Segurança

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Desde o início da pandemia do novo coronavírus, pelo menos 693 sites maliciosos de golpes relacionados à doença e ao auxílio emergencial foram criados no Brasil. As informações são resultado de análise produzida pelo IBM X-Force Incident Response and Intelligence Services (IRIS) e foram divulgadas na última terça-feira (7). Além das páginas falsas, o estudo também identificou um aumento no volume de ataques tipo phishing usando e-mails e mensagens enviadas por WhatsApp.

De acordo com os especialistas do grupo da IBM, o crescimento das ações criminosas ocorre no Brasil conforme o epicentro da pandemia se fixa na América do Sul. Os golpes utilizam como isca o auxílio emergencial de R$ 600 concedido pelo Governo Federal a quem teve a renda afetada pela crise.

Site permite consultar status do processo de concessão do auxílio emergencial — Foto: Filipe Garret/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

De acordo com o IRIS, grande parte dos ataques se utiliza da maneira como o Governo Federal avalia as requisições para obtenção do auxílio. Segundo os especialistas, os criminosos tiram proveito da necessidade dos cidadãos em confirmar seus dados junto às autoridades. O principal objetivo é interceptar esses dados para usá-los futuramente em fraudes financeiras, outros tipos de golpe ou, até mesmo, distribuir malware nos dispositivos das vítimas.

Veja também: quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Além disso, os criminosos em ação no Brasil usam uma variedade de estratégias para iludir as vítimas e convencê-las por meio de SMS, WhatsApp ou e-mails a acessarem sites falsos e compartilharem suas informações pessoais. Um exemplo divulgado pelo IRIS é o de uma mensagem que circula no WhatsApp e promete R$ 200 para quem clicar em um link e se cadastrar em suposto “Auxílio Cidadão”. O site falso captura os dados do usuário para depois usá-los em outros golpes.

Criminosos usam várias estratégias para enganar os usuários e direcioná-los a sites falsos — Foto: Reprodução/IRIS

Um detalhe interessante é que houve uma mudança na ação dos criminosos em junho. Conforme observado pelos pesquisadores, no decorrer do último mês, houve mais registros de ações por meio de e-mails e um aumento no volume de spam contendo os termos “auxílio emergencial”. Antes do disparo em massa de e-mails, as ações estavam mais concentradas na criação de sites falsos envolvendo o benefício do Governo Federal, cujo pico ocorreu em março.

Levantamento indica um grande aumento na criação de sites falsos relacionados ao auxílio em março; foco dos criminosos agora está em esquemas de phishing — Foto: Reprodução/IRIS

Por outro lado, o IRIS também notou pontos positivos em relação aos golpes. A tendência, mesmo no Brasil, tem sido de queda nas ações na última semana, refletindo um movimento que já se observa em todo o mundo. Entretanto, os especialistas alertam que ações mais centradas no programa de auxílio emergencial ainda podem se prolongar, conforme indica o aumento na circulação de e-mails falsos.

Para evitar cair em golpes, os especialistas fazem algumas recomendações. Desconfie sempre de mensagens compartilhadas e e-mails, e tenha o cuidado de conferir a legitimidade de apps e sites. Além disso, o grupo sugere o uso da plataforma DNS Quad9 que é atualizada constantemente com endereços de sites falsos e deve bloquear o acesso, caso você clique inadvertidamente em algum link.

Via IBM IRIS

Como saber se uma loja é confiável? Veja dicas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo