Telefonia

Por Isabele Scavassa (colaboração) e Thássius Veloso (redação)


A Claro anunciou as primeiras cidades em que irá ativar a rede 5G: a empresa aposta na tecnologia de repartição de espectro para atender bairros de São Paulo e Rio de Janeiro. Isso significa que os clientes 5G vão se conectar à mesma rede que hoje em dia também atende 4G e 4.5G. As antenas compatíveis vão liberar velocidade maior quando detectarem aparelhos compatíveis. O recém-lançado Motorola Edge (Motorola) é o único aparelho à venda no país que traz a função.

A promessa é de internet até 12 vezes mais rápidas do que atualmente. No entanto, a Claro não especificou qual é o download médio considerado ao fazer esta conta. Além disso, o número não bate com o que apurou o TechTudo junto a outras fontes do setor.

Teste de velocidade divulgado pela Claro — Foto: Divulgação/Claro

Primeiro em São Paulo e Rio

A empresa divulgou um cronograma que engloba diversos bairros de São Paulo. A rede começa na Avenida Paulista e Jardins, e depois gradativamente para Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olimpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera, região da Berrini e Santo Amaro.

No Rio de Janeiro, os primeiros bairros a receber serão Ipanema, Leblon e Lagoa, seguindo posteriormente do Leme até a Barra da Tijuca, passando por Jardim Oceânico, Joá, São Conrado e Copacabana.

Diz a operadora que a escolha das localidades considerou critérios como a demanda de tráfego e maior possibilidade de aquisição de smartphones compatíveis com este tipo de conexão.

Será preciso comprar um novo celular

Motorola tem smartphone compatível com 5G DSS — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

A tecnologia de 5G DSS tende a ter uma adesão bastante limitada. Provavelmente será necessário comprar um smartphone novo para aproveitar os benefícios.

Único modelo habilitado para a tecnologia, o Motorola Edge foi anunciado na semana passada por R$ 5.499. A operadora vai vendê-lo por R$ 3.229 em contrato de 12 meses e com plano pós-pago de 50 GB, cuja mensalidade sai a mais R$ 259,99 (valor para São Paulo). Apesar de mais potente, o também recém-apresentado o Motorola Edge Plus não funciona com 5G DSS.

Veja o que esperar do 5G

Não será preciso contratar um plano mais caro

Representantes da Claro explicaram que os clientes não precisarão mudar de plano. Nas localidades em que o 5G DSS estiver disponível, as antenas têm uma tecnologia que detecta os smartphones compatíveis e automaticamente os transfere para a troca de dados mais veloz.

A Claro está se antecipando por ter uma estrutura mais robusta desde a aquisição da Nextel, mas especialistas do setor dizem que o 5G DSS tem impacto limitado. Para que a internet de quinta geração tenha uso massivo, será necessário esperar o leilão da Anatel com novas frequências. Isso significa que serão liberadas novas formas de transmissão especificamente para a futura tecnologia 5G.

O leilão da Anatel estava previsto para 2019. Atrasou para 2020. Agora, diante da crise imposta pela pandemia, ficou para 2021. Não se sabe se as demais empresas – Vivo, TIM e Oi – pretendem se movimentar diante da novidade do mercado.

Quer saber tudo sobre celulares, aplicativos e jogos? Inscreva-se no nosso canal do YouTube e ative as notificações!

Mais do TechTudo