Fones de ouvido

Por Júlia V. Kurtz, para o TechTudo


Binaural Beats é uma técnica de som que simula áudio 3D por meio de uma ilusão acústica. Essa prática é utilizada em tratamentos para reduzir estresse e ansiedade, aumentar a concentração, melhorar a qualidade do sono, entre outros exemplos. Apesar de não ter sua eficácia comprovada, diversos estudos apontam resultados positivos para a prática.

Atualmente, é possível encontrar diversos exemplos desse tipo de áudio gratuitamente na Internet, e, para ouvir, basta ter um fone de ouvido com som estéreo. Confira a seguir mais detalhes sobre a técnica para entender como funciona e o que promete melhorar.

Fone de ouvido: cinco dicas para conservar melhor o acessório

Fone de ouvido: cinco dicas para conservar melhor o acessório

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

O que é?

A onda chamada de Binaural Beat é gerada quando o ouvinte escuta dois sons com frequências muito próximas, porém diferentes e inferiores a 1000 Hz. Isso faz com que o cérebro perceba uma terceira onda, que, na verdade, não existe. Essa frequência é igual à diferença entre os dois sons diferentes. A ideia é ativar áreas específicas do cérebro com diferentes padrões de áudio, induzindo o sono, aumentando a concentração ou até estimulando a memória.

Vale ressaltar que nem todos os efeitos são confirmados pela ciência, mas pesquisas apontam que alguns resultados são possíveis. De acordo com o site Discovery Magazine, um estudo testou a técnica com objetivo de melhorar a memória de trabalho, e houve um aumento de 3% na precisão dos pacientes. Apesar disso, isso aconteceu apenas com pessoas que escutaram frequências com um intervalo maior, de 15 Hz.

Ao ouvir duas frequências diferentes, o cérebro simula a presença de uma terceira; técnica pode melhorar o sono e a concentração — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Como ouvir da melhor maneira?

A ilusão do Binaural Beats só ocorre quando cada ouvido escuta uma frequência diferente. Como o som se propaga e se mistura na atmosfera, é impossível conseguir esse efeito se as ondas sonoras chegarem ao mesmo tempo nos dois ouvidos. A recomendação, portanto, é utilizar fones de ouvido na hora de experimentar a técnica.

Pode ser qualquer tipo de acessório, desde que tenha suporte a sons estéreo – assim como o áudio em si. Também é importante não ouvir esse tipo de som ao dirigir ou desempenhar alguma tarefa que exija alta concentração, já que, em alguns casos, podem induzir ao sono.

Onde encontrar?

Há diversos exemplos de Binaural Beats disponíveis para ouvir de graça na Internet. Mesmo sites de vídeos, como o YouTube, possuem extensas listas de reprodução com diferentes tons usados em tratamentos. Outra opção é buscar em apps de streaming como Spotify, Deezer, Google Play Music, entre outros, que possuem playlists com opções variadas.

Normalmente as plataformas de streaming criam playlists com ondas binaurais de todos os tipos, sem separá-las de acordo com o efeito desejado. Portanto, na hora de escutar, é importante prestar atenção ao tipo de onda que você procura.

Binaural Beats estão disponíveis de graça no YouTube ou em plataformas como Spotify e Deezer — Foto: Divulgação/Drop

Tipos e efeitos

Pesquisas acerca da eficácia dos Binaural Beats indicam que existem cinco padrões de som e cada um estaria relacionado a um tipo de efeito diferente. O Delta, por exemplo, acontece com faixas entre 0,5 e 4 Hz, sendo relacionado ao sono profundo. Já as ondas Theta, que correspondem a frequências entre 4 e 7 Hz, seriam interessantes para um relaxamento profundo e determinadas fases do sono.

Em seguida existe o padrão Alpha, que varia entre 7 e 13 Hz e também poderia ser utilizado para relaxamento. Outros exemplos são os tons Beta, com intervalos entre 13 e 30 Hz, para aumentar a concentração, e o padrão Gama, com 30 a 50 Hz de diferença entre as duas saídas de som e que seria mais difícil de perceber para pessoas mais velhas.

Ajuda mesmo a dormir?

As pesquisas a respeito do uso da técnica de Binaural Beats em tratamentos psicológico ainda são insuficientes, como aponta um artigo do NCBI (National Center for Biotechnology Information), parte da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos. Portanto, não é possível afirmar que a experiência vai funcionar de fato.

Ainda assim, também de acordo com o estudo, há resultados que indicam um efeito de diminuição da ansiedade, por exemplo, o que poderia ajudar no sono. Segundo o artigo, que revisa 22 pesquisas relacionadas ao assunto, o tempo de exposição do usuário também seria determinante para chegar ao resultado.

O uso do padrão certo – durante o tempo certo – pode diminuir a ansiedade, diz estudo — Foto: Divulgação/Philips

Contra-indicações

A literatura médica sobre o assunto considera insuficiente o que se tem hoje sobre o assunto, muito por conta de resultados contraditórios. Em 2017, um estudo analisou a influência das ondas binaurais sobre efeitos relacionados às emoções, medindo batimentos cardíacos e observando possíveis efeitos na pele. De acordo com a publicação, a técnica não teria efeitos significativos. Há ainda indícios de que a exposição prolongada a padrões gama aumentaria a ansiedade do usuário, e não apenas estimularia a criatividade.

Qual é o melhor fone de ouvido por até R$ 100? Tire suas dúvidas no Fórum o TechTudo

Mais do TechTudo