Por Yuri Hildebrand, do Home Office


A WWDC 2020, evento de desenvolvedores da Apple, marcou o fim da linha para a Intel, que até 2022 vai deixar a linha de computadores da maçã. Segundo a fabricante, o primeiro Mac voltado para o consumidor final com a novidade chega ainda este ano. Além disso, uma versão do Mac Mini para desenvolvedores já fica disponível essa semana com processador A12Z Soc e software próprio para facilitar a transição de suporte.

O "dia histórico" era esperado há algum tempo, e a Apple afirma estar trabalhando nessa mudança pelos últimos dez anos. A expectativa é de uma melhor eficiência energética, aumentando o desempenho sem subir o consumo. A Apple também revelou os novos iOS 14 e macOS Big Sur.

Novos chips Apple Silicon chegam aos computadores da maçã ainda em 2020; transição deve levar dois anos — Foto: Reprodução/Apple

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Para justificar a mudança, marca apresentou a evolução dos processadores próprios da Apple desde o uso em iPhones e iPads. Segundo a fabricante, a construção dos chips, com melhorias em eficiência ao longo dos últimos anos, permite um novo nível de performance para os Macs. O foco, como apontado em rumores, é justamente aumentar o desempenho dos computadores sem subir o consumo energético, necessariamente. Além disso, o uso dos novos chips deve trazer ainda melhorias na performance gráfica, recursos de machine learning e funcionalidades de privacidade.

Melhorias apontadas pela empresa com o novo processador devem garantir uma boa fluidez no sistema e maior eficiência — Foto: Reprodução/Apple

Os apps da maçã também foram atualizados para ter suporte ao novo processador por meio do software Xcode. De acordo com a maçã, o serviço também vai facilitar a transição para desenvolvedores de hardware. A marca anunciou ainda uma versão do Microsoft Office para macOS com chip Apple Silicon, além do suporte para softwares da Adobe como o Photoshop e a Creative Cloud.

Em um computador equipado com uma CPU do tipo, a marca apontou para a fluidez do sistema, mesmo rodando apps de edição mais pesados, como as próprias suítes da Adobe e o Final Cut. O programa Rosetta também adequa o funcionamento de aplicativos de outras máquinas no computador. Com isso, o usuário pode rodar apps para iPhone e iPad sem grandes mudanças.

Mac Mini será o primeiro computador da fabricante com os novos chips ARM, em kit voltado para desenvolvedores — Foto: Divulgação/Apple

A novidade chega primeiro em um kit voltado, sobretudo, para desenvolvedores, trazendo um Mac Mini equipado com chip A12Z Soc. Já para o público em geral, a expectativa é que um computador com processador Apple Silicon chegue ao mercado até o final de 2020, e a transição completa deve acontecer em até dois anos.

Até lá, Tim Cook, CEO da empresa, garantiu suporte completo e atualizações para computadores que ainda sejam equipados as antigas CPUs. Vale lembrar que a Apple começou a vender recentemente no Brasil o novo MacBook Pro de 13 polegadas, equipado com chips Intel Core de décima geração, a preços que começam em R$ 14.999 no site oficial da marca.

iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max: testamos os celulares da Apple

iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max: testamos os celulares da Apple

Qual comprar: Macbook Air ou MacBook Pro? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo