Fones de ouvido

Por Paulo Alves, para o TechTudo


AirDots Pro 2 é um fone Bluetooth da Xiaomi que lembra bastante os AirPods, da Apple, e o Freebuds 3, da Huawei. O produto tem estojo carregador, superfície sensível ao toque e suporte a assistentes virtuais, assim como seus concorrentes, além da haste alongada que é bastante característica. Uma diferença importante é a ausência do carregamento sem fio, recurso que pode aparecer no aguardado Mi True Wireless Earphone 2S, que foi certificado recentemente pelo Wireless Power Consortium e pode ser anunciado a qualquer momento pela gigante chinesa.

Ainda não há previsão de chegada do modelo ao Brasil, mas é possível encontrar o acessório em sites de importação como AliExpress, Gearbest e Amazon, com preços entre R$ 220 e R$ 390. Vale lembrar que, dessa forma o dispositivo não possui garantia nacional e está sujeito a outras taxas, como frete e possíveis impostos.

Xiaomi AirDots Pro 2 é alternativa mais barata ao AirPods, da Apple — Foto: Divulgação/Xiaomi

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Ao contrário dos mais simples Mi AirDots e Redmi AirDots, o AirDots Pro 2 traz diversas funções avançadas, que costumam ser encontradas apenas em produtos premium. Um exemplo é a redução de ruído, que isola o som externo com a ajuda de dois microfones para melhorar a qualidade do som. O fone traz ainda sensor infravermelho para identificar quando o usuário tira um dos lados do ouvido e também para interromper a reprodução de forma automática.

Segundo a fabricante, o AirDots Pro 2 tem bateria para até 4 horas de música, chegando a 14 horas com a carga disponível na case. A Xiaomi promete ainda carregamento rápido, sendo necessário apenas uma hora dentro do estojo para chegar aos 100%.

Xiaomi Mi AirDots Pro 2 tem bateria de até 14 horas com carga do estojo — Foto: Divulgação/Xiaomi

O dispositivo usa Bluetooth 5.0 no pareamento com celulares Android ou iPhone (iOS), padrão mais recente que o 4.2 utilizado no Xiaomi AirDots Pro e que deve ser suficiente para evitar problemas de conexão. A tecnologia também ajuda a reproduzir músicas em qualidade superior e permite ligar mais rapidamente ao dispositivo de origem após o primeiro emparelhamento, no caso de smartphones Xiaomi.

No entanto, alguns pontos fracos persistem em relação à geração anterior. As funções de toque para controlar a música ou atender uma ligação só podem ser configuradas em um aplicativo da marca que fica disponível apenas em mandarim. Além disso, as respostas de áudio também são no idioma chinês, o que deve dificultar a compreensão das ações padrão do modelo.

O celular Xiaomi é bom? É confiável? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo