrato totaliza R$ 500: nesse caso, o profissional receberia R$ 100 a cada texto entregue.

A Workana oferece múltiplas opções de pagamento: boleto bancário, cartão de crédito ou débito, PayPal, MercadoPago e outros serviços, que variam conforme a localização do usuário.

Como publicar um projeto para encontrar um freelancer?

Workana permite comunicação direta entre empresa e freelancer — Foto: Reprodução/Workana

Para publicar um projeto na Workana, as empresas devem se cadastrar na plataforma e, no menu "Contrate", selecionar "Publicar um projeto". Após definir nome, categoria profissional e orçamento do projeto, é preciso descrever o trabalho a ser realizado. Esse passo é fundamental para que os profissionais entendam os detalhes do serviço e possam elaborar uma proposta mais personalizada.

É importante esclarecer que existem dois tipos de projetos: por hora e por preço fixo. Os projetos de preço fixo são melhores quando a estrutura e o escopo do trabalho estão bem definidos. Nessa modalidade, o cliente define um orçamento aproximado e chega a um acordo sobre o preço com o freelancer antes do início do trabalho.

Se não estiver claro o que se espera do projeto ou se o profissional precisar dedicar boa parte de sua semana, ou mês ao trabalho, recomenda-se a contratação por hora. Mais flexível, essa modalidade envolve um acordo entre cliente e freelancer em relação à tarifa da hora de trabalho. Os relatórios de horas são computados diretamente na Workana.

Definido o tipo de projeto, vale também selecionar as principais habilidades necessárias ao trabalho. Segundo a Workana, clientes que cumprem essa etapa têm mais chances de receber propostas dos melhores freelancers. Uma vez publicado o projeto, a plataforma enviará notificações sobre todas as candidaturas ou mensagens recebidas.

Quais são os custos para a empresa?

Criar projetos no Workana é gratuito, mas a empresa deverá pagar uma taxa sempre que fizer uma contratação. O chamado "custo de serviço" equivale a 4,5% do valor total do contrato.

Via Workana

Qual é o melhor serviço de compartilhamento? Descubra no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo